Feira mostra o Brasil ao mundo

21/8/2013 – 19:37h

A Feira Internacional do Livro de Frankfurt 2013, que acontece de 9 a 13 de outubro, será especial para o País. É que nesta edição, o Brasil será homenageado e a produção editorial ganha maior destaque no evento. O já tradicional estande brasileiro coletivo, localizado no Hall 5.1, teve o espaço ampliado para 700 metros quadrados para abrigar as mais de 150 editoras que irão expor seus livros e projetos editoriais.

A participação brasileira tem a organização dos ministérios da Cultura e das Relações Exteriores, Fundação Biblioteca Nacional (FBN), Fundação Nacional de Artes (Funarte) e Câmara Brasileira do Livro (CBL). O Brasil, pela segunda vez (a primeira foi em 1994) é o País Homenageado da Feira do Livro de Frankfurt, a maior e mais importante do gênero no mundo. Além disso, mais de 70 autores representarão os escritores brasileiros no evento.

Internacionalização

A participação brasileira em Frankfurt reafirma o interesse do mercado editorial na internacionalização do livro. A CBL, por meio do projeto Brazilian Publishers, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), oferece todo o suporte para que as editoras divulguem suas obras e autores em feiras no exterior e em ações que possibilitam a prospecção de novos mercados, atestando a qualidade da produção editorial brasileira.

Na Feira de Frankfurt, especificamente, os expositores do estande coletivo do Brasil terão todo o suporte para acompanhar a dinâmica de negociações e absorver as melhores práticas de mercado, além de participações em palestras e visitas guiadas aos diversos estandes e eventos durante a Feira.

Para a presidente da CBL, Karine Pansa, a oportunidade que o Brasil tem nesta edição da Feira Internacional do Livro de Frankfurt é única para o  setor do livro. “A nossa produção estará no foco das atenções do mercado mundial, com isso, as oportunidades de crescimento de negócios são inúmeras”, aponta. “A Feira de Frankfurt também é o momento para o País mostrar sua cultura ao mundo”, observa Karine Pansa.