Dia Nacional do Livro Infantil

18/4/2016 – 10:16h

Hoje é o Dia Nacional do Livro Infantil e a data foi escolhida para homenagear Monteiro Lobato, que nasceu neste dia e é considerado o pai da literatura infantil no Brasil. O Dia Nacional do Livro Infantil motiva inúmeros eventos Brasil a fora. São ações bem variadas, mas com o mesmo apelo: mostrar a importância de a criança ter acesso ao livro e à leitura.

Em Belo Horizonte, a Bienal do Livro de Minas Gerais faz sua homenagem ao livro através de sua programação infantil, que busca caminhos para surpreender as crianças. Quem sabe, com um poeta? Hoje, no Quintal de Histórias, às 13:30h e 14:00h, Rafael Fares e Marcos Braccini apresentam “Caderninho sobre o nada”. É um convite para o público conhecer o universo poético do escritor Manoel de Barros.

A apresentação foi elaborada a partir de um encontro com o poeta e nos transporta para o “mundo pequeno” do escritor e de sua vida: qual a matéria de sua poesia e como seu olhar pode transformar a tarde em palavras, a partir de gestos simples. Os artistas farão também uma homenagem ao autor com o “Caderninho sobre o nada”, cena que entrelaça memórias vividas e inventadas com frases, além das “Inutilezas”, brincadeiras com palavras inspiradas no “Livro sobre o Nada”.

A Bienal do Livro de Minas está sendo realizada no Expominas até o dia 24/4.

A editora mineira Lê e a paulista Brinque-Book utilizam as redes sociais para divulgarem suas mensagens alusivas ao Dia Nacional o Livro Infantil. O blog pede licença para compartilhá-las aqui.

**********

Em Curitiba, o projeto “Aprender.digital” promove uma ação de incentivo à leitura para crianças em idade pré-escolar, alunos do Centro de Educação Infantil Augusto Sandino, no bairro Santa Cândida, em Curitiba.  Unir alfabetização e literatura é o objetivo dos organizadores. “Aprender a ler e escrever é um processo mágico que abre as portas de um mundo novo à criança. E este é o momento ideal para conciliar a alfabetização com o prazer da leitura de livros infantis.  Nosso projeto pretende ampliar o número de leitores em nosso país. E para que isso aconteça, deve-se começa desde muito cedo,” explica Naira Passoni.

Idealizadores e autores do livro “O nome da gente”, que enriquece o trabalho escolar de alfabetização, a partir do próprio nome da criança, Naira Passoni e Parahuari Branco, do projeto “Aprender.digital”, tiveram a iniciativa de promover para alunos do pré do C.E.I  Augusto Sandino, a experiência de terem em mãos um livro personalizado com seu nome, feito especialmente para cada um deles, do qual também são personagens.  Hoje, após um dia de contação de histórias na escola, que incluirá clássicos infantis e obras de outros autores, as crianças serão presenteadas com os exemplares de “O nome da gente”.

**********

Em São Paulo, a Fundação Itaú avança com sua campanha “Leia para uma criança”. O acesso à leitura deve ser universal. Pensando nisso, a Coleção Itaú Criança disponibiliza a versão em fonte ampliada e braile. Produzida a pedido da Fundação Itaú Social pela Fundação Dorina Nowill, permite que adultos com deficiência visual também leiam para suas crianças. Atualmente, duas coleções podem ser solicitados:

“Gato prá Cá, Rato para Lá”, de Silvia Orthof (Editora Rovelle) e “Papai!” de Philippe Corentin (Editora Cosac Naify)

“Dorme, menino, dorme”, de Laura Herrera (Editora Livros da Matriz) e “Tatu-balão”, de Sônia Barros (Editora Aletria).

A Coleção é gratuita e os pedidos podem ser feitos pelo Fale Conosco do site www.itau.com.br/crianca.

**********

O site da revista Nova Escola  www.revistaescola.abril.com.br/monteiro-lobato/traz um conteúdo rico sobre o escritor e sua obra com o título: “Monteiro Lobato, o pioneiro da literatura infantil brasileira”. Na abertura, diz assim: “Por tudo que Monteiro Lobato significa – “fundador de nosso imaginário” nas palavras de Marisa Lajolo, “primeiro reformador da prosa brasileira”, para Oswald de Andrade, “dos valores mais indiscutidos da nossa literatura moderna”, para Antonio Candido – é dever da escola incluir no currículo a leitura de suas obras. O encantamento que suas histórias provocam é inesgotável. Não há idade para começar a ler Lobato, e não parar mais.

São inúmeros artigos, análises e a relação dos mais famosos livros de Monteiro Lobato que têm ensinado gerações e gerações o interesse pela leitura. A melhor forma de defender o livro infantil e comemorar a data é curtir essa pesquisa da Nova Escola.