Duas boas notícias para começar a semana

30/8/2015 – 19:41h

Presente da Aletria Editora para os professores

1-      Recebemos uma boa notícia da Aletria: em Belo Horizonte, a editora está realizando mais um curso de narração de histórias e, como esta arte é muito importante nas salas de aula, decidiu promover o evento em benefício dos mestres, ou seja, a Aletria faz 10 anos e quem vai ganhar o  presente são eles.

“Todos sabem que em outubro se comemora o Dia dos Professores. O Instituto Cultural Aletria está antecipando o presente para essa categoria profissional tão importante para a formação de leitores. Por isso, em cada uma das oficinas a serem ministradas no módulo
Avançado do Curso “A Arte de Contar Histórias”, reservamos 10 (dez) vagas para professores, que terão 50% (cinquenta por cento) de desconto”.

O preço normal de cada oficina isolada é de R$ 150,00. Os professores pagarão apenas R$ 75,00. Para inscrição e seleção, o interessado deve enviar e-mail para aletria@aletria.com.br dizendo por que se interessa pela oficina, informando o local de trabalho, telefone pessoal e do trabalho e endereço eletrônico.

2-     Livros lideram no Vale-Cultura

Carlos Paiva, secretário de fomento e incentivo à cultura do Ministério da Cultura informou que, desde sua implementação, o Vale Cultura alcançou 376 mil trabalhadores, num valor aportado de R$ 377 milhões. Os itens mais consumidos pelo Vale-Cultura são: livros,  jornais e revistas, com 69%, seguido de cinema, com 21%.

Carlos Paiva ressaltou que o programa possui pontos fortes, como a não incidência de encargos sociais e trabalhistas sobre o valor dispendido, item essencial à adesão de empresas beneficiárias. Assim como a isenção fiscal oferecida a empresas tributadas com base no lucro real, fator que contribui para o crescimento do programa e possibilidade o acúmulo de créditos do Vale-Cultura ao longo dos meses, permitindo a aquisição de produtos/serviços culturais com preço acima de R$ 50,00 pelos trabalhadores beneficiados.

No entanto, ressaltou também desafios a serem ultrapassados, como uma possível interoperabilidade entre cartões e a diminuição da taxa de administração das máquinas das operadoras, além da necessidade de estimular a adesão do poder público.