Livro deve ser prioridade

12/3/2014 – 19:38h

No evento para entrega simbólica do Vale-Cultura, ontem, na Editora e Livraria Saraiva, em São Paulo, estiveram presentes vários dirigentes ligados ao mercado editorial, o que deu um destaque aos livros em relação aos outros produtos e serviços culturais da abrangência do benefício.

A Ministra de Cultura, Marta Suplicy, afirmou: “Com a presença de todos que aqui estão hoje, conseguimos um gol que é essa união para que consigamos fazer dos livros uma das prioridades no Vale”, disse Marta Suplicy ao iniciar sua fala. A ministra lembrou aspectos importantes que devem fazer com que os livros sejam um dos principais objetos de compra com o cartão. Além de citar o encantamento gerado pela leitura, “a gente começa em um livro e acaba indo para outro”, a ministra ressaltou a importância da leitura na atual conjuntura do país: “As classes que estamos incluindo com o  Vale-Cultura dão muita atenção à educação. As classes C, D e E têm como prioridade, a educação dos filhos”.

Jorge Saraiva Neto, diretor-presidente da empresa, destacou o impacto que a cultura tem na vida das pessoas: “Os bens culturais mudam as pessoas, transformam nossas vidas positivamente”. O empresário completou dizendo que oVale-Cultura vai “gerar uma ampliação na produção de bens culturais”. A empresa, além de fornecer o Vale-Cultura para os funcionários, já o aceita em suas lojas.

As perspectivas do Vale-Cultura para o mercado editorial foram tratadas pela presidenta da Câmara Brasileira do Livro, Karine Pansa. Segundo ela, em uma estimativa de o Vale chegar a 800 mil trabalhadores, se cada um comprar um livro por mês, o mercado deve crescer até 5% em comparação aos dias atuais. Karine ainda disse que, quando o Programa atingir sua meta final, de abranger 42 milhões de pessoas em todo o País, um livro por mês comprado por trabalhador significaria a venda de 42 milhões de exemplares mensais ou 504 milhões por ano. Este volume representa um aumento de 87,66% dos livros vendidos no Brasil em 2012, por exemplo.

Diante da plateia com tanta representação do setor editorial, Marta Suplicy ainda falou sobre algumas medidas que estão sendo tomadas para o incentivo à leitura no Brasil. Ao lado de José Castilho Marques Neto, secretário executivo do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL), a ministra anunciou que a programação e meta estabelecida para 2014 é enviar e aprovar, no Congresso, o projeto de lei do PNLL. Também anunciou o lançamento de editais para o estímulo a autores e para o fomento a leitura que deve ser feito entre as duas próximas semanas.

Para Maurício de Sousa, autor de personagens clássicos das literaturas infantil e juvenil brasileira, como Mônica, Cebolinha, Cascão, entre tantos outros, “o Vale-Cultura é uma ideia maravilhosa, gera a descoberta de uma nova faixa de leitores que estava meio escondida, era um nicho que precisávamos atingir”. Ele também estava presente à cerimônia que foi marcada por ampla presença do setor ligado à produção de livros no Brasil e autores.

Estiveram lá também, presidentes e/ou representantes da Associação Brasileira de difusão do Livro, Associação Brasileira de Editores de Universidades, Associação Brasileira de Autores de Livro Educativo, Associação Brasileira de Editores de Livros Escolares, Associação Nacional de Livrarias, Instituto Pró-Livro, Liga Brasileira de Editores, Rede de Escritoras Brasileiras, Sindicato Nacional dos Editores de livro e a União Brasileira de Escritores.

Fonte: Ascom / MinC