Um super contador de histórias

Pierre André conta histórias há quase 20 anos

Pierre André conta histórias há quase 20 anos

De Belo Horizonte, o nome dele é Pierre André. Para muitas crianças, ele deve ser um super-herói. Por que ele é um contador de histórias vibrante. A fantasia dos contos por ele interpretados emociona a plateia há quase 20 anos. Criativo, ele inventa e reinventa os figurinos que usa; os ambientes onde atua e as formas de motivar as crianças para o livro e a leitura. Isso tudo sem falar noutro hábito deste contador, que nos chama a atenção: quando ele vai como voluntário até às pessoas que mais precisam de sua alegria e da beleza dos seus contos, por que estão contidas pela dor em hospitais, asilos e outras instituições do gênero.

Neste fim de semana, Pierre André estava no Rio de Janeiro e foi visitar o Salão Carioca do Livro, que se encerrou no domingo, 27/11. O Boulevard Olímpico, na Praça Mauá, novo pedaço preferido do carioca, foi escolhido para receber a primeira edição do salão. O espaço se transformou em Boulevard Literário com a presença de escritores, editoras, livrarias e leitores _ um público de 80 mil visitantes, entre elas, Pierre André. Lá, ele descobriu o “Container com livro”, um projeto piloto de biblioteca itinerante dentro de um container, cuja proposta é rodar pelo Brasil. A próxima parada deverá ser em Belo Horizonte. Vamos aguardar.

“Container com livro”: biblioteca itinerante vai rodar pelo Brasil

No Rio, ele conheceu o “Container com livro”: biblioteca itinerante vai rodar pelo Brasil

Enquanto isso, os mineiros têm ótimas oportunidades de ouvirem histórias encantadas pelo talento de Pierre André. Tem a sua “Carroça de Histórias”, que vai cheia de personagens e atrações pra qualquer local em que for chamada e tem também o “Pedal Literário”, que ele criou recentemente.  É uma biblioteca itinerante construída num triciclo para rodar praças, parques e comunidades, contando ou simplesmente lendo histórias. “Meu objetivo é ressaltar a importância do livro”, destaca Pierre. O público, presente em cada apresentação, pode escolher os livros que contêm as histórias que deseja ouvir.

Pierre André está chegando com seu "Pedal Literário"

Pierre André está chegando com seu “Pedal Literário”

“As histórias principais de meu repertório ainda continuam sendo os contos populares. No ‘Pedal Literário’ contarei apenas os contos populares que já foram publicados”, explica o narrador.  É bem provável que a novidade esteja presente no próximo evento do projeto Santa Leitura, que deve ser realizado dia 18 de dezembro, na Praça Santa Tereza. Em 2017, Pierre André tem confirmada a sua participação no Salão do Livro do Vale do Aço, em Ipatinga, onde vai chegar com seu ‘Pedal Literário’.

15179231_1329121963785662_2618187773336096559_n

“Comecei a contar histórias por acaso. Estudei teatro em 1990 por causa da timidez, tomei gosto e, em 1994, me profissionalizei. Mesmo com o DRT em mãos, nunca consegui ‘viver’ do teatro”.

 

 

 

15193583_1329585927072599_8393612976252317422_n“Em 1997 entrei no concurso de contadores de histórias da Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte. Até então, eu nunca tinha contado histórias nem assistido a uma. Queria mais era conhecer aquele mundo da contação. Acabei ficando em primeiro lugar na categoria de histórias para adultos”.

 

15178116_1329620643735794_3391846685065099569_n

 

“De 1997 até 2000, participei do encontro de contadores de histórias da Biblioteca Pública, que acontece até hoje, sempre às sextas-feiras de manhã. E atuava voluntariamente, uma vez por mês, no projeto ‘Era uma vez no domingo”.

 

 

 

 

14680764_1291409557556903_3715971193154341824_n

“Em 2000, a Editora Lê selecionou contadores de histórias para trabalharem no projeto Girolê, onde as crianças de escolas visitavam a editora. Passei na seleção e, assim, me ‘profissionalizei’ contador de histórias”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *