Clube Adoletra

Em São Paulo, surge mais um clube de leitura voltado para as crianças: o Adoletra. O clube adota alguns diferenciais em relação aos clubes da moda.

 

Blog_5dicas_pequenoResponsável pelo Clube Adoletra (www.clubeadoletra.com.br e www.clubeadoletra.com.br/blog), Fernando Morato comenta sobre os principais diferenciais desse clube:

– Permitimos mais de um leitor na mesma assinatura, mesmo com perfis diferentes;

– Permitimos a escolha da obra a ser recebida (dentro de uma lista pré-selecionada pelo clube);

– Os membros do clube podem enviar sugestões de envio à curadoria;

– Buscamos parcerias com livrarias para que ofereçam descontos aos membros do clube, pois queremos fomentar à ida dos leitores e de suas famílias às livrarias.

As opções de assinatura são para um livro por mês (R$ 39,90), dois livros por mês (R$ 59,90) e quatro livros por mês (R$119,90).

Blog_kit_grandeOutra característica do clube está no fato de incentivar as crianças a interagir com o livro, a gostar de frequentar livrarias, ouvir e criar histórias. “Assim teremos uma rede muito maior e efetiva de incentivo à leitura do que apenas dependermos daqueles lindos livros que chegam em nossas casas todo mês”, afirma Fernando.

“Para que possamos viabilizar as escolhas das obras e abranger o máximo de perfis no clube, nós consideramos pelo menos dois fatores. O primeiro é a idade do pequeno ou jovem leitor. Esse fator é importante para traçarmos um paralelo entre esse e o segundo fator, o momento de interação do leitor com a obra. A idade é um balizador, mas não um fator de decisão, o mais importante é o perfil leitor, pois somente os que estão próximos à criança ou jovem, sabem seu real nível de proficiência em leitura”, explica.

O Adoletra abrange leituras para as seguintes idades:

Logo_Adoletra_ursoBebê
Quem foi que disse que bebê não lê? Lê sim.

“Bom, isso vai depender do que consideramos sobre “ler”. Para além do significado da palavra, ler, na nossa concepção, pode ser considerado “interagir” com a proposta da obra. E interagir é uma mistura de proposta do autor na concepção da obra com a recepção do leitor no seu momento de interação com a mesma. Logo, bebês vão: abrir, morder, babar, passar a mão, sentir as páginas, jogas no chão, jogar em você, no cachorro, dar risada, chorar, e outras tantas reações que nem conseguimos mencionar num único post! Ah, e tem uma outra bem importante: ouvir.Ouvir uma história. Experimentar as sensações que o livro proporciona.

Geralmente essa fase vai até os 2 ou 3 anos, dependendo do desenvolvimento social, moral e afetivo da criança.

Para ler junto

Nessa categoria específica, o clube inclui principalmente de criança entre 4 a 6 anos de idade. Não necessariamente nessa idade, mas que ainda solicitam a presença de um dos pais ou mediador para a exploração da obra literária. Nessa fase, assim como na dos bebês, é importante o comprometimento do mediador no estimulo às possibilidades de exploração. Mas as obras já possuem uma complexidade regular, geralmente, com grande presença de livros ilustrados, que ajudam não somente na compreensão da história em sim, mas no desenvolvimento do senso de interpretação de cada leitor.

“Você verá que cada leitor pode chegar a uma conclusão diferente de uma mesma história ou até mesmo a várias conclusões, uma para cada vez que a história foi lida. Aliás, não leia apenas uma vez, é bem provável que seu pequeno ou pequena leitora peça para que você as leia repetidas vezes. Por isso, não deixe de fazê-lo”, sugere Fernando Morato.

Pequeno leitor

Lembre-se pequeno, de estatura e idade, nunca de importância! As crianças já são leitores no momento em que interagem com um livro mesmo os bebês. Nessa fase, estamos falando geralmente de crianças entre 7 e 11 anos. São leitores que já possuem autonomia de leitura, mesmo que ainda enfrentem alguns desafios na compreensão ou na exploração do livro. Exploram-se temas de complexidade mais elevada e não necessariamente ilustradas.

iconeparaquedasO mercado editorial tem focado bastante nessa e na próxima fase do leitor principalmente com séries mais comerciais e com apelo popular real. Incluem-se aí series baseadas em jogos eletrônicos, redes sociais, entre outros. Mas existem inúmeras outras de qualidade que podem ser exploradas. O pequeno leitor, dependendo do seu nível de interação, já consegue definir o que gosta e o que não gosta de ler.

Jovem leitor

O jovem leitor ou leitora já está em um nível de capacidade de entendimento das obras mais elevado. Além disso, estão passando por uma fase importante de transformação, não apenas física, como social e psicológica. São leitores independentes e que escolhem seus livros por uma identificação pessoal, seja por seu momento de vida, ou por seu perfil leitor.

“Como sabemos qual perfil é valido para cada leitor? Você é quem nos diz. No momento da realização da assinatura, você vai inserir essas informações do perfil de cada leitor, juntamente com suas informações pessoais de cadastro e entrega e nós vamos trabalhar todos os dias para fazer com que essa relação do seu leitor com a obra enviada seja sempre um passo a mais no caminho do amor pela leitura. Lembre-se que é importante ficar atento à relação do leitor com a leitura, só assim você poderá saber o nível de proficiência do pequeno ou jovem leitor. Também é possível trocar o nível de proficiência na área de assinantes, sempre que necessário. Mas isso deve ser feito sempre antes do dia 10 de cada mês, quando fechamos a lista de envio”, conclui Fernando Morato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *