Se cachorro vira lata, será que lata também pode virar cachorro?

29/5/2015 – 10:54h

Amanhã, sábado, dia 30 de maio, em Belo Horizonte, tem um programa imperdível para as crianças que gostam de histórias cheias de surpresa e muitas aventuras. O escritor Leo Cunha, que já escreveu uns 50 livros para a meninada e com eles ganhou muitos e os mais importantes prêmios literários, vai lançar agora “Vira-lata” pela FTD Educação. Este é o nome do livro. O lançamento com sessão de autógrafos e narração da história vai ser às 11:00 horas, na Fnac do BH Shopping.

“Há anos não lançava meus livros em Belo Horizonte. Mas dessa vez eu fiz questão: afinal de contas, com o “Vira-lata” eu consegui trazer pra literatura infantil um sujeito muito bacana: o Luiz Henrique Magalhães, meu amigo filósofo, colega de UniBH há quase 20 anos”, conta Leo Cunha.

O livro é uma parceria entre os dois amigos, que lecionam na mesma faculdade, no curso de Jornalismo. Mas como surgiu a ideia de escrever “Vira-Lata”? Um dia, Luiz Henrique contou que, quando criança, da primeira vez que ouviu falar em cachorro vira-lata, ele ficou pensando: se cachorro vira lata, será que lata também pode virar cachorro?

Leo Cunha, sempre inspirado e pronto para criar novas histórias, adorou o caso contado pelo amigo. “Aí pensei num personagem, o Chico, que é o garoto que quer muito um cachorro de estimação, mas não tem como comprar. Quando ouve falar do cachorro vira-lata, ele fica se perguntando se lata também poderia virar cachorro”, explica Leo.

Num trecho da história, os autores falam assim sobre Chico:

“Tentou puxar da memória histórias de pessoas e bichos que se transformam em outros. Um dia, ouviu seu pai falando que chegou atrasado ao trabalho e o chefe virou uma fera. Já imaginou? Um homem se transformando em fera?

Vai ver era igual ao caso do lobisomem, que sua avó tanto contava… Dizia que na cidadezinha de Nossa Senhora Não sei das Quantas, um coronel virava lobisomem nas noites de lua cheia.

E, lá na escola mesmo, Chico não tinha estudado a transformação da lagarta em borboleta? É verdade. Ele até viu uma lagarta virando borboleta.

Mas um cachorro… como podia virar lata?”

Esse é o ponto de partida para uma aventura bem divertida, repleta de imaginação e fantasia. Daí em diante, Chico inventa vários planos mirabolantes para transformar as latas em cachorro:

“Falar uma palavra mágica bem poderosa”. Mas qual?

“Pegar aquela toalha de banho do Batman, já bem velha, esquecida no fundo da gaveta, para substituir a capa do mágico”. E daí?

“Produzir um pó de pirlimpimpim caseiro, a partir de ervas e condimentos da cozinha de sua casa”. Será que funciona?

“Juntar uma palavra mágica com uma dança em volta de uma fogueira igual fazem alguns indígenas”. Pode ser.

Para ter certeza mesmo se estes planos funcionam ou não; se Chico transformou latas em cachorro; ou como ele conseguiu um vira-lata só lendo a história que, com certeza, vai ser mais um sucesso do Leo Cunha, do parceiro Luiz Henrique Magalhães e do ilustrador Jean-Claude R. Alphen.