“O meu pé de laranja lima”, 50 anos

image006Neste ano, o livro que encantou gerações com a história de Zezé, “um meninozinho que um dia descobriu a dor…”, completa 50 anos. “O meu pé de laranja lima”, de José Mauro Vasconcelos, foi lançado pela Editora Melhoramentos em 1968 e, desde então, conta com mais de 150 edições no Brasil e 2 milhões de exemplares vendidos. É o livro brasileiro com o maior número de traduções para outras línguas, totalizando 15 idiomas e estando presente em 23 países.

Para celebrar seus 50 anos, a obra está de roupa nova: uma edição especial de capa dura e novo projeto gráfico, com ilustração de capa de Laurent Cardon. Informações sobre o livro, o autor e o contexto histórico da narrativa são novidades, bem como as notas de rodapé elaboradas pelo escritor Luiz Antonio Aguiar. Sucesso atemporal, “O meu pé de laranja lima  promete continuar encantando as próximas gerações.

Muitas gerações já se emocionaram com Zezé, o garotinho de 6 anos, muito sapeca, inteligente e cheio de imaginação, retratado por José Mauro de Vasconcelos no livro “O meu pé de laranja lima”. E Zezé continua a envolver os leitores, embora toda a história se passe na longínqua década de 1920.

Talvez porque aborde de uma forma delicada sentimentos universais. “A alegria e a tristeza não poderiam estar mais bem combinadas do que nessas páginas. E isso, se não explica, justifica a popularidade imensa alcançada pelo livro”, destaca o escritor Luiz Antonio Aguiar, ganhador de dois prêmios Jabuti, que assina o suplemento de leitura e as notas da edição comemorativa de 50 anos.

A força do personagem principal também é outro ingrediente cativante. Nas palavras de Aguiar, “Zezé é um anjo meigo, uma criança que encanta o mundo a sua volta, seja pelo carinho que demonstra por seu irmão mais novo, Luís, pelo apego à irmã, Glória, pela invenção (se é que não foi mágica da vida!) do amigo Minguinho, o pé de laranja-lima que conversa com ele como um irmão mais velho, carinhoso, generoso, cúmplice… E finalmente pela capacidade imensa de amar, que o leva a abrir (ou iluminar) a vida do até então solitário e ranzinza Portuga”.

A história de Zezé se passa em um subúrbio modesto da cidade do Rio de Janeiro e tem um cunho autobiográfico. O autor, José Mauro Vasconcelos, nasceu em Bangu, em 1920, em uma família muito pobre. Logo no começo da trama, o leitor é apresentado às dificuldades financeiras da família de Zezé. Com o pai desempregado, eles são obrigados a trocar a casa grande e confortável onde moravam por uma mais modesta, onde o garoto vai encontrar seu melhor amigo, o pé de laranja-lima.

f_397741

Edição comemorativa 

Para a edição comemorativa de 50 anos, de 232 páginas, a Editora Melhoramentos entregou uma missão especial a Luiz Antonio Aguiar, escritor e tradutor, mestre em literatura brasileira e ganhador de dois prêmios Jabuti: traduzir para o leitor de hoje alguns termos comuns na época em que foi escrito a obra e elaborar um suplemento de leitura para dimensionar a importância do livro de José Mauro.

A primeira etapa de sua missão, Aguiar cumpre com capricho explicando os termos em notas de rodapé que ajudam a compreender melhor diversas passagens ao longo do livro. No suplemento, apresentado ao final do livro, além de destacar peculiaridades desse clássico, ele apresenta um panorama da época em que se desenrola a história de Zezé (1920-1930), destacando fatos históricos e culturais no mundo e no Brasil.

O leitor também fica sabendo que “O meu pé de laranja lima” tem duas obras complementares: os romances Doidão (1963), no qual Zezé é retratado com 19 para 20 anos, e Vamos Aquecer o Sol (1974), que retrata o menino aos 10 anos, vivendo com pais adotivos em Natal, Rio Grande do Norte.

O autor

ze-mauro-005Mais conhecido pelo livro “O meu pé de laranja lima”, José Mauro de Vasconcelos (1920 – 1984) tem uma história fascinante. Ainda menino, trocou Bangu, no Rio de Janeiro, pela cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, onde foi morar com os tios. Lá, treinava natação no Rio Potengi e sonhava em ser campeão. Mas a vida o levou por muitos outros caminhos. Estudou Medicina, foi jornalista, radialista, pintor, treinador de boxe, pescador, garçom e até estivador. Jovem ainda viajou com os irmãos Villas-Boas, sertanistas e indigenistas brasileiros, em expedição no sertão do Araguaia, no Centro-Oeste do Brasil. Com seu porte de galã, teve ainda atuação de destaque como ator em diversos filmes e novelas.

Toda essa experiência contribuiu para sua produção como escritor, que inclui 22 livros, entre romances e contos, que tiveram destaque não só o Brasil, mas em outros países, como Alemanha, Argentina, Holanda, Hungria, Inglaterra, Suíça e Noruega. Sua obra mais famosa, “O meu pé de laranja lima”, foi escrita em apenas 12 dias. “Porém, estava dentro de mim havia anos, havia 20 anos. Quando a história está inteiramente feita na imaginação é que começo a escrever. Só trabalho quando tenho a impressão de que o romance está saindo por todos os poros do corpo. Então, vai a jato”, costumava explicar José Mauro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *