“A menina e o sabiá”

Editora Crivo lança o primeiro livro infantil da psicanalista Beth Timponi, ilustrado por Maurizio Manzo. A história retoma a canção popular “Sabiá lá na gaiola”.

19399750_10209732302324420_4110585938487398647_n

A editora mineira Crivo, através do seu selo Crivinho _ ambos sob a direção do editor Lucas Maroca de Castro _ apresenta mais um belo livro infantil com “A menina e o sabiá”, 24 páginas, que contém tudo o que agrada ao leitor. Projeto gráfico editorial adequado, ilustrações belíssimas e muita cor, um texto leve e uma história delicada.

A autora Beth Timponi utiliza-se da memória afetiva com a música “Sabiá lá na gaiola”, de Hervé Cordovil e Mário Vieira, para conduzir a relação da menina Ditinha com o pássaro triste por estar aprisionado dentro de uma gaiola.

sabia-5a“Sabiá lá na gaiola fez um buraquinho,
Voou, voou, voou, voou
E a menina que gostava tanto do bichinho,
Chorou, chorou, chorou, chorou”…

Essa é a música.

A mesma sina de Ditinha. No livro, a autora descreve assim:

“Triste e calado / em seu canto / sabiá começou a pensar:

Gosto muito da menina, / mas assim não consigo viver.

Sinto falta de tanta coisa! / De areia, de pedra, de folha.

Vou tentar escapar! / Vou fazer um buraquinho / e tentar sair por lá.

O plano do sabiá deu certo / e ele fugiu da gaiola”.

E o que aconteceu com a menina?

“Pelo visto acreditava / que o bichinho era dela, /

Por que começou a gritar: / Eu quero o meu sabiá.”

E agora?

“Vem cá, sabiá! / Vem cá!”

Será que a menina chorou, chorou, chorou? Ou se acalmou?

E o pássaro: sumiu? Sentiu saudades da Ditinha e voltou?

Felizmente, a autora encontrou uma solução para o livro que os compositores não conseguiram para a música. Tenho certeza que o leitor vai gostar do final de Ditinha e seu querido sabiá.

O livro custa R$ 28,00 e pode ser adquirido no dia do lançamento e também na venda online do Facebook na página Crivo Editorial. Além das duas opções, o leitor também pode comprar o livro nas livrarias Leitura (do Shopping Pátio), do cinema Belas Artes, na Quixote e Scriptum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *