Menino supera dificuldades e lança um livro

Arthur lançou o próprio livro, após ter enfrentado as dificuldades de aprendizagem, e até foi premiado. Ele sofria por já estar no 2º ano do ensino fundamental e não saber ler e escrever.

O pequeno Arthur Francisco Dias Mourão, 10 anos, de Fortaleza, no Ceará _ foto _ tinha muitas ideias na cabeça, mas a soma das dificuldades de aprendizagem com a falta de incentivo e preparo da escola para lidar com o seu problema, resultou num menino introvertido e inseguro. Não sabia ler. No máximo, algumas frases. E tinha muitas dificuldades para escrever.

“A coordenadora me disse que ele não acompanhava e que não estava alfabetizado”, relatou a mãe e professora Djenane de Oliveira Dias.

Mas, com o devido acompanhamento de uma pedagoga e o incentivo da mãe, o Arthur desabrochou. Lançou um livro, que inclusive foi premiado num festival de escritores da cidade e agora sonha escrever mais obras.

“Hoje o Arthur tem uma autoestima altíssima. Ama os livros, lê muito bem e tem muita facilidade de memorização de letra das músicas. Tem um vocabulário muito rico e gosta de criar e contar histórias.  É um menino muito criativo”, afirmou a mãe.

Preocupada e frustrada por não saber o que fazer, a dona Djenane levou o filho no Kumon, conhecido por aplicar uma metodologia de estudo individual e personalizada que atende as necessidades e dificuldades de cada criança. Durante a entrevista com Orkivia Matos, coordenadora da unidade, logo foi identificado que a sua insegurança e a baixa autoestima eram pontos fundamentais que deveriam ser trabalhados. Hoje, o Arthur já é capaz de realizar as atividades sozinho.

“Ajudo na matemática e na correção ortográfica. Leitura e compressão é com ele”.

Após dois anos Arthur se tornou um amante da literatura. Criado no ano passado, o livro “Marcos e seus livros – O livro falante” tem 25 páginas e conta a história de Marcos, um menino de 9 anos, que um dia, no caminho pra escola, percebe que tem um livro falando dentro da mochila.  Eles conversam e o livro lhe diz que realiza desejos e sonhos… de repente, ele acorda e vê que tudo tinha sido um sonho.

Na montagem do livro, Arthur teve ajuda da tia Roselene e do primo Pedro, dois amantes e incentivadores da leitura e escrita. Os dois já têm livros lançados e, então, inscreveram a obra do pequeno escritor no festival de escritores da cidade, o 6ª Festmund, que aconteceu na praia de Mandaú. Arthur pôde contar sua história no palco do festival e até recebeu um troféu, tornando-se o escritor mais jovem do Clube de Autores.

“Eu me sentia um lixo, mas depois que aprendi a ler e escrever, foi a melhor coisa que aconteceu”, disse o menino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *