Alessandra Visentin é a homenageada do dia

Dia 20 de março é o Dia Internacional dos Contadores de Histórias. E vai ter festa! Os contadores de histórias de todo o Brasil promovem hoje uma maratona de narração oral com 12 profissionais de diversas partes do país. Durante o evento, a mineira Alessandra Visentin vai receber o Troféu Baobá, prêmio concedido a pessoas que fortalecem a arte narrativa no Brasil.

Alessandra Visentin é a grande homenageada do Dia Internacional do Contador de Histórias - Foto: Pollyana Campos

Alessandra Visentin é a grande homenageada do Dia Internacional do Contador de Histórias – Foto: Pollyana Campos

Griot. Essa é a definição da cultura africana para a pessoa que assume o compromisso de preservar e contar histórias ao seu povo. Mais frequentes em outras eras, os griots transmitiam conhecimento em várias vertentes, como arte, música e demais pontos da cultura da região habitada. Contar histórias é o ofício praticado por Alessandra Visentin, atriz e psicóloga, formada pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Com mais de 200 apresentações, Alessandra é um dos principais nomes da prática em Minas Gerais e não à toa receberá, nesta segunda (20/3), o Troféu Baobá – prêmio concedido a pessoas que fortalecem a arte narrativa no Brasil.

Alessandra conta mais sobre a premiação: “Eu fico muito lisonjeada. É sempre bom conquistar alg,o quando é por uma atividade feita com amor, com dedicação. Garanto que o troféu vai ficar bem bonito lá em casa e já separei um espaço na estante (risos). Brincadeiras à parte, é uma premiação importantíssima, que reconhece o trabalho. Não só o meu, mas dos demais premiados também. Tenho certeza de que um evento como este vai atrair mais público e fortalecer mais a arte narrativa, que é um ponto importante na difusão da cultura brasileira e para estimular o hábito de leitura”.

14572830_1152812394799269_3539072288741141498_n

Mineira de Juiz de fora, a moça, que completa 40 primaveras neste ano, é atriz de teatro há mais de 24 anos, mas foi em 2011 que ela foi apresentada para o ofício que a levou por mais de 26 cidades para contar suas histórias para mais de 23 mil espectadores.

“Contar histórias é uma atividade fantástica! É uma ótima ferramenta de incentivo à leitura, uma vez que promove aproximação  entre a mensagem e o receptor. Mas não é moleza, requer muita concentração para absorver as emoções do relato, entender o perfil do público, o ambiente para que a atuação seja na medida exata e executada da melhor forma possível. E é gratificante ver o brilho no olho de uma pessoa que sai de uma sessão modificada de alguma forma. A narração oral me possibilitou conhecer vários lugares, pessoas incríveis, com trajetórias igualmente fabulosas e acho que é por isso que gosto tanto do que faço”, exaltou a moça.

13872849_1105545659525943_8690521004463728523_n

A entrega da primeira edição do Troféu Baobá integra a também debutante Maratona Celebrativa do Dia Internacional dos Contadores de Histórias da Cidade de São Paulo. O evento será dividido em três etapas: a primeira com narrações orais em escolas, maternidades e presídios; a segunda em bibliotecas e, por fim, à noite haverá a entrega do prêmio. A premiação acontece às 20h, de hoje, 20/3, dia em que se comemora o Dia Internacional dos Contadores de Histórias, no Auditório da Biblioteca Mário de Andrade, no bairro da Consolação, em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *