Muito prazer, sou Ali e vou lhe ajudar na leitura

Microsoft está presente na Bienal e mostra aplicações de Inteligência Artificial ou IA dirigidas para a leitura: um assistente literário. Com esse produto, a empresa quer popularizar a IA e torná-la acessível para escolas, professores e alunos. E quando a Microsoft quer, ela faz acontecer.

07202857622171-t1200x480 - Cópia

Rafael Farinaccio *

A 25ª edição da Bienal do Livro de São Paulo está acontecendo até domingo, 12/8, em São Paulo, e pela primeira vez, a Microsoft participa do evento. Para justificar essa aparição inusitada, a gigante da tecnologia está m0strando na feira um projeto que mistura a experiência de leitura com inteligência artificial (IA), mostrando o que pode ser o futuro do hábito de ler para as pessoas mais conectadas.

Já imaginou ter um assistente inteligente para ajudá-lo com suas leituras? Pois isso está cada vez mais próximo da realidade.

Nesta edição da Bienal, a Microsoft expõe o ALi, um Assistente Literário Inteligente capaz de interagir e responder perguntas dos visitantes sobre o livro “Vamos Pensar + um Pouco”, nova obra de Mario Sergio Cortella e Mauricio de Sousa. Criado com base em recursos de Inteligência Artificial da Microsoft, o ALi estará acessível por meio de um totem da Apek¸ fornecedora de tecnologia touchscreen de sensoriamento óptico, capaz de identificar pessoas e objetos.

Tencologia para todos

Experiências como o Assistente Literário Inteligente são fundamentais, pois mostram ao grande público que a IA já é uma realidade.

A ideia é que esse tipo de aplicação seja democratizado e que escolas, professores e alunos possam, num futuro não tão distante, desfrutar da tecnologia para ensinar e aprender mais e melhor. Nessa experiência, foi usado o livro de Cortella e Maurício de Sousa, mas a Inteligência Artificial pode aprender com qualquer obra.

Unindo inteligência artificial ao universo da literatura, a aplicação é um convite para que todos os visitantes da Bienal possam experimentar uma interação com IA na prática, compreendendo como funciona uma tecnologia que está cada vez mais presente no nosso dia a dia por meio de diversos recursos.

Bienal_day1_1-960x640 - Cópia

“A Microsoft assumiu o compromisso de democratizar a Inteligência Artificial e experiências como o Assistente Literário Inteligente são fundamentais, pois mostram ao grande público que a IA já é uma realidade e pode transformar muitas atividades do nosso dia a dia, como por exemplo a forma como interagimos com um livro”, afirma Daniel Maia, gerente de programas acadêmicos da Microsoft Brasil.

“Esse potencial pode ser explorado de muitas formas no contexto educacional, ajudando a tornar a realidade de professores e alunos muito mais produtiva, dinâmica e interativa, melhorando os resultados de aprendizagem”, conclui.

Futuro da educação

Outra atividade que a empresa está apresentando na Bienal é a Sala de 2030, com o conceito futurístico de uma sala de aula, com realidade virtual e Minecraft, mostrando o que está mudando e vai mudar para preparar os estudantes para o trabalho do futuro.

Além disso, teremos uma sala, no estilo “escape room”, para que os visitantes resolvam um mistério com a ajuda da Inteligência Artificial para desvendar o desaparecimento de uma professora.

A 25ª Bienal do Livro de São Paulo está acontecendo desde o dia 3 e prossegue até domingo, 12 de agosto, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, Avenida Olavo Fontoura, 1209, Santana. Mais informações no site oficial do evento.

*   Historiador e jornalista especializado em tecnologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *