Projeto de literatura da Faber-Castell

25/3/2015 – 12:42h

Contos de fadas em formato acessível para crianças e adultos com deficiência visual serão distribuídos para escolas, bibliotecas e instituições de apoio à inclusão em todo o País.

A Faber-Castell do Brasil está patrocinando o projeto Coleção Clássicos Acessíveis, uma iniciativa desenvolvida pela Fundação Dorina Nowill para Cegos que visa aumentar o acesso das pessoas com deficiência visual à leitura.

Chapeuzinho Vermelho, Branca de Neve, Bela Adormecida, Cinderela, João e Maria, João e o Pé de Feijão, Os Três Porquinhos, Peter Pan, Robin Hood e Rapunzel foram os títulos selecionados para serem impressos seguindo o conceito de livro inclusivo. Os exemplares são impressos em braille e fonte ampliada, possui relevos nas imagens, além de serem ilustrados de maneira caprichada e com cores vibrantes.

Foram produzidas 3 mil unidades, que chegarão gratuitamente às bibliotecas, escolas públicas e instituições que atuam com o público com deficiência visual em todo o Brasil. Os kits são compostos por 10 exemplares (um de cada título) acompanhados por um CD com a leitura da história em versão com e sem audiodescrição. Em breve os livros também estarão à venda no site da Fundação Dorina e no Dona Dorina Outlet.

O projeto Coleção Clássicos da Literatura Infantil, em formato acessível, foi viabilizado por meio do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac). A realização e iniciativa são da Fundação Dorina Nowill para Cegos em parceria com o Ministério da Cultura e Governo Federal.

Vale lembra que a marca Faber-Castell é líder mundial na produção de EcoLápis de madeira plantada e sua história, que começou na Alemanha. em 1761, se confunde com a própria criação do lápis. A empresa possui escritórios em mais de 100 países. No Brasil, onde está presente desde 1930, três fábricas (São Carlos-SP, Prata-MG e Manaus-AM) e 9.600 hectares de floresta cultivada (também em Prata-MG) são as responsáveis pela produção de 1,9 bilhão de EcoLápis por ano.