O garoto e a floresta mágica

27/11/2013 – 21:15h

Criador de cenários para games em celulares e tablets, Marcel Nilo, de 24 anos, sai do digital e passa para o papel ao escrever e ilustrar seu primeiro livro.

Julian era um garoto muito pobre que nunca conheceu o pai, não tinha irmãos e vivia com a mãe, sempre ocupada. Sem ter ninguém para brincar, aquele garoto passava muito tempo sozinho em casa sem TV nem videogame. Mas, apesar de humilde, sua casa tinha um quintal muito grande e ele um poder enorme para um garoto de sua idade: uma imaginação transbordante. Um dia, sua pipa arrebenta no céu e aquele garoto vai parar numa aventura dentro da misteriosa Floresta Mágica.

Ao iniciar a jornada, um homenzinho aparece montado em um bode e aquele garoto percebe algo inusitado. Quem falava com Julian não era o homenzinho, mas o bode. Esse é apenas o começo da aventura narrada em 80 páginas. Em “Aquele garoto e os segredos da Floresta Mágica”, Marcel Nilo convida o leitor a acompanhar Julian, enquanto enfrenta perigos nesse lugar encantado e repleto de surpresas para recuperar sua pipa perdida. Aquele garoto encontra no caminho duendes invejosos, feitiços assustadores, anões valorosos e até participa de uma corrida contra o tempo para impedir um terrível mal.

O jovem autor de 24 anos, que também é ilustrador, modelador e artista 3D, sempre gostou de contar histórias de mundos fantásticos e sonha em criar um universo mágico que ficará como legado para as futuras gerações. “Para escrever e ilustrar meu primeiro livro, busquei inspiração em grandes mestres como J. R. Tolkien e Walt Disney, que são meus ídolos desde criancinha”, revela Nilo.

Atenta aos novos talentos do segmento infanto-juvenil, a Editora Terceiro Nome resolveu apostar nesse jovem e criativo autor. “Seu envolvimento com a produção de games e aplicativos para celulares aproxima Marcel Nilo dessa geração de leitores conectados à internet 24 horas por dia”, conta Mary Lou Paris, diretora da Terceiro Nome.