“Literatura, muito prazer”

29/7/2013 – 17:52h

Semana passada (22/7), publicamos uma matéria sobre o Salão do Livro Infantil e Juvenil de Minas Gerais _ que será realizado no período de 9 a 18 de agosto, na Serraria Souza Pinto, em Beagá _ mostrando o trabalho da curadora Sandra Bittencourt, que priorizou uma “linguagem de afeto” ao montar uma programação para o evento capaz  de  “abraçar e emocionar” os visitantes a cada dia.

Hoje, vamos comentar m ais detalhadamente sobre esta programação. A começar pelo tema deste ano, “Literatura, muito prazer”. Segundo a organizadora, é possível tratá-lo com múltiplas linguagens e, sendo assim, ela planejou uma programação a partir de sete eixos básicos que distinguem a “palavra em movimento”: oficinas, espetáculos teatrais, narrações de histórias, cinema, pontos de vista, exposição e “O escritor lê para mim”.

“Parte do cronograma de atividades do Salão do Livro visa promover e estimular a leitura literária, explorando os diversos suportes do segmento infantil e  juvenil (editoras e os equipamentos culturais), utilizando, como conteúdo privilegiado de todas as atividades, temas que assegurem a educação literária. O mesmo será tratado com sensibilidade, emoção, colocando em prática o princípio de que é preciso mostrar a arte da palavra’ e suas ‘múltiplas linguagens’ em ação, destacando ideias tão necessárias ainda de que o conhecimento deve necessariamente principiar pelos sentidos”.

A palavra em movimento

Ainda segundo Sandra Bittencourt: “Por que estudar, ler, degustar, viver a literatura? Por que uma notícia de jornal dura apenas o durável e dura enquanto dura o dia? Já esta mesma notícia, transformada em um poema, dura uma eternidade. Que poder tem estas palavras que, praticamente, são as mesmas e têm a eternidade como companheira?  Quando começamos a ler e a escrever, as palavras nos levam para mares nunca antes navegados. A literatura, como toda a arte, é uma transfiguração do real, e a realidade recriada, através do espírito do artista, é retransmitida, através da língua para as formas, que são os gêneros, e com os quais ela toma corpo e nova realidade. No texto literário, a palavra além de informar, esclarecer, iluminar, ela tem outra função, que é de produzir literatura. Neste contexto, a palavra funciona como objeto artístico, capaz de provocar, modificar, iluminar a realidade do mundo e a nossa realidade”.

Próximo post: como os sete eixos básicos entram na programação do Salão do Livro.