Uma criança encantada pelo Sol

Ana Laura e uma longa e sincera amizade com o Sol (Foto: Eliana)

10/10/2011 – 21:08h

Ana Laura, a menina que me inspirou para escrever “Hikôki e a mensageira do Sol”, que traz ilustrações de Maurizio Manzo, editora Miguilim, é movida pela mãe-natureza. Mal o dia chega e ela pula da cama com um entusiasmo impressionante. Afinal, é hora de o Sol reinar.
A menina se aproxima dos animais e quer saber tudo sobre eles. Das flores também. E explica que prefere o Sol por causa disso: “Eu posso ver tudo o que gosto e se estou brincando não tropeço em (quase) nada”.
Ana Laura tem 8 anos de idade. Sua relação com o Sol se manifestou mais cedo, ou seja, desde o momento em que começou a perceber as diferenças entre o dia e a noite.
Por enquanto, estas diferenças ficam por conta do claro e escuro de brincar e ir para a cama. “Eu ainda não estudei sobre o Sol. Eu tenho vontade de saber se ele é mesmo bem amarelo como a gente faz nos desenhos”, explica a menina.
Aninha _ como costuma ser chamada _ gostou de ler “Hikôki e a mensageira do Sol” e se sentiu realmente a personagem da história. “Eu acho que o livro fala de mim”. Também se animou com o fato de existir um lugar, onde o dia nunca acaba e de viver sempre sob os raios de Sol. “Isso é muito legal. Eu nunca fui a um lugar que só tem Sol”…
Estudante da Escola Lúcia Casasanta, que funciona à Rua Rio Verde, 379, no bairro Sion, Belo Horizonte, Ana Laura Fontes Fialho, sempre foi motivada para a leitura. De um lado, os professores e, de outro, os pais, Luciano e Eliana, estão sempre atentos e, por isso, livros não faltam na rotina da menina: “Eu gosto muito de ler”.
O resultado não podia ser melhor: Aninha anda sempre com um bloco de anotações ou usa um caderno especial para escrever suas histórias.