Leia para uma criança

Com história real sobre o poder da leitura, que estamos assistindo nos horários comerciais da TV, Itaú Social lança a campanha 2019. Serão distribuídos 3,6 milhões livros infantis gratuitos pelo país. Os títulos dessa nona edição da campanha são “Leo e a Baleia”, de Benji Davies, e “O Tupi que Você Fala”, de Cláudio Fragata.

Distribuindo livros gratuitos e incentivando a leitura na primeira infância há anos no Brasil, o programa “Leia para uma Criança”, promovido pelo Itaú Unibanco e pelo Itaú Social, lança sua campanha 2019 focando no potencial da leitura como agente transformador dos indivíduos, famílias e da sociedade. Em sua nona edição, a iniciativa vai distribuir 3,6 milhões de livros para todo o país, em kits compostos por edições exclusivas de “Leo e a Baleia”, de Benji Davies, e “O Tupi que Você Fala”, de Claudio Fragata.

Para saber mais e solicitar os livros, visite o site [www.itau.com.br/leiaparaumacrianca]www.itau.com.br/leiaparaumacrianca.

Os livros infantis são selecionados por meio de edital – as obras passam por uma curadoria de especialistas em literatura infantil, Organizações da Sociedade Civil (OSCs), secretarias de Educação, Cultura e Assistência Social, bem como voluntários do Itaú Unibanco, adultos e crianças de diversas regiões do país – e as escolhidas são distribuídas gratuitamente. Além do envio para quem fizer o pedido no site, 600 mil kits serão enviados a crianças matriculadas na rede pública de municípios considerados de alta e muito alta vulnerabilidade, principalmente nas regiões Norte e Nordeste do país. Desde a criação do programa, mais de 54 milhões de livros impressos foram distribuídos – incluindo edições em braile e letra expandida.

O vídeo da campanha

Diferente dos últimos anos, em que histórias fictícias foram contadas na ação de comunicação da campanha, em 2019 pela primeira vez uma história real de superação por meio da educação é apresentada nas telas: a trajetória de perseverança de jovem Thompson Vitor, que passou em 1º lugar no exame do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) em 2015, após ser atraído para os livros pela sua mãe, Rosângela Marinho, que trabalhou por muitos anos como catadora de lixo para fins recicláveis e levava para casa os livros descartados que encontrava. Thompson hoje cursa Química na universidade de Rochester, em Nova York, nos Estados Unidos.

“A leitura feita pelo adulto com a criança é um poderoso instrumento para a aproximação da família com a literatura. Além de ser um momento prazeroso, de troca e fortalecimento de vínculos afetivos, incentiva a participação ativa de todos na educação dos filhos desde a primeira infância. O livro funciona como mediador dessa relação, é por meio dele que esse momento tão especial acontece, contribuindo para o desenvolvimento de inúmeras habilidades, do vocabulário ao imaginário e à criatividade. Por isso, dedicamos nossa atenção à seleção criteriosa das obras que compõem a coleção de livros infantis, tanto em relação ao texto quanto às ilustrações”, afirma a superintendente do Itaú Social, Angela Dannemann.

Coleção 2019

“Léo e a Baleia”

Leo e seu pai vivem em uma casa perto do mar. Todos os dias o pai de Leo sai cedo para trabalhar como pescador, e o menino passa o dia na companhia de seus gatinhos. Certa manhã, após uma forte tempestade, Leo encontra uma baleia na areia da praia e a leva para casa, pensando em ter uma companhia para ouvir suas histórias (a baleia é ótima ouvinte). Ele tenta manter a nova amiga em segredo, mas o plano não dura muito tempo, porque seu pai a encontra escondida na banheira. O gesto de Leo muda a vida dos dois, que se unem para levar a baleia de volta para o mar. Uma emocionante história sobre amizade.

“O Tupi que você fala”

O livro apresenta às crianças o lado curumim de cada um de nós, ao revelar a influência indígena nas palavras que usamos em nosso dia a dia – Guri, pipoca, saci, guaraná, abacaxi, entre outras. As palavras de origem indígena fazem parte do nosso cotidiano, e com o livro as crianças descobrirão que vários alimentos, animais e plantas têm nomes dados pelos índios, de forma divertida e aguçando a curiosidade dos pequenos a descobrir a origem das palavras.

Distribuição focalizada

Em 2019, 600 mil kits do Leia para uma Criança serão enviados pelo Itaú Social a crianças matriculadas na rede pública de municípios considerados de alta e muito alta vulnerabilidade, principalmente nas regiões Norte e Nordeste do país. Os livros serão distribuídos para uma lista de cidades monitoradas pela Unicef, e também para municípios que já fazem parte do projeto Melhoria da Educação – programa desenvolvido pelo Itaú Social promovendo formações continuadas para gestores educacionais. As formações abordam tanto o eixo da gestão pedagógica quanto o da gestão administrativo-financeira.

Além disso, a formação de mediação de leitura “Infâncias e Leituras”, promovida pelo Itaú Social, está com inscrições abertas para uma nova turma – basta acessar https://polo.org.br/.

A história real de Thompson e Rosângela

A trajetória de perseverança de jovem Thompson Vitor, que passou em 1º lugar no exame do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) em 2015, é a narrativa inspiradora e real deste ano para o filme publicitário que divulga o projeto. Mas o que ela tem de especial? Thompson morava com a família em Paço da Pátria, na Zona Leste de Natal (RN). Sua mãe, Rosângela Marinho, trabalhou por muitos anos como catadora de lixo para fins recicláveis. Enquanto buscava os materiais que levariam o sustento para a família, também procurava por livros descartados, os levava para casa e lia as histórias para seus filhos.

Quando aprendeu a ler, o próprio Thompson começou a se aventurar pelos conteúdos de diversos autores, e ansiava pelo fim de semana para mergulhar nos livros e quadrinhos levados para casa pela mãe. A persistência de Rosângela o levou a estudar mais tarde em Fortaleza, quando ganhou uma bolsa de estudos da Organização Educacional Farias Brito. Ele seguiu estudando, passou em 1º lugar na IFRN, e não parou – atualmente, cursa Química na universidade de Rochester, em Nova York, nos Estados Unidos.

Para contar a história inspiradora de Thompson e Rosângela, foram feitos dois filmes: um contado do ponto de vista do adulto, a mãe, que imagina um futuro promissor para seu filho; o outro segue a visão da criança, ilustrando a consequência da leitura na vida de Thompson. Mais uma vez, as peças contam com uma trilha sonora gravada com um coral de crianças. Agora, reinterpretando a música “Dirty Paws”, da banda Of Monsters and Men. Assista o vídeo aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *