“Pirulito das abelhas”

27/5/2016 – 16:30h

A fábula de Isa Colli, ilustrações de André Lins e lançada pela Chiado Editora, ajudará os professores nos seus planejamentos dinâmicos, promovendo através da fábrica bem-sucedida das abelhinhas, uma experiência prática de caráter empresarial, realçando a importância dessa aprendizagem nos sistemas de educação e formação.

O “Pirulito das Abelhas” é uma fábula que narra a vida de Vivene e Florine, duas abelhas que habitam Moinho, uma aldeia incrível, onde tudo é perfeito.  A autora Isa Colli estimula a imaginação para que, através de uma viagem ao mundo da fantasia, a criança entre em sintonia com os elementos naturais da vida.

Ela acredita que este processo seja fundamental para o desenvolvimento da personalidade e do emocional pueril. Trata os contos e as histórias infantis como instrumentos de trabalho para o aprendizado cotidiano da garotada, enfatizando o respeito mútuo como fator agregador na sociedade.

Com ilustrações bem cuidadas, uma leitura suave, agradável e confortadora, as abelhas desta história nos ensinam a importância de viver em harmonia com a natureza, alertando para a relevância de se empregar na educação dos nossos filhos os valores do trabalho e dos estudos, nobres ferramentas de cunho essencial para o crescimento pessoal e coletivo.

Escrever um livro não é fácil, agora, falar de Isa Colli, aí está uma tarefa muito difícil! Se eu tivesse que defini-la em uma palavra, seria aguerrida. A cabeça dessa moça necessita está em constante funcionamento, inventando, criando, seja uma tela, um desenho, um conto ou um livro. Tenho o cuidado de escrever a sua história a lápis, pois ela sempre se envolve em coisas diferentes, muda de casa, de país, faz novos amigos, mas o que não muda é a paixão pela vida, o gosto pela arte e escrever.

Ítalo-brasileira, natural do Espírito Santo, é apaixonada por criar artigos educativos. Aposta todas as suas fichas na educação infantil, pois sabe que as mudanças vindouras tão necessárias para a melhoria do planeta, dependem exclusivamente dos nossos pequenos.

Filha de pais simples, foi alfabetizada muito cedo. Tomou gosto pela escrita elaborando redações e inventando histórias para os trabalhos escolares. Viveu parte da sua vida em Cachoeiro de Itapemirim, terra conhecida como celeiro de renomados artistas nacionais e internacionais.  Aos 12 anos de idade, recebeu de presente do pai o seu primeiro diário e nele narrava as experiências do seu cotidiano. Os textos espontâneos revelavam medos, afetos, dificuldades e sucessos, reflexões infantis, sem nenhuma pretensão gramatical, mas, com o passar do tempo, as palavras passaram a fluir mais fácil e hoje Isa passa parte do seu tempo entre os amigos imaginários das suas histórias e histórias.