Sugestões de presentes para crianças

9/10/2014 – 23:10h

“A gente é monstro”, Editora Cia das Letras

O filme “Os Boxtrolls”, que está em exibição em mais de 300 salas por todo o Brasil, é uma animação baseada no livro “A gente é monstro”, de Alan Snow, Cia das Letras. Nesta fábula inventiva, um mundo cheio de criaturas incríveis _ em alguns casos terríveis, em outros hilárias _ é palco de uma aventura divertida, nos moldes clássicos. Fartamente ilustrado por desenhos em branco e preto do próprio autor.

Ovo, um garoto criado por estranhas e amáveis criaturinhas catadoras de lixo, tem seus amigos presos por Archibald Snatcher, o vilão da cidade. Ele elabora um plano ousado e tenta descobrir um caminho para resgatar seus amigos desse malvado exterminador.

“Hikôki e a mensageira do Sol”, Editora Miguilim

Já imaginou como seria a vida se o dia fosse permanente e a luz do Sol brilhasse ininterruptamente? Seria o Reino do Sol e, talvez, a vida das pessoas fosse bem diferente…

O livro “Hikôki e a mensageira do Sol”, de autoria da editora do Blog Conta uma História, Rosa Maria Miguel Fontes, ilustrações Maurizio Manzo, editora Miguilim, conta a história de um pássaro (tão veloz quanto um avião), que voa alto e para muito longe da Terra. Ele sempre visita um lugar mágico habitado por um velho sábio que deseja contar uma novidade para todo mundo: o Sol nunca mais vai embora. Este sábio, no entanto, não sabe como falar para as pessoas sobre o Reino do Sol.

Hikôki conta para este sábio sobre uma menina, Ana Laura, que ama os raios da luz do dia e que, por isso, pode ajudá-lo. O pássaro, então, convida a menina para conhecer o sábio e o lugar mágico. Curiosa, a menina aceita e descobre a alegria de viver num lugar constantemente iluminado e capaz de transformar as pessoas.

“O abraço das cores” – Editora Miguilim

Esta é a história da menina Camila, que adora colorir. Certo dia, ela decide ignorar o Vermelho e sua atitude tem repercussão no arco das cores: a cor acorda irritada e acaba importunando as demais. O Laranja tenta acalmar o Vermelho, mas não consegue. O Amarelo também e é humilhado. O Violeta pede tolerância e é mais uma cor que fracassa. Chega o momento de o Verde entrar em ação, porém, ele acaba brigando com o Azul e o Anil. A discórdia se generaliza dentro do arco das cores.

Uma forte tempestade interrompe a briga entre as cores. Assustadas com o vento forte, raios e trovões, as cores decidem se abraçar e, neste momento, relembram como era bom viverem unidas. Em seguida, o tempo muda e elas são banhadas pelos raios de Sol. A luz do astro-rei revela para as cores que juntas formam o admirado arco-íris e que todas elas são belas e importantes.

A autoria deste livro também é da jornalista Rosa Maria Miguel Fontes e as ilustrações de Nelson Tunes.

“Zero, pra que te quero?”, Editora FTD

Junto com o fogo, a roda, o telefone e a televisão, o algarismo zero foi uma das criações mais importantes da humanidade. Relacionado à noção de “vazio” e de “nenhum”, o número se torna um elemento essencial no sistema decimal. E para ajudar as crianças que estão no primeiro ano do ensino fundamental a entender essa questão, um bom recurso pode ser a literatura.

Na obra “Zero, pra que te quero?”, Editora FTD, o autor Gianni Rodari fala, de forma lúdica, do valor posicional do algarismo zero na matemática. A história foi ilustrada por Elena Del Vento e tem números como personagens: Zero se sente completamente sem valor, não merecendo nem a atenção dos colegas. Até que o Um pega carona com ele e, sentados lado a lado, descobrem que juntos podem ter outro significado. O texto, em forma de versos, aborda metaforicamente a questão de que todos têm um valor.

“A trilha da sua vida”, Editora Alaúde

Este livro traz 12 canções para alegrar a garotada e incentivá-la a adotar hábitos saudáveis. Inspirado em sua experiência de pai, o músico Giancarlo Gerbelli criou os personagens Tico e Papito. Ao som de rock, blues, reggae e outros ritmos, os dois estimulam as crianças a comer direito, mastigar bem os alimentos, escovar os dentes, tomar banho, brincar bastante e ficar menos diante da tela da TV e do computador.

Tico, Papito e as letras das canções ganham vida nas páginas do livro por meio de lindas aquarelas, que acrescentam mais uma dimensão ao trabalho – texto, ilustrações e música para encantar jovens leitores. O CD com as canções acompanha o livro.

Através de suas experiências e convivência com seus filhos, o autor Giancarlo resolveu criar o CD e logo após teve a ideia do livro. E para compor a equipe do seu projeto, ele chamou o seu tio Primo Augusto Gerbelli e seu primo para cuidarem da ilustração. Esse trabalho traz como ponto principal a convivência entre pais e filhos e o dia a dia das famílias.

“Cozinhando no quintal”, Editora Terceiro Nome

Este livro traz à tona uma brincadeira típica da infância, mas que infelizmente poucas crianças têm a oportunidade de praticar, por que não moram em casas ou não têm quintal: brincar de fazer comidinha. Escrito pela educadora Renata Meirelles, idealizadora do projeto Território do Brincar, o livro “Cozinhando no quintal, que foi lançado há poucos dias, nasceu a partir da experiência vivida por ela e pelo documentarista David Reeks entre abril de 2012 e dezembro de 2013, quando percorreram diversas regiões brasileiras – incluindo comunidades rurais, indígenas e quilombolas, grandes metrópoles e localidades no sertão e no litoral.

“Cozinhando no quintal” mostra, por meio de registros fotográficos, como as crianças utilizam com criatividade os elementos ao seu redor na hora de brincar de cozinhar, fazendo comidinhas com ingredientes encontrados no quintal, como flor, lama, grama, folhas e sementes. As fotos dos pratos dos pequenos chefs vêm acompanhadas de textos com informações sobre os ingredientes escolhidos e o modo de preparo.