Dia Nacional do Livro Infantil

18/4/2014 – 18:57h

O Brasil comemora em 18 de abril o Dia Nacional do Livro Infantil numa homenagem à data de nascimento do escritor Monteiro Lobato. Nos últimos anos, a frase do criador de tantos livros, histórias e personagens memoráveis, ou seja, “Um país se faz com homens e livros” está mais próxima de ser uma realidade.

A principal pesquisa realizada no Brasil sobre Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro, pela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) com orientação da CBL (Câmara Brasileira do Livro) e SNEL (Sindicato Nacional dos Editores de Livros), em 2012, constatou que são lançados pelas editoras brasileiras em torno de 55 mil novos títulos dirigidos ao público infantil.

O Levantamento Anual do Segmento de Livrarias, feito pela ANL (Associação Nacional de Livrarias), em 2011, apontou que o setor infantojuvenil foi o que mais cresceu em vendas, desbancando a literatura estrangeira e de autoajuda. Em 2012, outra pesquisa também organizada pela ANL, em parceria com a GFK Brasil, registrou que os livros para o público infantil e juvenil alavancam as vendas em datas comemorativas, como Natal e Dia das Crianças.

Mercado digital

O livro eletrônico, a internet e o avanço de tablets e smartphones entre as crianças, não inibem o uso do livro de papel. Na avaliação de Elizabeth D´Angelo Serra, secretária-geral da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, “são duas coisas independentes. Temos que aprender a conviver com isso. Não temos que ter medo desta nova mídia. O que precisa é haver um equilíbrio. Se as crianças só tiverem o tablet e o celular, mas não tiverem oportunidade de conviver com o livro em papel, aí haverá um desequilíbrio. Se os pais e os educadores souberem balancear isso, não há problema algum”.

Ela revela outros dados que confirmam o crescimento do mercado dos livros infantojuvenis impressos: atualmente existem pelo menos 120 editoras brasileiras que publicam obras para essa faixa etária e que oferecem cerca de 30 mil títulos em português. “O livro em papel ocupa mais espaço do que antes com o leitor juvenil, por incrível que pareça. É um período em que a mídia eletrônica se fortaleceu, mas os livros para crianças aumentaram muito mais e os autores se multiplicaram. Todas as nossas escolas públicas hoje têm livros de literatura, por compras de governos ou de projetos. Os professores se preocupam muito mais com a formação leitora das crianças”.

Além das vendas, existem outros motivos para comemorar o Dia Nacional do Livro Infantil e um deles se refere à qualidade editorial das obras lançadas pelos profissionais brasileiros, de reconhecimento internacional, e aqui se incluem autores, ilustradores, revisores e editores.