Projeto literário busca parceiros

15/12/2015 – 23:35h

Três jovens talentosos e altruístas _ o autor Pedro Daher, a ilustradora Gabriela Barenco e a designer Bia Barbosa _ que se dedicam à literatura infantil e à promoção da felicidade das crianças, estão em busca de parceiros para levarem adiante um projeto de comprovada eficácia para os pequenos internados em hospitais: a narração de histórias. Os médicos reconhecem a influência positiva da literatura infantil no tratamento das crianças em especial o poder que a leitura interpretada dos textos têm na recuperação delas.

Pedro Daher, que é voluntário de um trabalho deste gênero num hospital, já deram o primeiro passo. Junto com Gabriela e Bia, criou uma personagem, a Jujuba, e suas próprias narrativas: uma coletânea de histórias curtas que narram as descobertas e aventuras da menina ao lado do pai, da professora, dos amigos e do gatinho. Agora, esses jovens querem iniciar a narração de histórias para as crianças:

“Uma oportunidade de falar sobre assuntos importantes do cotidiano de forma lúdica”, afirma Pedro Daher.

A primeira delas “Jujuba e a porta secreta” (imagem acima) está disponível para download gratuito no site http://www.camillejujuba.com/. Quem acessar vai conhecer a personagem, a história e como fazer contato com esta turma.

“A primeira aventura é mais contemplativa e um pouco abstrata, mas a próxima vai tratar da diferença e a importância dela para construirmos uma sociedade inclusiva. A terceira será sobre diferentes estilos de vida e sociedade, passando das mais utilitárias para as mais ponderadoras. A quarta tratará da necessidade de entendermos que alguns sentimentos, como o medo, a ansiedade e as lágrimas, fazem parte de nós e precisamos liberá-los e não enterrá-los em nosso interior, deixando-os esquecidos. E assim por diante”, explica o autor.

Agora, vem o próximo passo do projeto e dele você pode participar.

“Nosso projeto é de longo prazo e temos planos para o próximo ano, como imprimir versões físicas de nossas histórias para distribuirmos em orfanatos e comunidades carentes e levar as aventuras da Camille para as escolas. Entretanto, ainda estamos começando nossa caminhada e estamos buscando parceiros que nos ajudem, incentivando e divulgando o projeto”, conclui Daher.