“O que é Patrimônio Cultural?”

22/10/2015 – 15:59h

Livro escrito pela coordenadora do PAC das Cidades Históricas de Mariana, Anna Maria de Grammont, busca sensibilizar crianças sobre a preservação do patrimônio cultural.

A preservação e o reconhecimento da importância do patrimônio cultural passam pela educação e sensibilização da população, a começar pelas crianças. Pensando nisso, a coordenadora do PAC das Cidades Históricas de Mariana, Anna Maria de Grammont, lança o livro “Aninha Pimenta em: O que é Patrimônio Cultural?!”. O volume, com desenhos da ilustradora Luanna de Cristo, é indicado para crianças de seis a 10 anos e busca exemplificar, de maneira lúdica e divertida, o que representa esta questão para a memória coletiva e individual.

O lançamento será realizado no dia 24 de outubro, às 11h, na Livraria Quixote (Rua Fernandes Tourinho, 274 – Savassi), em Belo Horizonte.

“A escassez e, muitas vezes, ausência de instrumentos de apoio para sensibilização a respeito da preservação do patrimônio é um grande entrave para iniciativas de educação patrimonial. Professores, pais e mesmo administradores interessados na preservação e no uso sustentável de bens históricos necessitam de material de formação e sensibilização das comunidades onde estão inseridos”, argumenta a autora.

O livro trata o tema a partir da observação da história pessoal das crianças e os valores dados a bens materiais e imateriais do próprio cotidiano, para depois expandir a percepção destes sentimentos para os bens de importância coletiva. O título é uma homenagem a Anna Pimenta, mãe da autora, uma forma de inserira a própria história no livro e demonstrar o respeito a esta construção simbólica e emocional que coletivamente circunda o Patrimônio Cultural. “Dessa forma, o princípio básico do trabalho é o estimulo a um laço afetivo em que se considera que os significados e os sentimentos associados ao Patrimônio Cultural são construções simbólicas, existenciais e circunstancializadas’, afirma.

A publicação de “Aninha Pimenta em: O que é Patrimônio Cultural?!” dá início a um projeto ainda mais amplo, que inclui dois outros livros com os temas: “Arquitetura dos Períodos Colonial e Imperial e Planejamento Urbano em Cidades Históricas” e “Cultura e Arte Barroca”, também com foco no público infantil. Todos os títulos foram pensados para funcionar, acima de tudo, como ferramenta pedagógica, de maneira a despertar e conscientizar as crianças e suas famílias a respeito do assunto. “O objetivo é provocar reflexões sobre os principais problemas que as cidades históricas enfrentam como desinformação, falta de cuidado, distanciamento afetivo da comunidade local, entre outras questões. Junto à reflexão, a série pretende apontar experiências e soluções encontradas em outros sítios históricos do Brasil ou do exterior, sempre de forma lúdica e literária”, explica a autora.

A questão da preservação acompanha o trabalho de Anna Maria há bastante tempo. Doutora em Economia Aplicada com o tema Gestão e Desenvolvimento Sustentável Turístico em Cidades Históricas Brasileiras pela Universidade de Málaga, na Espanha, e mestre em Cultura e Turismo, além de especialista em Cultura e Arte Barroca, Anna Maria de Grammont é também autora do livro “Hotel Pilão – um incêndio no coração de Ouro Preto”.

Na obra, a ouro-pretana trata a respeito do acidente ocorrido em 2003, quando o então hotel, localizado na Praça Tiradentes, um dos principais pontos turísticos da cidade, foi consumido pelo fogo, expondo a preocupante situação do município, do ponto de vista da preservação patrimonial, e colocando em risco o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, concedido pela Organização das Nações Unidas (ONU). Atualmente, no local, funciona o Centro Cultural da Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG).