Campanha de arrecadação de livros

20/6/2015 – 21:08h

Em Belo Horizonte, a Fundação Municipal de Cultura está promovendo uma ampla campanha de arrecadação de livros até o dia 28/6 nos Centros Culturais e de Referência, Bibliotecas, Museu Histórico Abílio Barreto e na sede da própria Fundação, na Rua da Bahia.

“Compartilhe a leitura. Doe um livro”. Este é o mote da campanha que integra a pré-temporada do 1º Festival Literário Internacional de Belo Horizonte, que será realizado de 25 a 28 de junho, no Parque Municipal. No próprio local, durante o Festival, também haverá arrecadação. O objetivo é mobilizar a cidade em torno da importância da literatura e da circulação de livros.

O destino dos livros arrecadados na campanha será as bibliotecas comunitárias de Belo Horizonte, além de pontos de ônibus da cidade, para integrar o Projeto Ponto do Livro. A pessoa que está à espera do ônibus, pode pegar um livro, levar para casa, ler, e, se quiser, poderá devolver em algum ponto. A campanha estimula a doação de livros de literatura em qualquer um dos pontos de arrecadação.

“Belo Horizonte tem ficado literária nos últimos tempos. É o FLI que está percorrendo a cidade desde o início de abril, com encontros, oficinas, rodas de leitura, narrações de história, saraus, palestras, mostra de cinema e diversas outras ações atinentes ao universo da leitura e da literatura. A ideia é que os livros que arrecadarmos neste um mês de campanha possam circular e atingir cada vez mais os cidadãos belorizontinos. Desta forma, podemos confirmar cada vez mais Belo Horizonte como a cidade que mais lê.”, afirma Leônidas Oliveira, presidente da Fundação Municipal de Cultura de BH.

Ponto do Livro

O Ponto do Livro é um projeto colaborativo de compartilhamento de livros nos pontos de ônibus da cidade. “Temos como princípio a ação e construção coletiva para transformação social, cultural e educacional”, assinalada Pedro Ivo, que promove a iniciativa em Belo Horizonte. O projeto, que iniciou suas atividades com apenas 1 ponto de compartilhamento, hoje já está presente em 7 pontos, espalhados em 4 cidades. São eles: 3 em Belo Horizonte, 1 em Nova Lima/MG, 1 em Patos de Minas/MG, e 02 no Rio de Janeiro.

Todos os pontos são empreendidos através de parcerias colaborativas, ou seja, instituições/organizações ou coletivos parceiros que adotam um Ponto do Livro e passam a ser responsáveis pelo compartilhamento diário de livros.

Por meio do mecanismo: Leve > Leia > Traga > Doe, o Ponto permite a redistribuição, reutilização e recirculação de livros pelas cidades. Além de disso, fomenta ideais de compartilhamento, colaboratividade, e apropriação dos espaços públicos.

O FLI-BH

O Festival Literário Internacional de Belo Horizonte acontecerá entre 25 e 28 de junho, no Parque Municipal. O evento nasce da convergência de políticas públicas de acesso ao livro, à leitura e à literatura que a Prefeitura, através, da Fundação Municipal de Cultura, desenvolve. Atualmente, são 20 bibliotecas espalhadas pela cidade, que contam com um acervo em permanente formação. Por ano, são cerca de 160 mil pessoas atendidas, 40 mil empréstimos de livros e realizadas 800 atividades de incentivo à leitura.

Além de ser a culminância das ações destinadas ao acesso ao livro e a promoção da leitura na capital mineira, um festival inteiramente dedicado à literatura era demanda antiga de escritores, ilustradores, editores, livreiros e leitores da cidade, que queriam um grande evento para a literatura, nos mesmos moldes dos festivais já realizados pela Fundação, como o Festival Internacional de Teatro, o Festival Internacional de Quadrinhos e o Festival de Arte Negra.

Locais de arrecadação:

  • Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte – Rua Carangola, 288 – Térreo – Bairro Santo Antônio.
  • Biblioteca Regional Bairro das Indústrias. Rua dos Industriários, 265, Bairro Novo das Indústrias.
  • Biblioteca Regional Renascença. Rua Muqui, 199 – Bairro Renascença.
  • Centro Cultural Alto Vera Cruz. Rua Padre Júlio Maria, 1577 – Bairro Alto Vera Cruz.
  • Centro Cultural Jardim Guanabara. Rua João Álvares Cabral, 277 – Bairro Floramar
  • Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado. Rua Ministro Hermenegildo de Barros, 904 – Bairro Itapoã.
  • Centro Cultural Liberalino Alves de Oliveira. Av. Presidente Antônio Carlos, 821 – São Cristóvão
  • Centro Cultural Lindéia Regina. Aristolino Basílio de Oliveira, 445 – Bairro Regina.
  • Centro Cultural Padre Eustáquio. Rua Jacutinga, 821 – Bairro Padre Eustáquio.
  • Centro Cultural Pampulha – Rua Expedicionário Paulo de Souza, 185 – Bairro Urca.
  • Centro Cultural Salgado Filho. Rua Nova Ponte, 22 – Bairro Salgado Filho.
  • Centro Cultural São Bernardo. Rua Edna Quintel, 320 – Bairro São Bernardo
  • Centro Cultural São Geraldo. Rua Silva Alvarenga, 548 Bairro – São Geraldo.
  • Centro Cultural Urucuia. Rua W3, 500 – Bairro Urucuia.
  • Centro Cultural Venda Nova. Rua José Ferreira Santos, 184 – Bairro Novo Letícia.
  • Centro Cultural Vila Fátima. Rua São Miguel Arcanjo, 215 – Vila Nossa Senhora de Fátima.
  • Centro Cultural Vila Marçola. Rua Mangabeira da Serra, 320 – Bairro Serra.
  • Centro Cultural Vila Santa Rita. Rua Ana Rafael dos Santos, 149 – Vila Santa Rita.
  • Centro Cultural Zila Spósito. Rua. Carnaúba, 286 – Bairro Jaqueline.
  • Centro de Referência da Moda. Rua da Bahia, 1149 – Centro
  • Museu Histórico Abílio Barreto. Av. Prudente de Morais, 202 – Cidade Jardim
  • Fundação Municipal de Cultura. Rua da Bahia, 888 – Centro
  • Parque Municipal Américo Renne Giannetti, nos dias 25 a 28 de junho. Av. Afonso Pena, 1377 – Centro