A formação do escritor

Escrever profissionalmente ou escrever por deleite é um talento que precisa ser aperfeiçoado. Onde se forma um escritor? Talvez seja melhor perguntar como se forma um escritor, já que não existe um curso ou uma escola para este fim. Existe o curso de Letras e o de Jornalismo, de onde saem bons escritores. Além de outros, tão tradicionais como os citados, além dos mais recentes e modernos, inclusive voltados para as mídias eletrônicas, que também ajudam a lapidar o talento para a escrita.

Por isso, ser um escritor é um desfio pessoal. Aperfeiçoar o texto, incliná-lo para a literatura, para a pesquisa, para o jornalismo etc é uma busca particular e onde se revela o valor do profissional. Para atender aos leitores do blog, que sempre perguntam sobre o caminho a ser percorrido até chegar à condição de ser reconhecido como escritor, vou dar algumas dicas baseadas nas minhas observações e experiências pessoais, como jornalista de literatura infantil e escritora.

 

  • Não existe apenas um caminho para se formar escritor. Isso depende de cada pessoa, inclusive de suas experiências de vida. Escrevemos sobre o que vivemos, aprendemos e acreditamos, sobre o que nos emocionou e o que registramos interiormente.
  • Há pessoas que se tornam um escritor na maturidade assim como existem aquelas que começam na juventude. Pais e educadores precisam ficar atentos, por que muitos escritores se revelam ainda na infância. Existem muitas crianças que lançam seus livros no mesmo modelo de mercado dos escritores adultos.
  • Pais e educadores da escola fundamental são decisivos na formação das crianças para a escrita. É preciso estar atentos caso filhos ou alunos manifestem interesse ou talento para a literatura e, se este for o caso, logo iniciar a formação dessa criança: incentivando-a para a leitura e a escrita.
  • A leitura é a base da escrita. Ninguém escreve bem se não ler muito. Aliás, a leitura é importante para todas as pessoas, independente da atividade profissional. O interesse da leitura tem que ser despertado, desde o nascimento. Criar o hábito da leitura é condição para a formação de um escritor, pois é a forma verdadeira de adquirir vocabulário, facilidade de expressão, coerência, conhecimento etc.
  • Escritor de textos literários deve estudar literatura e os autores consagrados pelos leitores. Escritor de textos técnicos deve buscar formas de tornar seus artigos e pesquisas o mais compreensível possível, além de estimulante.
  • Quando estiver diante da obra de um autor consagrado, pergunte a si mesmo: “Por que esse cara é tão lido”? Debruce sobre o texto desse autor, descubra o que há por trás do texto, analise o estilo e tente localizar onde está o interesse do leitor para sua obra.
  • Estudar um grande autor não quer dizer copiá-lo e sim aprender com ele. Cada um deve escrever como gosta, de acordo com suas experiências e talento. Há quem tem muita vocação para textos cheios de humor e outros exatamente para o contrário e produzem um texto mordaz.
  • Candidato a escritor de literatura, por exemplo, também precisa responder logo à pergunta: escrever sobre o quê e de que forma: versos e poesia; romances ou biografias; histórias infantis e/ou juvenis? Qual é a tendência para sua criação literária? É preciso descobrir e investir na sua especialidade.
  • Até um texto se transformar num livro, ele passa por algumas transformações para ganhar feição literária e o argumento perseguido por alguma editora.
  • Mesmo sabendo disso, quem gosta de escrever, no entanto, não deve ficar preso à forma. Não deve se inibir na hora que escreve e muito menos se furtar a fazê-lo. Escreva sem medo, sem culpa, sem exigências. Simplesmente escreva. Se for o caso, então, reescreva para fazer as correções e adequações necessárias.
  • Se a leitura é um hábito, a escrita também. Forme o hábito de escrever diariamente ou muito constantemente. Assim como busca certas condições para ler confortavelmente, identifique quais medidas deve providenciar para escrever da mesma forma, ou seja, relaxar, se concentrar, manter o foco, dar coerência ao raciocínio etc.
  • Acredito que ninguém deve ficar esperando inspiração para começar a escrever. Minha inspiração, por exemplo, só surge depois que me atrevo a redigir as primeiras palavras, uma sequência de sentenças e visualizo mentalmente o que desejo transmitir ao leitor. A partir daí, a inspiração brota espontaneamente.
  • Planejar antes de escrever é recomendado principalmente se for um texto grande e demorado. Isso ajuda a alinhar as ideias, a fundamentar o texto, buscar os argumentos e não se perder n o emaranhado das ideias.
  • Depois do texto pronto, acho que é sempre bom mostrá-lo para alguém de confiança, para um leitor crítico. Aceite as críticas, mas se elas forem muito severas, não deixe que derrotem o seu ideal.
  • Quando decidir publicar, certamente, vai enfrentar dificuldades até encontrar uma editora disposta a isso, mas também não se desanime. Se for o caso, qualifique o seu texto. Lembre-se que muitos autores famosos esperaram muitos anos até ter seu texto aceito, publicado e bem sucedido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *