A importância do livro para a educação no Brasil

Uranio Bonoldi *
Um dos temas mais discutidos atualmente no Brasil é a educação. Isso, porque diante das inúmeras reformas e mudanças na política, incluindo a recém-troca do Ministro da Educação, a população tem notado a necessidade de trazer o tema à tona.

E por ser um tema extremamente abrangente e estar sempre em pauta, o que geralmente vem na cabeça das pessoas, quando o assunto é levantado, é a questão da literatura no Brasil.

Como já divulguei em 2016, de acordo com a pesquisa ‘Retratos da Leitura no Brasil’, 44% da população não lê e 30% nunca comprou um livro. Muitos são os fatores que influenciam nesta estatística, no entanto, muitas outras ferramentas estão surgindo para reverter este cenário.

De acordo com a plataforma de biblioteca digital Árvore de Livros, personalizada para escolas, empresas educacionais e instituições públicas, 56% dos brasileiros já são leitores assíduos, no entanto, esse número poderia ser maior se eles consumissem livros on-line, os chamados e-Books, o que atualmente representa apenas 15% deste total.

Ao contrário do que muitos previam, o fim do livro de papel está longe de acontecer – tanto no Brasil, como no mundo. O que na verdade resulta é que um formato complementa o outro e, durante o boom que o livro digital apresentou, há cerca de uma década, as vendas dos livros impressos também subiram.

No atual momento em que o mercado editorial enfrenta uma crise financeira, as obras em formato eletrônico também vêm sofrendo. A parcela que conquistou o Brasil nesse setor ainda é pequena: aproximadamente 2% do total de vendas. Isso, porém, não desestimula aqueles que sabem que o suporte é economicamente interessante e deve revolucionar a distribuição e consumo de livros, por isso continuam investindo na produção destas obras.

E foi nesse contexto, para fomentar a leitura prática, que vi na minha própria experiência como gestor de empresas, uma oportunidade de inspirar jovens e adolescentes a refletir mais sobre suas escolhas e a tomarem melhores decisões: lancei o livro ‘A Contrapartida’, meu primeiro livro físico e digital.

A decisão de divulgar o livro tanto em papel, como em formato de e-book, tem a ver com os próprios pontos mencionados ao longo desse texto. Visto que um é complementar ao outro, os e-Books têm despertado o interesse de marcas, empreendedores e leitores comuns em todo o mundo, por sua facilidade de compartilhamento, a disponibilidade ampliada e o baixo custo de distribuição.

* Professor em cursos de MBA na Fundação Dom Cabral, conferencista e consultor em gestão, governança corporativa e planejamento estratégico, dando suporte a empresas que desejam crescer de forma estruturada.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *