Mirelly é amiga do livro e da leitura

2/4/2016 – 12:53h

Rosa Maria e Mirelly comemoram o Dia Internacional do Livro Infantil com flores

A arte da literatura e a arte da natureza: na Flora Mirelly, no Bairro Buritis, em Belo Horizonte foi essa a combinação escolhida para a comemoração do Dia Internacional do Livro Infantil, que é celebrado, hoje, em todo o mundo. O livro “A menina e o segredo da fadinha”, da minha autoria, com ilustrações de Toninho Hashitomi, publicado pela editora paulista Pingo de Letra, foi parar em arranjos florais preparados pela Mirelly, para encantarem duplamente as crianças.

“A menina e o segredo da fadinha” é uma história baseada numa experiência real. As crianças ficam inseguranças e muito ansiosas, quando começam a frequentar as aulas pela primeira vez ou trocam de escola. Também vivem o medo de não fazerem amigos e pior: de serem hostilizadas. A aluna novata, Natália, no entanto, enfrentou a situação de uma forma diferente e, em vez de se assustar, decidiu agir de modo positivo: sempre em favor dos seus colegas.

Depois dessa promessa, a menina mereceu uma companhia muito especial: a fada-madrinha das histórias que gostava de ouvir. A história da menina com sua fadinha, no entanto, tem um segredo. Qual será? Um príncipe? Um reino da felicidade? Ou uma flor encantada? É preciso ler o livro para descobrir. Só posso adiantar que se trata de um super segredo que vai render felicidade para Natália durante toda a vida.

Muita fantasia e flores para estimular o imaginário infantil. Uma forma de incentivar a leitura e comemorar o Dia Internacional do Livro Infantil. Mirelly é mais uma amiga do livro e da leitura e sua flora fica à Rua Mário Werneck, 2641.

“A menina e o segredo da fadinha”

20/1/2016 – 22:02h

Quem está em Belo Horizonte é convidado para o lançamento do livro “A menina e o segredo da fadinha”, de minha autoria, ilustrações de Toninho Hashitomi, com selo da paulista Pingo de Letra/Grupo Editorial Scortecci. Vai ser sábado, dia 23/1, de 10:00 às 12:00 horas, no anexo da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, Rua da Bahia, 1889 – Piso 2.

“A menina e o segredo da fadinha” é uma história baseada numa experiência real. As crianças ficam inseguranças e muito ansiosas, quando começam a frequentar as aulas pela primeira vez ou trocam de escola. Também vivem o medo de não fazerem amigos e pior: de serem hostilizadas. A aluna novata, Natália, no entanto, enfrentou a situação de uma forma diferente e, em vez de se assustar, decidiu agir de modo positivo: sempre em favor dos seus colegas.

A decisão da menina impressionou a escritora Rosa Maria Miguel Fontes, que criou uma história para mostrar a importância da sua atitude e o valor de conquistar amigos.  Assim surgiu “A menina e o segredo da fadinha”, um livro ilustrado por Toninho Hashitomi e publicado através da Pingo de Letra, selo do Grupo Editorial Scortecci, com lançamento marcado para o dia 23 de janeiro, às 10:00 horas, no anexo da Biblioteca Pública Luiz de Bessa, Rua da Bahia, 1889 – Piso 2.

Depois de prometer a si mesma que seria uma aluna simpática para colegas e professores, a menina ganhou uma companhia muito especial:

“Imaginem: era a fada-madrinha das histórias que gostava de ouvir. Uma fada linda, mágica, do bem, e ali do seu lado. Provavelmente, acabara de sair de um  dos seus livros, pois ainda carregava sua varinha brilhante e usava o chapéu na forma de cone, além de calçados bicudos e um vestido típico das princesas!”

A fadinha frequentou a escola com a menina para encorajá-la e tornou o dia a dia da nova aluna uma aventura:

“A menina esperava que a madrinha ficasse todo o tempo ao seu lado, mas a fada fez diferente: começou a subir, subir, subir, até seu chapéu pontudo espetar o teto da sala,  e subir mais ainda para passar por entre as nuvens  e desaparecer das vistas de Natália. Ao mesmo tempo em que galgava as alturas,  a fadinha fazia cair estrelinhas coloridas e brilhantes de sua varinha em cima da menina. Natália adorou! Achou engraçado, por que só ela e a madrinha sabiam o que estava acontecendo. Para disfarçar  a surpresa, sorriu para os colegas de turma.”

A história da menina com sua fadinha, no entanto, tem um segredo. Qual será? Um príncipe? Uma flor encantada? Um reino da felicidade? É preciso ler o livro para descobrir. Só posso adiantar que se trata de um super segredo que vai render felicidade para Natália durante toda a vida.

Sobre a autora

Rosa Maria Miguel Fontes nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais. Desde a infância criava personagens e escrevia histórias que eram contadas por suas professoras em salas de aula. Foi até premiada num concurso de redação de âmbito estadual. Mais tarde, tornou-se professora. Durante alguns anos trabalhou como jornalista. Agora, ela voltou a se dedicar à literatura.

Esta autora presta atenção em tudo que as crianças fazem e falam, por isso está sempre aprendendo com elas. Sua inspiração para escrever histórias vem desta observação e das lições que vive com as crianças. Além disso, ela sabe que o mundo está em mudanças. É importante preparar os pequenos para crescerem e se tornarem pessoas dispostas a transformarem o mundo num lugar mais alegre e bonito pra gente viver melhor. Uma forma de contribuir com esta preparação é contar histórias baseadas nos exemplos positivos transmitidos pelas próprias crianças.

Rosa Maria é editora do blog de jornalismo sobre literatura infantil “Conta uma história” e publicou “Hikôki e a mensageira do Sol” pela Editora Miguilim (2011) e “O abraço das cores” (2013) pela mesma editora.

Sobre o ilustrador

O contato de Toninho Hashitomi com a ilustração teve início, quando ele ainda era criança e ficava observando o pai durante seus trabalhos em tela. A criança se envolveu com as artes e, mais tarde, na década de 1970, em Londrina, no Paraná, já atuava numa  agência de publicidade como auxiliar de estúdio e posteriormente em um jornal local.

Sempre procurou se espelhar em grandes ilustradores, aprimorando a técnica e procurando a perfeição em cada trabalho. Adquiriu um estilo próprio e suas ilustrações começaram a fazer sucesso. Sempre perseguindo as novidades, nos anos 80, utilizou muito a aerografia. Com a chegada dos computadores, experimentou outras ferramentas e vem se mantendo como ilustrador contemporâneo e atualizado na arte de encantar crianças e adultos.

Hashitomi tem experiência com ilustração para livros infantis e, além do editorial, faz trabalhos de publicidade, arquitetura, criação de storyboards para produtoras de vídeos e caricaturas por encomendas.