Brasileiro vence “Nobel” da literatura

O brasileiro Roger Mello ganhou o Prêmio Hans Christian Andersen como Ilustrador

24/3/2014 – 21:23h

Logo no primeiro dia da Feira Internacional do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha, que está sendo realizado até o dia 27, na Itália, chega a notícia de que o ilustrador brasileiro Roger Mello (foto) é o grande vencedor do Prêmio Hans Christian Andersen, considerado o Nobel da literatura infanto-juvenil. Ele já fora nomeado para o prêmio outras duas vezes e, este ano, conquistou de fato a láurea, o que deixou muito orgulhosos os brasileiros participantes do importante evento literário.

A Editora Companhia das Letras compartilhou a premiação com o mercado editorial através do seu blog: “Estamos todos aqui, na Feira do Livro de Bolonha, e muito emocionados com esse prêmio, mais que merecido, que Roger acaba de receber. Roger é o primeiro ilustrador da América Latina a receber um reconhecimento dessa importância, o que abre as portas também para o Brasil e para o trabalho tão relevante que nosso país tem feito na área da literatura infantil. Roger Mello é um grande artista, um grande pesquisador e um grande inovador. Além do mais, ele está sempre nos desafiando com projetos tão originais como ousados; nos  ajudando a crescer como editora e nos forçando a querer ser sempre mais. Os livros que o Roger criou para a Letrinhas estão exposto aqui, em Bolonha,  para o nosso imenso orgulho. Parabéns, Roger: nosso amigo, nosso artista, nossa inspiração.

A ilustradora e escritora Sandra Ronca comemorou a premiação de Roger Mello na sua página em uma rede social e ainda mencionou outros brasileiros que também mereceram a mesma conquista: “Hans Christian Andersen é também o nome do mais importante Prêmio da Literatura Infantil e Juvenil. Os brasileiros que já o conquistaram: Lygia Bojunga, como escritora, em 1982; Ana Maria Machado, como escritora, em 2000; e agora, Roger Mello, como ilustrador. Parabéns, Roger Mello! Parabéns, Brasil!”

Outra escritora e ilustradora, integrante da Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil, Marília Pirillo, também homenageou o vencedor na rede social:  “Alegria, alegria! O talentoso e mui querido Roger Mello é o vencedor do Prêmio Hans Cristian Andersen 2014. Parabéns, é merecidíssimo!”

O escritor mineiro, Leo Cunha, está em Bolonha, e de lá postou: “Hoje foi dia de muita festa e emoção aqui na Feira de Bolonha. O genial Roger Mello é o primeiro latino-americano a ganhar esse prêmio, como ilustrador. Tenho o orgulho de ter alguns livros ilustrados por ele: Em boca fechada não entra estrela, Na marca do pênalti, O dinossauro. Viva a literatura infantil brasileira, cada vez mais ocupando lugar de ponta no mundo”.

Este ano, o Prêmio Hans Christian Andersen distinguiu uma escritora do Japão: Nahoko Uehashi, de 52 anos, é conhecida pela coleção juvenil Moribito Series. Ela ganhou o prêmio como Autora. Os universos ficcionais criados por Nahoko Uehashi exaltam a cultura japonesa e suas histórias falam de honra, destino e sacrifício, combinando uma dimensão moral e espiritual, afirmou o júri.

Roger Mello e Nahoko Uehashi receberão a distinção em setembro, no congresso internacional do IBBY, no México.

O ilustrador

Roger Mello, escritor e ilustrador brasiliense, nasceu em 20 de novembro de 1965. Artista plástico, Roger Mello é formado em Desenho Industrial e Programação Visual. No início de sua carreira, trabalhou ao lado de Ziraldo e também se dedicou ao desenho animado e à produção de vinhetas para TV. Roger Mello tem conquistado diversos prêmios por seus trabalhos como ilustrador, autor de livros de imagem e livros para criança, e também como dramaturgo. Em 2002, “Meninos do Mangue” foi o grande destaque nos concursos literários, recebendo, da Câmara Brasileira do Livro, dois Jabutis (de Melhor Ilustração e de Melhor Livro Juvenil) e, da Fundação “Espace Enfants” (FEE), Suíça, o Grande Prêmio Internacional. Para o teatro, ele escreveu os textos de “Uma história de boto-vermelho” (1992), “O país dos mastodontes”, “Curupira” e “Festa no céu.” Roger Mello tornou-se hors-concours dos prêmios da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ).