Pallas concorre a prêmio de melhor editora

29/2/2016 – 20:51h

A notícia abaixo foi dada por Leonardo Neto, editor do site Publishnews: a Pallas Editora, fundada em 1975, na cidade do Rio de Janeiro, é finalista do Prêmio BOP (Best of Publishing), ou seja, de melhor editora. O prêmio de alcance mundial é concedido pela Feira do Livro de Bolonha que, este ano, será realizada de 4 a 7 de abril, na cidade italiana. Esta é a maior, mais respeitada feira de literatura infantil. A Pallas dedica grande parte de seu catálogo aos temas afrodescendentes e busca a compreensão e valorização das raízes culturais brasileiras.

Com pouco mais de 40 anos, a Pallas tem um catálogo dedicado a temas africanos ou relacionados à cultura afrobrasileira. Casa de importantes nomes da literatura feita na África, como Ondjaki, ou de brasileiros com origens africanas, como Conceição Evaristo, a editora acaba de ser indicada entre os melhores editores de livros infantis da Feira do Livro de Bolonha. Nas Américas Central e do Sul, a Pallas concorre com as mexicanas El Naranjo e Tecolote, com a venezuelana Ekaré e com a colombiana Tragaluz.

Essa é a segunda vez que a Pallas entra no páreo. O Brasil ganhou o prêmio uma única vez. Foi em 2013, quando a Cosac Naify venceu entre os concorrentes das Américas Central e do Sul.

O prêmio, resultado da parceria entre a Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha com a Associazione Italiana Editori (AIE), tem como objetivo dar reconhecimento aos editores que se distinguem pelo caráter criativo e pela qualidade de suas escolhas editoriais.

“É um orgulho enorme ter a editora indicada a esta premiação pela segunda vez. É o reconhecimento da seriedade de nosso trabalho. Estamos muito felizes. Já nos sentimos premiados”, disse Mariana Warth, editora da Pallas. Mariana, a propósito, integrou a missão brasileira de editores que esteve na Alemanha na semana passada, a convite do governo alemão. “Foi muito bom voltar e ter essa notícia. Essa indicação do prêmio é feita pelas editoras participantes da Feira de Bolonha do mundo todo. Mostra que o nosso trabalho no mercado internacional é relevante e se destaca no exterior. Esse trabalho de internacionalização é lento. Esse reconhecimento faz a gente querer continuar. Estamos no caminho certo”, completou.

*Os vencedores serão conhecidos na abertura da Feira, no dia 4 de abril.

*Para conhecer as demais editoras finalistas, clique no link http://www.bookfair.bolognafiere.it/la-fiera/bologna-prize-best-childrens-publisher-of-the-year/nominations-2016/2540.html

Dois livros infantis da Pallas Editora

Os vivos, o morto e o peixe-frito, de Ondjaki

Os vivos, o morto e o peixe-frito é uma peça com treze personagens de origem lusófona: Angola, Moçambique, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde, todos dentro de um mesmo prédio em Portugal. O premiado escritor angolano Ondjaki trata neste livro de temas cotidianos e de como a vida entrelaça as pessoas, agindo como uma grande teia de relacionamentos, que nos faz constatar a cada dia que passa o quanto esse mundo é pequeno. Os conflitos, as variedades culturais e as especificidades linguísticas deste verdadeiro mosaico de urgências, problemas em comum e afetos que se formam na condição de imigrantes em terras portuguesas. O livro foi ilustrado por Vânia Medeiros e mantém o vocabulário e a linguagem característica de cada país, com expressões estranhas ao português falado no Brasil. Um pequeno glossário foi acrescentado ao final do texto com as traduções de algumas dessas palavras.

Caderno de rimas do João, de Lázaro Ramos

Caderno de rimas do João é o primeiro livro do autor e ator Lázaro Ramos publicado pela Pallas Editora. O menino João encanta os leitores com rimas espontâneas e temáticas diversas. Ele nos apresenta, de um jeito divertido, os assuntos de um modo mais colorido. Além do texto escrito por Lázaro Ramos, o livro conta com as ilustrações de Mauricio Negro. Uma combinação que só podia dar certo!