“A bola de folhas de bananeira”

Como um jogo pode mudar o mundo. Livro infantil é uma espécie de janela para o entendimento no campo de refugiados. Vale lembrar que o Dia Mundial do Refugiado é comemorado no dia 20 de junho e o lançamento é para levar essa realidade até às crianças.

essa

Separado da família, o garoto Deo encontra em sua atividade preferida a saída para driblar as dificuldades da convivência com estranhos. Isso é o que retrata o livro “A bola de folhas de bananeira – como um jogo pode mudar o mundo”, de Katie Smith Milway, lançamento da Editora Melhoramentos.

Se a condição de refugiado político é dura para os adultos, imagine para as crianças. Diante de uma realidade dura, Katie procura trazer uma mensagem de esperança expressa na trajetória do garoto Deo Rukundo. Certa noite, por causa da guerra, ele e a família tinham sido obrigados a deixar a fazenda onde plantavam batata-doce, feijão e banana. Foram atacados e, na fuga, Deo acabou se perdendo da família. Perdido no mato, foi socorrido e levado ao campo de refugiados em Lukole, na Tanzânia.

Sozinho entre desconhecidos e em meio a rusgas com outros meninos que viviam ali, ele encontrou uma saída por meio de uma das brincadeiras que mais gostava, nos tempos de paz em sua terra: o futebol, que jogava com uma bola feita por ele mesmo com folhas de bananeira. Uma atividade esportiva que precisa do trabalho em equipe para acontecer e tem muito a ensinar.

No final do livro, o leitor conhece um pouco da história de Benjamin Nzobonankira, natural de Burundi, um país africano, que inspirou a história de Deo. Ficamos sabendo que “em 1993, Benjamin, com dez anos, e sua família tiveram que deixar sua casa quando surgiu um conflito. Durante meses ele seguiu pela floresta, às vezes, sobrevivendo à base de água da chuva, frutas selvagens e folhas. Como Deo, Benjamin se perdeu de toda sua família”.

A obra de Katie também chama a atenção para o fato de que crianças refugiadas também podem sofrer preconceitos em outros ambientes nos países em que suas famílias se refugiam, como as escolas. E ressalta a necessidade de promover a confiança e a inclusão. Também fornece uma lista de entidades que trabalham com a questão.

A autora

Jornalista com passagem pelo The Wall Street Journal, Montreal Gazette e revista Time, Katie Smith Milway também tem grande experiência com o gerenciamento de organizações sem fins lucrativos e consultoria estratégica, em projetos de desenvolvimento sustentável, incluindo bancos comunitários, segurança alimentar, cuidados primários de saúde, recursos hídricos e educação. Com todas essas atividades, ainda se destaca como escritora de livros infantis e empreendedorismo social.

O ilustrador

Usando pinturas a óleo tradicionais a imagens geradas por computador, o ilustrador do livro é Shane W. Evans, que já colocou o seu traço em mais de 50 livros para crianças. Seu trabalho já foi reconhecido em premiações como o Boston Globe Horn Book Award e o Society of Illustrators for Illustration. Seus desenhos também estão presentes em pôsteres, capas de CDs, revistas e em trabalhos para clientes como Food and Drug Administration, Nike, Hallmark Cards, entre muitos outros.

O livro “A bola de folha de bananeira – Como um jogo pode mudar o mundo” tem 32 páginas e custa R$ 45,00.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *