“Narizalda e Narizelda”

Em comemoração ao Dia do Circo, em 27 de março, quem ganha é a literatura com esse livro de autoria da carioca Lêda Maya. Descubra porque as protagonistas da história nasceram com a ponta do nariz vermelha.

 

Narizalda e Narizelda não se conhecem. Moram em cidades diferentes, têm personalidades distintas e não sabem da existência uma da outra. O que as aproxima é uma característica em comum: a ponta do nariz vermelhinha e motivo pelo qual receberam esses nomes. Elas são as personagens principais da obra “Narizalda e Narizelda” escrita pela orientadora educacional carioca Lêda Maya.

Voltado ao público infantojuvenil, o livro é narrado pelo alegre e divertido Pipoca. Com o mantra “Eu posso esperar. Eu posso esperar. Tenho todo o tempo do mundo”, ele aguarda o melhor momento para revelar a ligação especial entre as personagens. A partir da deliciosa descoberta, a professora Narizalda e a doutora Narizelda partem pelo mundo para levar alegria, conhecimento e saúde para as crianças necessitadas.

“Narizalda e Narizelda. Hmmm… Você deve estar estranhando os nomes – com certeza está! Garanto que não conhece ninguém que tenha um deles. Não estou certo? Sei que deve estar soando estranho para você: Na-ri-zal-da e Na-ri-zel-da. Pode torcer o nariz para eles, não fico zangado. Até rio! Hahaha! Não dos nomes, não, isso nunca, mas da carinha que você fez, ou pensou fazer, quando ouviu: Na-ri-zal-da, Na-ri-zel-da.” (Narizalda e Narizelda, pág. 9)

Repleta de ditados populares citados pelo narrador, a leitura retrata o processo de descoberta e autoconhecimento das protagonistas e ensina sobre empatia e amor a partir da relação com o ambiente profissional. Uma história divertida, alegre e emocionante para ser lida independentemente da idade.

Resuminho da história

As duas personagens Narizalda e Narizelda vivem suas vidas sem saber muito bem o que fazer e passam seus dias entre sonhos e metas que não sabem como alcançar. Até que chega a hora do que as torna únicas vir à tona. O mundo se transforma da água pro vinho e descobrem a vitalidade para dar um olé na vida e fazer a diferença, através das próprias singularidades.

Nascida na década de 50, a escritora Maya viveu uma realidade bem mais pequenina em dimensões de expectativas. Aos nove anos de idade, iniciou no teatro e aos 20 foi para a viação. Voou por dois anos. Morou em Nova York por onze meses. Retornou ao Brasil e à faculdade. Na fase adulta trabalhou com educação. Especializou-se em psicopedagogia clínica e em literatura brasileira infantojuvenil. Hoje, com quase 67 anos, só deseja escrever muito para as crianças.

O livro “Narizalda e Narizelda” tem 192 páginas, custa R$ 17,00 e R$  38,72 e pode ser comprado no link https://amzn.to/2VFFWaC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *