Clube de Leitura nas escolas públicas

45858278_10217791094878147_6889843054270742528_n

A poeta Roseana Murray  (foto) se destaca na literatura de muitas formas: a qualidade de seus livros, o encanto de seus poemas, sua sensibilidade artística, a notável generosidade para com as pessoas, especialmente os seus leitores, mas também por várias iniciativas muito bem sucedidas e voltadas para a formação de leitores e incentivo aos professores, como o evento “Café, pão e texto” que realiza periodicamente em sua casa, em Saquarema, Rio de Janeiro, para falar de literatura para alunos e professores das escolas da região.

Esta semana, Roseana Murray lançou uma ideia em sua página do Facebook que imediatamente ganhou adeptos, inclusive eu, que achei a sua proposta genuína: a criação de Clubes de Leitura nas escolas públicas como recurso para a formação de leitores. Vale lembrar que nos últimos anos surgiram inúmeros clubes de leitura voltados para as crianças, iniciativas particulares, que têm acertado em cheio com seus planos de adesão e indicação de livros.

O que Roseana Murray propõe é que os professores estudem alternativas para as escolas públicas, que devem criar seus próprios Clubes de Leitura. Em seu primeiro post no Facebook, ela pediu “ajuda aos amigos artistas, aos amigos escritores, aos professores, para uma ideia que tive agora, simples e eficiente: e se as escolas públicas fizessem um Clube de Leitura para todos? Já pensaram em muitas escolas públicas com Clubes de Leitura? Escolas com Clubes de Leitura manterão as Salas de Leitura a todo vapor. E se não tiver sala de Leitura um carrinho de supermercado serve, uma mala, uma geladeira velha… É urgente formar leitores. Quem acha que pode ajudar? Compartilhem, conversem, é um corpo a corpo. Um Clube de Leitura onde se lê e discute um livro é um passaporte para as luas de Saturno. Posso ajudar com ideias. Basta me procurar”.

Em seguida, a poeta gravou um vídeo e também publicou na rede social. Aqui, publicamos na íntegra a sua fala com a esperança que surjam mais adeptos para essa proposta tão acertada, além de novas ideias que podem se somar as de Roseana Murray. Parabéns, poeta, por essa iniciativa e por tantas outras contribuições à literatura.

“Eu lancei no Facebook uma ideia: de fortalecer as escolas públicas com literatura a partir da criação de clubes de leitura. Claro que as regras serão feitas pelos professores que criarão os clubes nas suas escolas.

Mas eu tenho algumas ideias muito simples. Por exemplo: é quase impossível que todos os alunos inscritos no clube leiam o mesmo livro, por que não haverá cópias para todos. Por isso, cada aluno poderia escolher um livro, ter um tempo para ler, talvez, um mês no mínimo ou de dois em dois meses, e aí se faria uma grande festa nesta reunião da discussão. Não será, na verdade, uma discussão, e sim cada aluno vai apresentar o livro que leu, vai ler um trechinho, vai falar um pouco da temática do livro e do que sentiu.

Essa é uma porta aberta para o pensamento, as discussões, concordâncias, discordâncias, convencimentos e assim a gente estará fortalecendo o pensamento dentro da escola pública. E cada pessoa que tenha alguma ideia, alguma ideia ou alguma dúvida, me procure, por que estou super disponível para a gente conversar. Um beijo para todos vocês, professores maravilhosos, que sabem que a formação de um leitor é o maior prêmio que há.”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *