Grande Sertão Veredas em HQ

6/2/2015- 19:08h

Acompanhando a tendência do mercado editorial de histórias em quadrinhos, de transformar clássicos da literatura em graphic novel, a Biblioteca Azul, da Globo Livros, lançou “Grande Sertão: Veredas”, romance  escrito por Guimarães Rosa, no século passado.

A princípio, esta tendência põe em xeque a capacidade do gênero HQ de preservar o texto original, especialmente nesta obra, de vocabulário tão típico, que é um traço do autor e o distingue com um dos melhores do Brasil. Na adaptação, este item foi um desafio e o leitor vai encontrar a tal linguagem, tão singular de Guimarães Rosa, juntamente com as imagens e quadrinhos.

Com roteiro do ilustrador, artista plástico e diretor de cinema Eloar Guazzeli, a adaptação confere à obra um ritmo cinematográfico. De acordo com a avaliação dos editores, a arte assinada por Rodrigo Rosa não se limita a retratar as paisagens do sertão, mas explora os seus contrastes. Do sol escaldante às noites mal iluminadas, a natureza se torna um elemento narrativo, que compõe o clima do romance gráfico.

“Longe de ser uma adaptação que simplifica um clássico, a graphic novel respeita a complexidade de “Grande Sertão: Veredas”. O objetivo era alcançar um equilíbrio entre texto e imagem que estimulasse a imaginação do leitor, com o objetivo de tornar a HQ fluída como o monólogo de Riobaldo, sem descaracterizar a profundidade da obra”, afirmam.

O processo de transposição do universo de Guimarães Rosa para a HQ levou quase três anos. Foram realizados diversos estudos para definir a aparência dos personagens, a seleção dos trechos e a definição dos enquadramentos.  O projeto gráfico é outro destaque desta edição de luxo. A lombada tem a costura aparente e o livro é envolto por uma luva de PVC. Além de proteger o volume, a luva e capa projetadas pela designer gráfica Fernanda Ficher criam um jogo visual que dialoga com o romance, suas surpresas e revelações.

Ler “Grande Sertão: Veredas” é uma experiência marcante. A graphic novel convida os fãs do romance a redescobri-lo e apresenta aos novos leitores a grandeza de um dos maiores títulos da literatura brasileira.

Fique sabendo:

O lançamento tem tiragem limitada e numerada de 7 mil exemplares.

As 600 páginas do romance original foram reduzidas para 180 páginas de HQ.

Preço: R$ 199,90.

Outros clássicos que também foram transformados em graphic novel: “O Cortiço”, de Aluísio Azevedo; “Triste Fim de Policarpo Quaresma”, de Lima Barreto; e “Dom Casmurro”, de Machado de Assis, da série Clássicos Brasileiros em HQ, da Editora Ática.

Vem aí: “O Bem-Amado”, de Dias Gomes, e “Vidas secas”, de Graciliano Ramos.

“A banda na garagem”

5/2/2015 – 16:47h

Esta coletânea dá sequência ao projeto da Edelbra Editora, iniciado com o livro “Deu no jornal” (2008), de publicar uma amostra das crônicas escritas por Moacyr Scliar entre 2008 e 2010 no jornal Folha de S. Paulo. Em suas crônicas semanais, o autor mostra o lado fantástico da vida real, criando histórias inspiradas em notícias do jornal.

“A banda na garagem” reúne 25 dessas crônicas, selecionadas por Regina Zilberman, em que o autor consegue transformar os fatos cotidianos em literatura leve e humorada. Da descoberta da vuvuzela como instrumento musical à patrulha do beijo, das campeãs de judô aos jogos do Facebook, nada escapa ao seu olhar atento.

Moacyr Scliar nasceu em Porto Alegre (RS), em 23 de março de 1937, e faleceu na mesma cidade em 27 de fevereiro de 2011. Foi autor de mais de 70 livros em vários gêneros. Conquistou diversos prêmios literários, como, por exemplo: três prêmios Jabuti e o Casa de las Americas, em 1989. Seus livros foram traduzidos em vários países. Foi colunista dos jornais Zero Hora, Folha de S. Paulo e Correio Brasiliense. Médico, especialista em Saúde Pública e Doutor em Ciências pela Escola Nacional de Saúde Pública. Ocupou a cadeira 31 da Academia Brasileira de Letras.

Mensagem do ano

3/2/2015 – 17:29h

A Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), que representa no Brasil a entidade máxima da literatura infantil em todo o mundo, IBBY (International Board on Books for Young People), desde 1967 vem comemorando o Dia Internacional do Livro Infantil (DILI) da seguinte forma: no início de cada ano é divulgada uma mensagem para ser estudada, analisada, difundida em todos os países com representação. Espera-se que escritores, editores, ilustradores, escolas, professores, instituições afins, imprensa e o mercado, entre outros, adotem a mensagem e, através dela, se preparem para as comemorações do DILI.

O IBBY escolheu o aniversário do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, 2 de abril, para celebrar também o DILI. Desde então, uma seção nacional do IBBY se candidata para criar a mensagem e ilustração que será divulgada pelas seções em seus países, buscando chamar a atenção para a importância da literatura infantil na formação de leitores.

A mensagem desse ano veio dos Emirados Árabes Unidos, cuja seção IBBY foi instituída em 2009. A escritora Marwa Al Aqroubi e a ilustradora Nasim Abaeian, selecionadas para a criação do texto e imagem da mensagem, não têm livros publicados no Brasil e a divulgação de seu trabalho para o DILI traz uma ótima oportunidade para os editores brasileiros conhecerem os autores dos Emirados Árabes Unidos, promovendo assim países pouco conhecidos aqui.

A diversidade cultural e o imaginário contidos na literatura infantil e juvenil foram as propostas para a mensagem do DILI este ano. Em Muitas Culturas Uma História, os personagens tradicionais das histórias infantis mostram como a literatura trata de questões universais em qualquer país, apresentando a cultura árabe às crianças.

A seção nacional IBBY dos Emirados Árabes Unidos (UAE IBBY) foi criada após o pedido de adesão do país ser aprovado por unanimidade pelo IBBY e anunciada oficialmente em outubro de 2009. Os Emirados Árabes Unidos são formados por uma confederação de monarquias árabes soberanas, situadas no sudeste da Península Arábica, na fronteira com Omã e com a Arábia Saudita. Os sete emirados são Abu Dhabi, Dubai, Sharjah, Ajman, Umm al-Quwain, Ras al-Khaimah e Fujairah. Abu Dhabi, segunda maior cidade do país, é a capital.

A inclusão dos Emirados Árabes Unidos amplia ainda mais o alcance da LIJ, trazendo uma rica cultura para troca de experiências e livros entre as seções IBBY.

A escritora

Marwa Obaid Rashid Al Aqroubi é uma das figuras proeminentes na indústria do livro infantil nos Emirados Árabes Unidos e ocupa o cargo de Presidente da Diretoria Executiva da seção do IBBY nos Emirados Árabes (UAEBBY), uma das principais organizações envolvidas com a promoção da cultura das crianças, fomentando a leitura e incentivando os profissionais da indústria do livro a desenvolver seu trabalho. Aqroubi contribui significativamente para promover o prêmio Etisalat de Literatura Árabe para Crianças, criado em 2009 e uma dos maiores e mais importante premiação do gênero, além do Ler, Sonhar, Criar: campanha de incentivo à leitura lançada pela UAEBBY para apoiar as habilidades das crianças de ler, escrever e serem criativas. Como parte da iniciativa, ela participa frequentemente de sessões de leitura para crianças com o objetivo de fortalecer o interesse por livros.

No nível cultural internacional, a escritora é membro do Comitê de Conselheiros do fundo Sharjah-IBBY e também compartilha dos objetivos de apoiar a criação de uma cultura de leitura e fornecer livros para crianças que as vidas foram interrompidas pela guerra, desordem civil ou desastres naturais na região da Ásia Central e Norte da África. Ela recentemente participou de uma visita em maior escala organizada pelo emirado de Sharjah ao campo de refugiados dos Emirados da Jordânia, em apoio a filhos de refugiados sírios, e estava envolvida na inauguração da biblioteca

Grande coração para as crianças do refúgio. Al Aqroubi concluiu seu bacharelado em Ciências da Informação da Universidade Zayed, em Dubai e ocupou o cargo de gerente de desenvolvimento de negócios do escritório executivo de Sheikha Bodour bint Sultan Al Qasimi. Desde a publicação de seu primeiro livro Ahmed El Helou (Doce Ahmed), no qual ela embarca em uma jornada para explorar o patrimônio cultural e as tradições dos Emirados Árabes. O universo de escrever livros para crianças e promover sua cultura tornou-se seu primeiro interesse.

A ilustradora

Nascida em 1980 em Isfahan, Irã, Nasim passou a infância e teve o ensino fundamental em Genova, Itália, em um meio artístico cheio de inspiração. Em 2003 ela se formou bacharel em Comunicação Visual pela Universidade Americana de Sharjah e logo foi para os Estados Unidos terminar um mestrado em ilustração no Savannah College of Art and Design.

Atualmente, Nasim faz parte do corpo docente do departamento de Arte e Design da universidade de Zayed e trabalha como ilustradora freelance de livros para criança.

Texto da mensagem

Muitas culturas, uma história

Marwa Obaid Rashid Al Aqroubi

“Falamos muitas línguas, temos diferentes origens e ainda partilhamos das mesmas histórias. Histórias internacionais… histórias folclóricas

É a mesma história contada para todos nós

Em diversas vozes

Em diversas cores

Ainda permanece inalterada…

Começo…

Enredo…

E Final…

Ainda a mesma história que conhecemos e amamos

Escutamos todos ela

Em diversas versões por diversas vozes

Permanece ainda inalterada

Há um herói… uma princesa… e um vilão

Não importa suas línguas

Seus nomes

Ou suas faces”.