“Quando eu fico bravo”…

Ruth Rocha e Dora Lorch escrevem série em quatro livros lançados pela editora Salamandra. Autoras utilizam princípios da psicologia para ajudar as crianças a lidar com frustrações.

Desde bem cedo, a criança passa a vivenciar com cada vez maior frequência aquelas situações cotidianas em que os desejos pessoais já não são absolutos. É quando surgem as primeiras frustrações. Por mais genuínas que sejam, as vontades de cada criança têm que ser negociadas com pais, irmãos, amiguinhos e coleguinhas.

Escritas de acordo com princípios da psicologia, a série “Quando eu fico bravo” tem a intenção de ajudar as crianças a lidar melhor com as situações em que são contrariadas. Os quatro livros da editora Salamandra apresentam a mesma estrutura. As situações angustiantes próprias do universo infantil são apresentadas nas páginas ímpares, enquanto as possíveis soluções para cada conflito são expostas no verso dessas mesmas páginas.

Nessa construção de questionamentos e propostas, Ruth Rocha e Dora Lorch atraem o interesse do leitor que se identifica com o problema para, na sequência, propor formas de enfrentamento para cada situação. Os enredos ganham ainda vida nos traços suaves e coloridos de Walter Ono, em desenhos que costuram as tramas com delicadeza e simplicidade.

Os quatro livros

“Quando eu fico bravo, eu vou embora” mostra que fugir de certas situações pode causar mais problemas, porque é possível que os amigos não compreendam o que levou a criança a ir embora. Por outro lado, enfrentar a situação, explicando seus motivos pode ajudar os outros a entender as razões de cada um e, dessa forma, chegar a um entendimento.

Em “Quando eu fico bravo, eu choro”, os personagens são crianças que, aos se frustrarem, costumam chorar. Nesse caso, o que elas não percebem que o choro não deixa claro para as outras pessoas os motivos de sua tristeza e que, portanto, chorar pode trazer algum alívio momentâneo, mas não é a maneira mais eficaz de superar os obstáculos.

“Quando eu fico bravo, eu brigo” explica que muitas vezes as crianças brigam, porque acham que essa é a única forma de reagir sem perceber que isso pode afastar as pessoas que querem por perto.

“Quando eu fico bravo, eu paro e penso” mostra que as diferenças de opinião não precisam ser entendidas como ameaças ou desamor. Assim, conversar e colocar suas razões pode ser o caminho mais curto para o entendimento dos motivos de cada um.

Os autores

Ruth Rocha nasceu em São Paulo, capital, em 1931, e sempre viveu na cidade natal. Foi orientadora educacional e editora. Começou a escrever artigos sobre educação para a revista Cláudia, em 1967. Em 1969 começou a escrever histórias infantis para a revista Recreio. Em 1976 teve seu primeiro livro editado. De lá para cá publicou mais de cem livros no Brasil e vinte no exterior, em dezenove diferentes idiomas.

Dora Lorch é psicóloga clínica, mestre em psicologia pela PUC-SP. Além da clínica, trabalhou em vários projetos sociais como Associação Novas Trilhas e Sou da Paz, melhorando o relacionamento entre pais e filhos. Escreveu um livro para crianças com Ruth Rocha e um para adultos chamado “Como educar sem usar a violência”. É sócia da Delfos Prevenção em Psicologia e sócia fundadora da OSCIP Fábrica do Futuro, onde coordena o projeto Florescer da Fábrica em parceria com a Liga Solidária.

Walter Ono é mineiro que mudou para São Paulo ainda menino. Fez Faculdade de Arquitetura. Como ilustrador, soma mais de 25 anos de carreira. Fez desenhos para as revistas Recreio, da Editora Abril, e Bloquinho, da Block, e ilustrou mais de 50 livros infantis.

Ficha técnica

Títulos: Quando eu fico bravo… eu vou embora / eu choro / eu brigo / eu paro e penso
Faixa etária: A partir de 3 anos
Páginas: 24
Preço sugerido: R$ 47,00

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *