10 livros com ilustrações incríveis

7/2/2013 – 22:52h

No momento de adquirir um livro infantil, a tendência é indagar primeiro sobre o texto e o autor. Só depois, grande parte dos adultos se interessa pelas imagens e o ilustrador. Notem que eu atribuí esta atitude aos adultos, por que as crianças costumam fazer o contrário e se interessarem pela história depois de serem envolvidas pelas imagens. Isto sem falar no grande número de livros que são publicados exclusivamente com ilustrações. Estas obras têm uma maneira própria de contar histórias.

Fiquei animada quando vi a pesquisa preparada pelo site “Educar para Crescer” sobre “10 livros com ilustrações incríveis”.  A matéria do site  mostra que nos livros ilustrados é o desenho que conduz a narrativa. “Que critérios são empregados para publicar este ou aquele livro ilustrado? Tanto Júlia Schwartz, da Cia. das Letrinhas, quanto Isabel Lopes Coelho, da Cosac Naify, asseguram que a escolha é determinada de modo subjetivo – gosto, a bem da verdade”.

“Fica claro que o desenho é a alma deste negócio, pois é ele que vai contar a narrativa, às vezes, com o auxílio da palavra escrita. A seguir, dê atenção à seleção de livros ilustrados das principais editoras do nosso mercado – todos eles recomendados para leitores a partir de 2 anos”.

1-      O sonho de Vitório, de Veridiana Scarpelli, Editora Cosac Naify

Com um desenho especialmente colorido, a jovem Veridiana Scarpelli faz sua estreia neste cenário literário com a narrativa surrealista de um porquinho que deseja se tornar um super-herói com poderes de voar ou explorar as águas do oceano. É quando ele encontra uma passagem secreta que o conduz para a festa onde os animais se fantasiam de outros bichos.

2-     Assim ou assado?, de Dobroslay, Cosac Naify

Foll, de nacionalidade tcheca, é conhecido por trabalhar com design gráfico, escultura e gravura. Nesta obra, ele criou a brincadeira de descobrir figuras escondidas no desenho com a ajuda de uma lâmina de acetato listrada. O efeito é surpreendente: além da relação entre as formas de contextos diferentes, o gesto de manipular o livro faz com que o leitor dê sentido à própria história.

3-     O outro lado, de Istyan  Banyai, Cosac Naify

O húngaro Istvan Banyai é cultuado pelo público adulto por suas capas da revista norte-americana The New Yorker. Entretanto, o artista dedica boa parte de sua produção visual aos livros ilustrados, que não são necessariamente voltados para as crianças. Mesmo assim, eles cativam os olhos infantis por sua criatividade – caso de “O outro lado”, que brinca com o que está dentro e fora, em cima e embaixo, quente e frio, perto e longe etc.

4-     Zoom, de Istyan Banyai, Editora Brinque Book

Outro trabalho provocante de Banyai – sem palavras, pode ser entendido de trás para frente, por exemplo. Suas ilustrações jogam com as noções de perspectiva: o leitor fica com a impressão, vez por outra, de estar se afastando da página.

5-     A toalha vermelha, de Fernando Vilela, Brinque Book

É ilustrado com técnica que usa fita crepe – textura que serve de moldura à viagem que se inicia na superfície da Terra e conduz, cada página servindo de lupa, ao fundo do mar. Detalhe: o autor transmite extensa informação sobre fauna e flora do planeta em sua narrativa visual.

6-     É o bicho!, de Jean-Claude R. Alphen, Editora Cia das Letrinhas

Livro ilustrado que se serve de formas geométricas e cores vivas para apresentar ao leitor infantil o nascimento de um desenho: em suma, como surge a ideia artística.

7-     Telefone sem fio, de Ilan Brenman e Renato Moricomi, Cia das Letrinhas

A ideia é de Brenman, que convidou o amigo Moriconi para ilustrar o jogo do “telefone sem fio” – sem palavras, só com imagens, o encadeamento de situações é divertido e bastante imaginativo. Os desenhos são resultado de pintura a óleo, tamanho gigante, causando impacto em cada página.

8-    Cantiga de trem, de Sandra Lopes, Editora Prumo

O tema em destaque é transportado a bordo de uma Maria-Fumaça que percorre o território das cantigas populares mais conhecidas do nosso folclore. O livro, que conta com ilustrações de Renato Moriconi, tem tamanho grande (30cm x 18cm)  serve de introdução ao público mirim de aspectos fundamentais da cultura brasileira.

9-     Raio de Sol, raio de Lua – de Celso Sisto, Prumo

Trata-se de um conto popular do Senegal adaptado para o público infantil por Celso Sisto com ilustrações de Mauricio Negro que, a propósito, utilizou areia, pigmentos e grafismos de etnias africanas para ressaltar o conteúdo narrativo.

10-  Não vou dormir, de Christiane Gribel, Global Editora

Desenho e história tratam dessa situação tão peculiar do cotidiano infantil. O livro ajuda papai e mamãe a refletirem sobre as razões de seu filho resistir ao sono, assim como o respeito aos limites da criança e àqueles impostos por eles próprios. Tudo apresentado de modo delicado, atraindo a identificação da criança (e dos pais) desde o primeiro contato.