Vendas crescem e preço médio cai

22/7/2014 – 21:35h

As editoras brasileiras venderam ao mercado 279,66 milhões de livros, em 2013, representando um aumento de 4,13% em relação aos  268,56 milhões de exemplares de 2012. Já as vendas de exemplares ao governo tiveram crescimento de 20,41%. Em 2013, foram 200,30 milhões de exemplares ante 166,35 milhões em 2012.

Quanto ao faturamento, o crescimento nominal do setor editorial brasileiro, considerando mercado e governo, em 2013, foi de 7,52%, com R$ 5,35 bilhões. Esse percentual significa um crescimento real de 1,52% considerada a variação de 5,91% do IPCA em 2013. Entretanto, desconsideradas as compras feitas pelo governo, o crescimento nominal foi de 5,90%. Ou seja, considerada a variação do IPCA de 5,91%, as vendas ao mercado não sofreram alterações positivas ou negativas, dado que o crescimento real foi de 0%.

Os dados são relativos à Pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da Universidade de São Paulo (FIPE/USP), sob encomenda da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e do Sindicato dos Editores de Livros (SNEL), divulgada nesta terça-feira (22/7), na sede do CBL, em São Paulo. O levantamento abrange os segmentos básicos do setor do livro: o mercado (editoras, livrarias e outros pontos de venda) e o governo (que compra das editoras por meio de programas como o Plano Nacional do Livro Didático – PNLD).

Cai preço médio constante do livro

Outra constatação da pesquisa é a de que o preço médio constante do livro ao mercado apresentou queda de 4,%, considerada a variação do IPCA de 5,91%.  Porém, o preço médio corrente do livro cresceu 1,70% em 2013, em relação ao ano anterior. O subsetor que apresentou maior elevação dos preços foi o de Religiosos (14,60%), seguido do Científicos, Técnicos e Profissionais – CTP (8,74%) e Didáticos (4,70%). O subsetor Obras Gerais apresentou queda de 2,94%. A venda de e-books aumentou 225,13 % de 2012 para 2013, contudo, ainda representa uma parcela muito pequena do faturamento total do setor.

A importância da pesquisa

“A comparação entre o desempenho do setor editorial, a cada ano, permite analisar tendências e resultados. É importante conseguirmos enxergar qual dos segmentos está obtendo melhores resultados, qual o canal de distribuição está crescendo, qual a área temática está com tendência de crescimento ou de queda”, comenta Sônia Jardim, presidente do SNEL.