“Lição das horas” será lançado em BH

29/8/2013 – 19:18h

A escritora e jornalista Angela Leite de Souza e a editora Miguilim lançam em Belo Horizonte a nova edição do livro “Lição das horas”, com projeto gráfico e ilustrações de Luiza Pessoa. O lançamento acontece no dia 31 de agosto, sábado, na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, na Praça da Liberdade, às 10h, com entrada franca. Durante o evento, haverá esquete poético-musical dirigida por Érica Lima.

Angela Leite é autora de uma série de hacais, cujo ponto de partida é o tempo

“Lição das horas” teve a primeira edição lançada em 1990 e reúne uma série de hacais, cujo ponto de partida é o tempo. No mesmo ano, ganhou o “Selo Altamente Recomendável” da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Apesar de sempre ter tido uma escrita sintética, a experiência de Angela Leite de Souza com o gênero poético de origem japonesa só aconteceu no final da década de 1980.

O projeto gráfico original, também assinado por Luiza Pessoa, trazia os hacais impressos em folhas soltas, organizadas numa caixa. Na edição de 2013, o livro foi encadernado com capa dura e traz maior número de ilustrações.

A autora

Nascida em Belo Horizonte, onde reside, Angela Leite de Souza morou grande parte de sua vida no Rio de Janeiro, onde se formou em comunicação pela PUC-Rio. Exerceu o jornalismo em alguns órgãos da imprensa, mas, a partir da publicação do livro “Amoras com açúcar”, em 1982, passou a se dedicar à literatura. Tem mais de cinquenta títulos publicados, sobretudo no gênero infantojuvenil. É também ilustradora, tendo participado de exposições dentro e fora do país. Obteve diversos prêmios nacionais, entre eles o “Casa de las Américas”, de Cuba, pelo livro “Estas muitas Minas”, da Editora Record, em 1997.

Editora Miguilim

Com mais de 30 anos no mercado literário nacional, a Editora Miguilim foi pioneira na publicação de livros para jovens e crianças no Brasil e reuniu educadores como Antonieta Cunha, Bartolomeu Campos de Queirós e Terezinha Alvarenga. Lançamentos e reedições seguem a tradição da editora em apresentar projetos gráficos bem cuidados, valorizando a diversidade de temas e o trabalho de escritores e ilustradores mineiros. Entre os prêmios que recebeu, destaque para o Jabuti de literatura infantil e o João de Barro nacional.

3ª Jornada Literária da Rede Municipal

28/8/2013 – 19:40h

A Secretaria Municipal de Educação (Smed) recebe até esta sexta-feira, dia 30, inscrições para a 3ª Jornada Literária da Rede Municipal de Educação. Nesta edição o tema é “Histórias de Famílias”. Podem participar as escolas que desejam produzir um livro com textos literários de estudantes do 3º ciclo, em Língua Portuguesa e Língua Inglesa (categorias 1 e 2, respectivamente), relato individual de prática pedagógica com a oficina “Histórias de Famílias” do professor de Língua Portuguesa, Arte ou Língua Inglesa (categoria 3) e relato individual de participação na 3ª Jornada Literária do profissional que atua na biblioteca: bibliotecário, auxiliar de biblioteca ou professor em readaptação funcional.
A 3ª Jornada Literária busca desenvolver as capacidades de escrita e leitura contidas nas proposições curriculares da Rede Municipal de Educação. Valoriza o letramento literário como importante instrumento de aprendizagem e ensino nas disciplinas de Língua Portuguesa e Língua Inglesa, explorando os gêneros textuais contos, poemas e imagens para o desenvolvimento da temática “Histórias de Família”. Os autores dos textos e ilustrações são os estudantes.
Haverá duas fases, a escolar e a municipal. Na fase escolar, que ocorre até outubro deste ano, os professores desenvolverão oficinas sobre o tema da 3ª Jornada para que os estudantes produzam os textos e livros. A municipal compreende o envio do(s) livro(s) para a Smed até o dia 18 de novembro. Os livros serão selecionados por uma comissão. As cinco melhores obras da categoria 1 e 2 e as três melhores obras das categorias 3 e 4 receberão certificado de participação.

O projeto

A Jornada Literária é uma ação educativa, integrante do projeto 3º Ciclo – Sujeitos e Práticas, que tem como objetivo final a produção de um livro literário. A obra se caracteriza pelo trabalho coletivo e as atividades são planejadas e debatidas nos laboratórios de aprendizagem de Língua Portuguesa, Língua Inglesa e Arte. Em 2011, em sua primeira edição, as escolas do 3º ciclo produziram 59 livros com o tema “Histórias de Ruas”. Em 2012, com a temática “Sons, Cores, Imagens e Sabores: Áfricas no Brasil”,foram produzidos 57 livros.
Todas as ações são pensadas, planejadas e desenvolvidas por meio de dinâmicas que buscam a ampliação dos conhecimentos linguísticos dos estudantes do 3º ciclo. Essas ações favorecem a aprendizagem, buscando o diálogo entre as intervenções pedagógicas dos professores e dos profissionais da biblioteca.

Sai o decreto do Vale-Cultura

27/08/2013 – 21:08h

Foi regulamentada ontem, 26 de agosto,  a Lei nº 12.761 que institui o Programa de Cultura do Trabalhador e cria o Vale-Cultura. Deste regulamento, a Câmara Brasileira do Livro destacou os seguintes pontos:

Define o valor que pode ser descontado do trabalhador para concessão do benefício, proporcionalmente à remuneração:

Acima de cinco salários mínimos e até seis salários mínimos: 20%

Acima de seis salários mínimos e até oito salários mínimos – 35%

Acima de oito salários mínimos e até dez salários mínimos – 55%

Acima de dez salários mínimos e até doze salários mínimos – 70%

Acima de doze salários mínimos: 90%

A dedução do imposto fica limitada a 1% do IRPJ com base no lucro real e o benefício é isento sobre a renda de pessoas físicas.

A possibilidade de adesão ao Programa pelas pessoas tributadas pelo lucro presumido ainda está em discussão no âmbito do Poder Legislativo, por meio da Medida Provisória (MP) nº 620.

A desvinculação do Vale-Cultura à previsão orçamentária na Lei Orçamentária Anual (LOA) também está em discussão no Poder Legislativo (MP nº 618).

Conheça a íntegra do decreto publicado no Diário Oficial da União no link: www.cbl.org.br/upload/VALE_CULTURA .PDF.

Como estimular o hábito de leitura

26/8/2013 – 9:36h

A Revista Crescer, de agosto, apresenta dez dicas úteis para pais e professores tornarem a leitura uma atividade prazerosa para as crianças desde cedo, inclusive nos tablets.

Foto: Revista Crescer

1. O primeiro – e principal – passo é dar o exemplo. Tenha livros em casa e, o mais importante: leia com (e para) a criança. “Pais leitores terão mais facilidade para criar o mesmo hábito nos filhos”, afirma Gislene Gambini, proprietária da livraria Novesete, em São Paulo.

2. Vá com as crianças a espaços culturais, como os Sescs _ em BH, a Biblioteca Pública, na Praça da Liberdade _ onde sempre há eventos relacionados ao universo literário, como contações ou peças de teatro adaptadas de livros.

3. Em bibliotecas e livrarias, em vez de deixar a meninada sozinha explorando as prateleiras, ajude a escolher as obras mais adequadas e leia as histórias. Aproveite a ocasião para ensinar que é preciso cuidar do livro – ou seja, que não vale rasgar, amassar ou rabiscar as páginas.

4. Em casa, deixe os livros em locais de fácil acesso para o seu filho. Para a bibliotecária Luciana Marques da Silva, que trabalha na Biblioteca de São Paulo, vale ter exemplares na caixa de brinquedos, na banheira e no berço (e não só na estante).

5. E ainda vale outra dica: não basta apenas deixar os livros à vista das crianças. “É preciso ‘fazer a ponte’, criar o interesse. O pai precisa ser o mediador nessa relação”, diz Paula Yurie, coordenadora educativa do Espaço de Leitura, no Parque da Água Branca, em São Paulo.

6. Leia para o seu filho na hora de dormir, mas crie também outros momentos de leitura no dia a dia: depois das refeições, na volta da escola… Seu filho vai visitar o amigo? Coloque o livro preferido dele na mochila. E se no fim de semana vai receber os amigos dele em casa, incentive uma roda de leitura. A partir da história de um livro, pode surgir uma brincadeira.

7. Mesmo que seu filho ainda não saiba ler, deixe que ele conte o enredo à sua maneira. E lembre-se: crianças costumam pedir pela mesma história mais de uma vez.

8. Leia para seu filho desde bebê. Invista em livros de tecido, de plástico, cartonados, com texturas, pop-ups (os mais simples, não os muito elaborados) e deixe que ele “brinque” com as páginas. Assim, ele já se familiariza com o objeto.

9. “Tocar a tela de um tablet é como virar a página de um livro”, diz Christine Fontelles, diretora de educação do Ecofuturo. Ela acredita que o gosto pela leitura pode ser estimulado tanto a partir de uma plataforma impressa quanto de uma digital. Deixe que as crianças manipulem os apps, portanto, mas esteja por perto, conte aquela história para a criança (assim como faz com os livros).

10. Os livros digitais com recursos como sons e animações são mais atraentes. Mas, mesmo nos tablets, não deixe de procurar por obras com boas histórias e adequadas à idade do seu filho.

O sonho de liberdade dos bichos

Neste sábado tem espetáculo no Teatro da Maçonaria: A Turma de Madagascar - Foto: Divulgação

23/8/2013 – 21:06h

Animais presos no zoológico resolvem fugir em busca do sonho de liberdade. Esta é a história de A Turma de Madagascar, que fica em cartaz no Teatro da Maçonaria (Av. Brasil, 478) nos fins de semana até o dia 21 de setembro e só é apresentado aos sábados, 17 horas. No elenco, Elias Lima, da Cia Passos de Teatro, Cleyton Fagundes, Elias Lima, Kele de Souza e Pâmela Côrtes. Texto e direção de Roberto Freitas.

Ingressos custam R$ 34 (inteira), R$ 17 ( meia) e R$ 14 (Sinparc – Mercado das Flores e loja FNAC do BH Shopping).

**********

O grupo de cantores Na casca do ovo e a turma do site Devoradores de livros, neste sábado, fazem o show na Rádio Maluca - Foto: Divulgação

Devoradores de livros

O programa-show Rádio Maluca deste sábado vai ter como tema “Devoradores de livros”. A garotada vai mostrar se gosta mesmo de ler. Todos devem levar livros para trocar no final do programa. Para cantar pra turma, o grupo Na casca do Ovo.

Para contar a história do dia, a contadora de histórias Eliana Pimenta. Vai ter ainda o lançamento do site “Devoradores de livros” (www.devoradoresdelivros.com.br). E para apresentar uma matéria sobre o tema do dia, o repórter mirim, Lucas Arruda.

Rádio Maluca acontece aos sábados, das 11h às 12h, no Teatro Sesi, (Av. Graça Aranha, 1, pertinho da Cinelândia, no Rio). O programa é transmitido pelas Rádios Nacional (AM 1130) e (MEC AM 800), ao vivo.  Quem está fora do Rio e quer se divertir com as brincadeiras  pode acessar a internet www.radiome.com.br/online para ouvir a Rádio Maluca.

Tudo pronto para a Bienal do Rio

22/8/2013 – 20:57h

A Bienal Internacional do Livro do Rio completa três décadas neste ano com número recorde de autores internacionais: 27 confirmados, ante 21 na edição de 2011. Novos espaços voltados a temas como o futebol, por conta da Copa-2014 no país, e a convergência entre cultura e tecnologia. Evento começa na próxima  semana.

A programação completa da 16ª edição da Bienal do Rio, com mais de cem encontros literários entre 29 de agosto e 8 de setembro, grandes best-sellers, como Nicholas Sparks, James C. Hunter e Sylvia Day, a nomes elogiados pela crítica, como Cesar Aira, Mia Couto e Emma Donoghue. Na área de não ficção, destacam-se a americana Mary Gabriel, biógrafa de Karl Marx indicada ao Pulitzer, e o britânico Will Gompertz, ex-diretor da Tate Gallery e autor de “Isto É Arte?” (Zahar). Devem receber a atenção juvenil nomes como o americano Corey May, roteirista dos jogos eletrônicos “Assassin’s Creed”, e Matthew Quick, do recente sucesso “O Lado Bom da Vida” (Intrínseca).

“A grande característica do Café Literário é essa pluralidade. Vamos ter do cult ao mainstream, do autor recolhido na sua concha ao autor que se comunica, o autor consagrado e o autor emergente”, disse Ítalo Moriconi, curador pela terceira vez da programação central, que neste ano ganhou reforço de 11 autores alemães, num trabalho feito em parceria com o Instituto Goethe e a Feira de Frankfurt.

Espaços especiais

A programação do Placar Literário, com curadoria do jornalista João Máximo, tratará da literatura de futebol, com debates sobre escritores tradicionais que abordavam o tema em crônicas, como Paulo Mendes Campos e Carlos Drummond de Andrade, e entre autores contemporâneos que têm  ficções a respeito, como Marcelo Backes e Sérgio Rodrigues. “Nunca se editou tanto livro de futebol no Brasil como agora”, disse Máximo.

O novo espaço para adolescentes é chamado #acampamento, remete ao #você + quem =?e sua curadoria ficou sob responsabilidade do historiador João Alegria. Já o tradicional espaço infantil se chamará Planeta Ziraldo, com homenagem ao autor que costuma gerar filas quilométricas de autógrafos. Daniela Thomas e Felipe Tassara ficaram responsáveis pela cenografia e curadoria.

O espaço Mulher & Ponto, com curadoria de Bianca Ramoneda, incluirá discussões sobre a nova literatura erótica e a arte de envelhecer, além de um debate sobre a obra de Lygia Fagundes Telles, autora de “As Meninas”, que completou 90 anos em 2013.

Além dos novos espaços culturais, haverá pela primeira vez um salão de negócios para profissionais do mercado. Como neste ano a Bienal homenageia a Alemanha _ parte das comemorações que culminarão com a presença do Brasil como convidado de honra da Feira do Livro de Frankfurt, em outubro _ haverá presença maciça de editores daquele país, além de estarem confirmadas as presenças de editores e agentes dos Estados Unidos, Canadá, Chile e Gana.

Cerca de 170 mil alunos das redes públicas e particular de ensino do Rio foram cadastrados para a visitação escolar ao evento. Cada um deles receberá uma Nota Bienal, no valor de R$ 5,50, para ajudar na aquisição de livros. O evento acontece no Riocentro (av. Salvador Allende, nº 6.555, Barra da Tijuca), das 13h às 22h em 29 de agosto; das 9h às 22h nos demais dias úteis; e das 10h às 22h nos fins de semana.

Fonte: Diário do Nordeste

********

A Câmara Brasileira do Livro divulgou a data da 23a Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que irá acontecer de 22 a 31 de agosto de 2014, no Pavilhão de Exposições do Anhembi.

Feira mostra o Brasil ao mundo

21/8/2013 – 19:37h

A Feira Internacional do Livro de Frankfurt 2013, que acontece de 9 a 13 de outubro, será especial para o País. É que nesta edição, o Brasil será homenageado e a produção editorial ganha maior destaque no evento. O já tradicional estande brasileiro coletivo, localizado no Hall 5.1, teve o espaço ampliado para 700 metros quadrados para abrigar as mais de 150 editoras que irão expor seus livros e projetos editoriais.

A participação brasileira tem a organização dos ministérios da Cultura e das Relações Exteriores, Fundação Biblioteca Nacional (FBN), Fundação Nacional de Artes (Funarte) e Câmara Brasileira do Livro (CBL). O Brasil, pela segunda vez (a primeira foi em 1994) é o País Homenageado da Feira do Livro de Frankfurt, a maior e mais importante do gênero no mundo. Além disso, mais de 70 autores representarão os escritores brasileiros no evento.

Internacionalização

A participação brasileira em Frankfurt reafirma o interesse do mercado editorial na internacionalização do livro. A CBL, por meio do projeto Brazilian Publishers, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), oferece todo o suporte para que as editoras divulguem suas obras e autores em feiras no exterior e em ações que possibilitam a prospecção de novos mercados, atestando a qualidade da produção editorial brasileira.

Na Feira de Frankfurt, especificamente, os expositores do estande coletivo do Brasil terão todo o suporte para acompanhar a dinâmica de negociações e absorver as melhores práticas de mercado, além de participações em palestras e visitas guiadas aos diversos estandes e eventos durante a Feira.

Para a presidente da CBL, Karine Pansa, a oportunidade que o Brasil tem nesta edição da Feira Internacional do Livro de Frankfurt é única para o  setor do livro. “A nossa produção estará no foco das atenções do mercado mundial, com isso, as oportunidades de crescimento de negócios são inúmeras”, aponta. “A Feira de Frankfurt também é o momento para o País mostrar sua cultura ao mundo”, observa Karine Pansa.

Clássicos da Mônica de 50° aniversário

20/8/2013 – 20:24h

Assim como Bidu, em 2009; Cebolinha, em 2010; Chico Bento, em 2012 e Cascão, neste ano, Mônica também ganhará uma edição especial de luxo em homenagem aos seus 50 anos de vida editorial. Este é apenas mais um álbum da longa lista de lançamentos comemorando o cinquentenário da personagem criada por Mauricio de Sousa.

Mônica – 50 Anos (formato 19 x 27,5 cm, capa dura, 160 páginas, R$ 65,00) traz uma coletânea de histórias que marcaram a trajetória da dentucinha ao longo dos anos, desde a clássica Mônica é daltônica até o estilo em mangá da Turma da Mônica Jovem.

O lançamento será na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, que será realizada de 29 de agosto a 8 de setembro.

Fonte: Universo HQ

A força de um abraço

18/8/2013 – 19:46h

Na programação do último dia do Salão do Livro Infantil e Juvenil de Minas Gerais hoje foi dia da apresentação do esquete teatral sobre a história do livro que a Editora Miguilim lançou no evento: “O abraço das Cores”, de Rosa Maria Miguel Fontes, ilustrações de Nelson Tunes.

O texto do esquete foi adaptado pela própria autora do livro e a montagem envolveu 10 atores dirigidos por Elias Lima da Cia Passos de Teatro. O espetáculo teve a participação especial de Babu Xavier, da Trupe Maria Farinha, na música e efeitos especiais. Os atores que atuaram no esquete são: Maria Elis, Barbara Vieira, Kadu Barcelos, David, Natália Dias, Igor Alves, Wallace Eice, Nayara Cristina e Júlia Fontes.

A história de “O Abraço das Cores” parte de um personagem real, Camila, que gosta muito de colorir, porém, despreza o Vermelho. Daí em diante, prevalece a criatividade da autora para contar que a cor desprezada foi influenciada por este sentimento e por isso acordou aborrecida e mal-humorada.

Seu comportamento grosseiro afeta as demais cores, que se desentendem e experimentam sério conflito. Camila também é influenciada pela discórdia entre as cores e não consegue mais colorir, por que seus lápis ficam duros e imóveis como estátuas.

Em consequência da desunião, as cores se sentem fragilizadas e ameaçadas por vários fenômenos seguidos: o dia fica escuro, surgem fortes estrondos, o arco das cores balança fortemente e é banhado por uma água fria. O medo experimentado é grande e, para se protegerem das ameaças, elas se abraçam. Assim, recordam como é seguro e bom viver em harmonia.

Surge o Sol, então, para explicar para as cores que as brigas, o mal-humor e as palavras feias também agridem a natureza que também ficou brava e a consequência disto foi a tempestade. As cores aprenderam a lição. Mais do que isto descobriram que unidas formam o arco-íris tão admirado por todos, inclusive por Camila.

Fim de semana no Salão do Livro

15/8/2013 – 20:20h

O livro infantil exclusivamente com imagens ainda gera polêmica principalmente entre os educadores.  Artístico e intrigante, entretanto, a modalidade encanta as crianças. Curiosas e fantasiosas, elas são capazes de criar histórias fantásticas em cima das ilustrações que visualizam. Saber conduzir estas crianças na “leitura” do livro-imagem é um desafio presente no 2° Salão do Livro Infantil e Juvenil de Minas Gerais, que nos dias 16 e 17/8 tem a participação de André Neves e Maurizio Manzo, dois ilustradores muito respeitados no mercado editorial, em várias atividades.

No sábado, dia 17, às 14:30h, na Arena Mundo da Bonequinha Preta, o Salão vai receber Pedro Bandeira, o autor de literatura juvenil mais procurado no Brasil e, na categoria, o mais famoso no mundo: até o ano passado, ele somava 80 títulos publicados e mais de 23 milhões de exemplares vendidos. O escritor vai participar de um bate-papo descontraído e educativo com crianças, jovens e adultos. Ao final, fará uma sessão de autógrafos dedicada aos seus fãs. Ele é o autor da série “Os Karas 2”, “O fantástico mistério de Feiurinha”, “A marca de uma lágrima” entre outros.

Lançamentos

Ainda no sábado, a Editora Miguilim (ligada ao grupo de distribuidoras Fimac e Boa Viagem com as quais divide o estande durante o Salão) promove vários lançamentos. Desde que o grupo adquiriu a Miguilim, uma das mais tradicionais editoras de livros infantis de Minas, há aproximadamente quatro anos, Alexandre Machado vem comandando a editora, inclusive como editor. A Miguilim passou por uma renovação e certamente já conquistou o mercado c om seus livros artisticamente produzidos.

Quem visitar o Salão do Livro, neste fim de semana, vai constatar isso ao participar das atividades de lançamentos da Miguilim: sábado, às 16:30, no auditório Sylvia Orthof, Alexandre Machado programou um show com o Coral Infantil para apresentação do livro da maestrina Kênia Chantal, “Violino para os pequeninos”.  À noite, às 19:00h, na Arena Mundo da Bonequinha Preta, mais lançamentos da Miguilim: “Lua no Varal” e “Isca de pássaros é peixe na gaiola”, de Antônio Barreto, um autor que neste Salão está comemorando 30 anos dedicados à literatura infantil.

No domingo, dia 18/8, às 11:00h, na Arena Mundo da Bonequinha Preta, será a vez de lançar o meu segundo livro pela Editora Miguilim: “O abraço das cores”, que foi ilustrado por Nelson Tunes. O grupo Passos do Teatro, em sua maior parte formado por ex-alunos do Net (Núcleo de Estudos de Teatro), com sonoplastia do Babu Xavier (da Trupe Maria Farinha), vai encenar a história de “O abraço das cores”. À tarde, às 17:00h, também na Arena da Bonequinha Preta, será o momento da Miguilim apresentar “Lição das horas”, de Angela Leite, ilustrado por Luiza Pessoa.