“A diferença que fiz”

24/11/2015 – 19:40h

Lançamento da Editora Évora traz uma história que aborda relações humanas e como uma doença terminal pode modificar comportamentos.

Muitos jovens descobrem o poder de contar uma boa história antes dos 30 anos e resolvem desenvolver esse dom. Foi isso que aconteceu com Rogério Mendonça, o Gutti, que está lançando pelo selo Generale, da Editora Évora, “A Diferença que Fiz”, e traz a história de um jovem bem nascido, Arthur Zanichelli, órfão de mãe, que se rebela contra o pai em uma atitude destrutiva.

Depois de se envolver em um acidente, em que ele atropelou um jovem e destruiu mais um carro, o pai de Zanichelli decide “abandoná-lo” em um hospital especializado em tratamento de crianças e jovens com câncer. Lá, Arthur conhece meninos e meninas e se aproxima de pessoas de sua idade, o que provoca uma verdadeira revolução em seu comportamento.

“A Diferença que Fiz” é uma história de redenção e de relacionamento, já que seu personagem central, o jovem e rebelde Arthur, começa a repensar sua vida a partir do sofrimento das pessoas que ele conhece durante sua estada no hospital. Ele vai conhecendo os pacientes e se preocupa com o estado de cada um – Luca, Tiago, a menina Sara e Yasmim, por quem se apaixona.

“Estou falando do futuro. O futuro é capaz de fazer o que você estiver disposto a fazer. Se uma diferença positiva na vida de algumas pessoas é o que você quer fazer, o futuro vai estar lá para que você atinja esse objetivo. Para o futuro, não importa se você tem só mais um dia pela frente ou um século, nunca é tarde demais”. E Arthur refletia cada vez mais em sua vida e na diferença que pode fazer, a partir de então.

O autor Rogério Mendonça (Gutti) é consultor de negócios e começou a escrever por lazer. Publicou seu primeiro livro, “O preço de uma lição”, em 2011. Após o retorno positivo, não parou mais de escrever para o público jovem e adolescente em colunas na internet e nas redes sociais. Lançou seu segundo livro, “Mais uma chance”, em 2013. Acompanhando o amadurecimento de seus leitores, traz agora “A diferença que fiz” com uma temática madura e menos adolescente.

“A Diferença que Fiz” é uma história de relações humanas, comportamento das pessoas diante de uma doença terminal e como tudo isso pode modificar um ser humano é o novo lançamento da Editora Évora, pelo selo Generale e está disponível em todas as livrarias ou pelo www.editoraevora.com.br A editora também conta com uma likestore no Facebook com descontos em livros do Selo Generale. Para conferir as promoções, acesse: https://www.facebook.com/EDgenerale/app_206803572685797