“Escritores do Futuro”

Lançamento desse livro prestigia trabalho de estudantes de Ribeirão Preto e reúne 180 textos desenvolvidos por crianças e adolescentes, que participaram de concursos e de prêmios de incentivo à leitura e à escrita – na cidade e no cenário nacional.

Escritores-de-Futuro_Capa-Livro-340ccc8mtmthfu7xff5am8A 17ª edição da Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto foi palco para o lançamento do livro “Escritores de Futuro”. A obra reúne textos elaborados mediante a participação de estudantes da rede de ensino municipal de Ribeirão Preto em projetos desenvolvidos nas escolas e nos concursos literários: Prêmio Literário da Feira do Livro, Jogos Florais, EPTV na Escola, Olimpíadas de Língua Portuguesa, entre outros.

O projeto conta com a coordenação de Luciana Menna Barreto Gasparini, coordenadora do ensino fundamental da Rede Municipal de Ensino e Valéria Fernandes Turci, assessora pedagógica na área de Língua Portuguesa, que juntas trabalharam para a realização da coletânea de textos nos gêneros poesia e prosa, elaborados por alunos dos anos iniciais e finais do ensino fundamental.

Ao todo o projeto reuniu 180 textos que abordam temas como amor, preconceito, direitos humanos, diversidade, corrupção, violência, bullying, amizade e tantos outros, que foram discutidos entre professores e alunos e depois publicados no Jornal Tribuna Ribeirão Preto. “Sabendo da importância de oferecer este espaço aos alunos, fizemos essa parceria com orgulho”, conta Eduardo Ferrari Batista de Santana, diretor do Jornal Tribuna. Eduardo comentou que gosta de empreender para o fomento da cultura e este é mais um trabalho que o jornal entrega para Ribeirão Preto. “Espero que o livro seja apenas o primeiro de muitos”, enfatizou durante a cerimônia de entrega da premiação, realizada no Auditório Meira Junior do Theatro Pedro II.

Valéria Fernandes Turci avaliou que, para os alunos coautores deste livro, a possibilidade de ter suas obras publicadas foi uma grande motivação. “Desta forma, descobrimos que temos grandes escritores na cidade. Entusiasmada com o resultado, Luciana Menna Barreto Gasparini deixou um conselho aos participantes: “se querem ser escritores precisam escrever e ler muito. É preciso acreditar no sonho de vocês”.

untitledEm seu discurso, o coordenador de publicações da Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto, Nelson Jacintho (autor de uma das orelhas do livro), parabenizou os envolvidos. Ele afirmou emocionado que “as palavras voam, mas a escrita fica”. Para o coordenador, que também é escritor local, com mais essa produção literária, Ribeirão Preto está dando um excelente exemplo de cidadania.

A iniciativa do “Escritores do Futuro” também foi alinhada à proposta da Feira do Livro de 2017 que trouxe o tema “Do conhecimento que liberta ao amor que educa – o livro na escola”. Segundo a presidente da Fundação do Livro e Leitura, Adriana Silva, este momento “materializa fora da sala de aula o que lá está sendo feito”.

Feira Nacional do Livro

Reconhecida como um dos principais eventos nacionais de literatura, a Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto trouxe em sua 17ª edição o tema “Do conhecimento que liberta ao amor que educa – o livro na escola”.

Durante a organização do evento, a Fundação do Livro e Leitura contou com o apoio de diversos parceiros que possibilitaram uma abrangência ainda maior da feira na cidade, como o SESC, Senai, Senac, universidades, Diretoria Regional de Ensino e entidades locais, além do apoio de empresas e organizações e da valorização cultural, o que consagra a grandiosidade do evento.

A 17ª Feira Nacional do Livro foi realizada em 13 espaços simultâneos, onde foram realizadas mais de 260 atividades culturais, com a presença de 130 autores. Estiveram incluídos espaços já tradicionais da feira como Theatro Pedro II, Centro Cultural Palace, Biblioteca Altino Arantes, Biblioteca Padre Euclides, SESC, Praça do Leitor (na Praça XV de Novembro), além de outras áreas como ACI Ribeirão Preto, Sede da OAB Ribeirão Preto, Shopping Iguatemi, Sincovarp, Teatro Marista, Tenda SESC (na Praça Carlos Gomes) e Palacete 1922.

Como em todos os anos, o evento prestou homenagem a um país – e o escolhido foi Portugal, berço da Língua Portuguesa; o escritor principal foi Fernando Pessoa – ícone da literatura portuguesa; autor educação escolhido, César Nunes; autor infantojuvenil, Ricardo Azevedo; autor local foi Rosa Maria de Britto Cosenza; patrono foi indicado o empresário e fundador do Sistema Coc, Chaim Zaher. Neste ano, a Feira apresentou uma novidade: a modalidade de professor homenageado e o nome indicado foi o de Maris Ester de Souza – professora da rede de ensino local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *