Miguilim conquista o mercado externo

11/12/2015 – 18:14h

Uma das feiras literárias mais importantes do mundo é a Feira do Livro de Guadalajara, no México, que se encerrou semana passada. Este evento foi a porta de entrada de vários títulos da editora mineira, Miguilim, no mercado internacional. O editor Alexandre Machado contratou em Belo Horizonte uma pessoa especializada e atuante em todos os países principalmente onde existe verba para compra de livros literários pelo governo local.

Daí, foram selecionados alguns títulos do catálogo da Miguilim e traduzidos para o espanhol. Estes livros, então, chegaram até os distribuidores presentes na Feira de Guadalajara e atualmente estão sendo trabalhadas no mercado editorial do México. Segundo o editor Alexandre Machado, além da oportunidade da feira, “há também os programas de governo mexicano de compra de livros literários e as amostras dos livros traduzidos são apresentadas aos órgãos competentes por estes distribuidores, que mantêm a editora informada sobre o resultado da seleção e concretização da compra”.

Entre os livros da Miguilim estão dois de minha autoria: “Hikôki e a mensageira do Sol” (2011), ilustrado por Maurizio Manzo e “O abraço das Cores” (2013) ilustrado por Nelson Tunes.  Ambos continuam sendo vendidos em Belo Horizonte nas livrarias da rede Leitura e Quixote.

“Hikôki e a mensageira do Sol”, no caso, “Hikôki y la mensajera del Sol”,  conta a história de um pássaro (tão veloz quanto um avião), que voa alto e para muito longe da Terra. Ele sempre visita um lugar mágico habitado por um velho sábio que deseja contar uma novidade para todo mundo: o Sol nunca mais vai embora. Este sábio, no entanto, não sabe como falar para as pessoas sobre o Reino do Sol.

Hikôki conta para este sábio sobre uma menina, Ana Laura, que ama os raios da luz do dia e que, por isso, pode ajudá-lo. O pássaro, então, convida a menina para conhecer o sábio e o lugar mágico. Curiosa, a menina aceita e descobre a alegria de viver num lugar constantemente iluminado e capaz de transformar as pessoas. A história é baseada numa vivência real: a menina Ana Laura que sempre sonhou com um Sol permanente em sua vida.

“O abraço das Cores” ou “El abrazo de las colores” é a história da menina Camila, que adora colorir. Certo dia, ela decide ignorar o Vermelho e sua atitude tem repercussão no arco das cores: a cor acorda irritada e acaba importunando as demais. O Laranja tenta acalmar o Vermelho, mas não consegue. O Amarelo também e é humilhado. O Violeta pede tolerância e é mais uma cor que fracassa. Chega o momento de o Verde entrar em ação, porém, ele acaba brigando com o Azul e o Anil. A discórdia se generaliza dentro do arco das cores.

Uma forte tempestade interrompe a briga entre as cores. Assustadas com o vento forte, raios e trovões, as cores decidem se abraçar e, neste momento, relembram como era bom viverem unidas. Em seguida, o tempo muda e elas são banhadas pelos raios de Sol. A luz do astro-rei revela para as cores que  juntas formam o admirado arco-íris e que todas elas são belas e importantes.

Vamos aguardar a repercussão destas duas histórias e dos demais livros da Editora Miguilim entre os mexicanos.

**********

Voltando à Feira do Livro de Guadalajara, vale registrar que o estande do Brasil ficou entre os 10 imperdíveis do evento. Esse ano o espaço foi de 90 m² e a temática mostrou a representatividade, a diversidade e a qualidade do mercado editorial brasileiro.
“Fizemos uma área muito funcional para os negócios internacionais, onde diferentes editores puderam expor seus livros com uma área reservada para fazer negócios. Tudo dentro de uma proposta sustentável e colorida. O mais encantador é que a arquitetura simples atraiu bastante público desejoso de nos conhecer e visitar.” destaca Luiz Álvaro, gerente de Relações Institucionais da Câmara Brasileira do Livro.

Hora de ir às compras

23/6/2015 – 22:48h

Estamos sempre comentando sobre a importância dos pais lerem para a criança, desde bebê, e cuidarem da sua formação como leitor. Comentamos também sobre a importância da escola e dos professores incentivarem a leitura, darem exemplos e se atualizarem quanto aos lançamentos dirigidos à literatura infantil e juvenil. Mas para tudo isso acontecer é preciso comprar livros. Pesquisar e adquirir títulos novos, deixar a criança escolher quais livros ela deseja ler e investir neste interesse do pequeno leitor.

Uma boa oportunidade para as compras de livros são os eventos literários, que reúnem lançamentos de diferentes editoras. O consumidor ainda tem a oportunidade da convivência com autores e ilustradores, de conseguir que os livros sejam autografados, além dos preços promocionais. Durantes os eventos literários também são contadas as histórias de muitos livros novos ou já consagrados pelo público, de modo que a criança e seus acompanhantes podem interagir com a magia da literatura infantil.

A hora de sair às compras é agora com a realização do 1° Festival Literário Internacional de Belo Horizonte, o FLI BH, que começa quinta-feira, dia 25/6, e segue até o domingo, dia 28/6, no Parque Municipal. A programação do Festival é extensa e atinge a todo o tipo de público, além das crianças. Você pode conhecer no link http://www.flibh.com.br/programacao/ Mas este Festival oferece ainda dois motivos especiais para a compra de livros.

O primeiro deles é o seguinte: na programação oficial do FLI BH, dias 27 e 28/6, à tarde, os visitante s vão contar com uma promoção especial da Editora Miguilim, que está preparando uma sessão de autógrafos com os autores e ilustradores de muitos dos seus livros infantis. Alexandre Machado está cuidando para que eles possam conhecer e conversar com um grupo de autores consagrados, outros iniciantes, mas todos eles sob a batuta deste editor criterioso e que vem trabalhando incessantemente para colocar obras da melhor qualidade no mercado.

Outro motivo é que o FLI BH conta com um evento paralelo, a Primavera da Libre, uma feira literária, que promove debates e expõe a produção das editoras associadas à Liga Brasileira de Editoras. A Libre, em parceria com a Fundação Municipal de Cultura e com a Associação de Amigos do Centro de Cultura de Belo Horizonte, vai realizar na capital mineira a primeira edição local da Primavera da Libre, tradicional evento que acontece há mais de uma década no Rio de Janeiro e em São Paulo.

O time da Miguilim

Em Belo Horizonte, quando se fala em literatura infantil é comum associar o assunto com o nome da Editora Miguilim. Afinal, são mais de 30 anos de história, que a tornou referência. Esta dedicação à literatura infantil e juvenil, a editora carrega desde sua criação em 1980. A Miguilim foi pioneira na publicação literária no Brasil. Em 2010 passou para o comando de outro grupo editorial e Alexandre Machado assumiu a função de editor. Com ele, lançamentos e reedições têm ganhado projetos gráficos artísticos, originais e muito bem cuidados, valorizando trabalhos de novos autores, ilustradores e a diversidade de temas.

Para quem vai visitar o 1° Festival Literário Internacional de Belo Horizonte, o blog divulga a relação de autores e ilustradores que vão participar da Sessão de Autógrafos da Editora Miguilim. Quem quiser conhecer mais a respeito deles e dos seus livros, vale também clicar no site www.editoramiguilim.com.br

Dia 27/6 – Sábado – 14 horas

Soraia Vasconcelos

Gustavo Gaivota

Eduardo Damasceno

Luis Felipe Garrocho

Eliana Sant’Anna

Lêda Couto

Dia 28/6 – Domingo – 14 horas

Maurizio Manzo

Antônio Barreto

Mônica de Aquino

Angela Leite

Nelson Tunes

Rosa Maria Miguel Fontes

Ana Gabriela Souza Lemos

Fabiana Beghini Avelar

Frederico Beghini

Vera Chaves Pinheiro

Dicas de presentes para crianças

11/10/2013 – 21:01h

“O abraço das cores” – Editora Miguilim

Esta é a história da menina Camila, (foto) que adora colorir. Certo dia, ela decide ignorar o Vermelho e sua atitude tem repercussão no arco das cores: a cor acorda irritada e acaba importunando as demais. O Laranja tenta acalmar o Vermelho, mas não consegue. O Amarelo também e é humilhado. O Violeta pede tolerância e é mais uma cor que fracassa. Chega o momento de o Verde entrar em ação, porém, ele acaba brigando com o Azul e o Anil. A discórdia se generaliza dentro do arco das cores.

Uma forte tempestade interrompe a briga entre as cores. Assustadas com o vento forte, raios e trovões, as cores decidem se abraçar e, neste momento, relembram como era bom viverem unidas. Em seguida, o tempo muda e elas são banhadas pelos raios de Sol. A luz do astro-rei revela para as cores que juntas formam o admirado arco-íris e que todas elas são belas e importantes.

Autora: Rosa Maria Miguel Fontes – Ilustrador: Nelson Tunes

“E se você fosse uma árvore”? – Editora Gaivota

Crianças são curiosas por natureza. Mas será que alguma delas já parou para pensar como seria a sua vida se fosse uma árvore? A autora, quando criança, pensou. Pensou e guardou essas ideias maluquinhas, que hoje foram transformadas neste livro. De forma delicada, o leitor é transformado em uma árvore robusta, que se enche de flores na primavera e no inverno fica nua. Que transforma as folhas secas em um macio tapete para os amigos e cujos frutos inspiram artistas a criar. É assim que esse narrador imagina a sua vida como árvore – e sem dúvida, vale a pena deixar de ser gente um pouquinho e conhecer a maravilha de ser o pouso de passarinhos.

Autora e ilustradora Talita Nozomi

“Hikôki e a mensageira do Sol – Editora Miguilim”

Já imaginou como seria a vida se o dia fosse permanente e a luz do Sol brilhasse ininterruptamente? Seria o Reino do Sol e, talvez, a vida das pessoas fosse bem diferente…

O livro infantil “Hikôki e a mensageira do Sol” conta a história de um pássaro (tão veloz quanto um avião), que voa alto e para muito longe da Terra. Ele sempre visita um lugar mágico habitado por um velho sábio que deseja contar uma novidade para todo mundo: o Sol nunca mais vai embora. Este sábio, no entanto, não sabe como falar para as pessoas sobre o Reino do Sol.

Hikôki conta para este sábio sobre uma menina, Ana Laura, (foto) que ama os raios da luz do dia e que, por isso, pode ajudá-lo. O pássaro, então, convida a menina para conhecer o sábio e o lugar mágico. Curiosa, a menina aceita e descobre a alegria de viver num lugar constantemente iluminado e capaz de transformar as pessoas.

Autora: Rosa Maria Miguel Fontes – Ilustrador: Maurizio Manzo


Primavera na Pracinha

A bibliotecária Cleide Fernandes divulga os livros infantis da Editora Miguilim que vão compor o espaço de leitura do encontro de domingo Na Pracinha

28/9/2013 – 20:53h

Amanhã, domingo, a festa dos livros com muita narração de histórias vai ser no Parque Renato Azeredo, no bairro Palmares, à Rua Antônio Peregrino Nascimento, s/n, de 9:30h às 11:30h. O 7° Na Pracinha vai ter espaço para leitura com a Editora Miguilim, oficinas com a Ora Bolinhas, contação de histórias com a Cia Arreleque e Paulo Fernandes, além das brincadeiras cantadas com O Quintal da Guegué. Um lazer orientado para o entretenimento de fim de semana das crianças.

***********

29/9/2013

Ei, gente! Por causa da chuva o Encontro na Pracinha deste domingo foi adiado. Brevemente, divulgaremos a nova data.

Mais festa com a Trupe Maria Farinha

12/9/2012 – 19:34h

Alunos de Contagem participam de espetáculo de narração de histórias - Foto: Acervo Trupe Maria Farinha

É sempre assim: por onde passam, Sandra Bittencourt e Babu Xavier, levam alegria com seus espetáculos de narração de histórias. No início deste mês, em Contagem, eles emocionaram várias crianças, no espaço do Sesc, ao contar as histórias de alguns dos livros que levam o selo da Editora Miguilim.

A começar por “Hikôki e a mensageira do Sol”, de minha autoria, os dois protagonistas da Trupe Maria Farinha, também dramatizaram “ABC da criançada”, de Soraia Vasconcelos, e “As sete saias da Lua”, de Joana Cavalcanti. As crianças participaram com muita alegria. E como participaram!

Otávio ajudou a interpretar a história "Hikôki e a mensageira do Sol" - Foto: Acervo Trupe Maria Farinha

Editora Miguilim apresenta “Hikôki”

Lançamento da editora Miguilim na Bienal do Livro de Minas

18/5/2012 – 21:25h

Os lançamentos da editora mineira Miguilim podem ser conhecidos e adquiridos no estande da distribuidora Boa Viagem na 3ª Bienal do Livro de Minas. São vários títulos novos, entre eles, “Hikôki e a mensageira do Sol”, da autoria de Rosa Maria Miguel Fontes e ilustrações de Maurizio Manzo.

O livro conta a história de uma menina, Ana Laura, que queria viver sempre sob a luz do Sol e, de repente, seu sonho tornou-se possível. Graças às aventuras de um pássaro veloz, Hikôki, que conheceu um sábio desejoso de encontrar alguém para ele ensinar os segredos de viver sempre no calor e na claridade do dia. Hikôki levou Ana Laura até ao lugar mágico, onde reinava o sábio, e a menina experimentou uma grande felicidade.

Além dos títulos novos, o visitante da Bienal também vai contar com a promoção de obras clássicas da literatura mineira, inclusive, as do escritor homenageado pelo evento deste ano: Bartolomeu Campos de Queirós. Quem quiser pesquisar estes livros infantis, antes de chegar ao estande da Miguilim/Boa Viagem, pode consultar o site da editora em: www.editoramiguilim.com.br

Bienal do Livro de Minas – 18 a 27 de maio – Expominas

Escola Algodão Doce promove feira

O livro infantil "Hikôki e a mensageira do Sol" foi destaque na feira da escola - Foto: Divulgação

27/4/2012 – 20:22h

A escola infantil Algodão Doce, que funciona em Santa Efigênia, promoveu a Feira de Livros 2012 e, além de oferecer aos pais dos alunos e visitantes, a oportunidade de conhecer e adquirir vários livros infantis, que foram expostos durante os dias de realização do evento, também presenteou as crianças com a contação de muitas histórias.

A turma do 1° ano, da tarde, da professora Andrea, vivenciou a obra de Monteiro Lobato e encenou “O sítio do Picapau Amarelo”. Os autores Vera Pinheiro e Eide conversaram com os alunos sobre seus livros.

Fui convidada para falar do meu livro “Hikôki e a mensageira do Sol”, ilustrado por Maurízio Manzo, editora Miguilim. Contei a história para os alunos do turno da tarde sob a orientação da coordenadora da escola e da feira, professora Cláudia Morais. Fui surpreendida pelo interesse das crianças em conhecer detalhadamente sobre a criação da história e a produção de um livro.

Para quem quiser saber mais: “Hikôki e a mensageira do Sol” foi lançado em 2011 e está à venda no site da editora Miguilim e nas livrarias de Belo Horizonte.

Uma fábula tem seu valor

Após a cerimônia, o público foi conhecer o livro

26/12/2011 – 21:16h

“Logo no primeiro contato, eu gostei do conteúdo de ´Hikôki e a mensageira do Sol´ e minha filha também. Ela já pediu para ler a história várias vezes”. Esta afirmação é de Jeferson da Encarnação, sacerdote da Igreja Messiânica. Ele gostou da obra “pelo fato de ela estar em sintonia com as verdades que aprendeu, segue e ensina”.

Neste sentido, a mensagem de “Hikôki e a mensageira do Sol”, de autoria de Rosa Maria Miguel Fontes, ilustrações de Maurizio Manzo, lançado pela editora Miguilim, tem surpreendido pais e educadores que buscam por livros com esta característica. Segundo eles, a criança precisa de histórias que ajudem na sua educação e formação sem, contudo, perderem a leveza e a graça.

Por causa deste reconhecimento, Jeferson da Encarnação apresentou “Hikôki e a mensageira do Sol” durante a cerimônia de fim de ano dos messiânicos. Além da autora, também esteve presente o editor, Alexandre Machado, que falou sobre a obra e as propostas da Miguilim, além de comentar sobre o trabalho pioneiro de sua família no mercado editorial mineiro, através das distribuidoras Boa Viagem e Fimac.

Jeferson da Encarnação (no púlpito) e Alexandre Machado durante a apresentação do livro infantil

Hikôki desperta a curiosidade das crianças

Crianças do 1° ano Fundamental da Escola Lúcia Casasanta participam de bate-papo com Rosa Maria, autora do livro

5/12/2011 – 19:31h

Depois de ouvirem a professora Fabiana de Paula Prado contar a história de “Hikôki e a mensageira do Sol”, os alunos do 1° ano Fundamental da Escola Lúcia Casasanta ficaram curiosos para saber mais sobre a produção deste livro infantil, recentemente lançado em Beagá pela Editora Miguilim, e convidaram a autora, Rosa Maria Miguel Fontes, para um bate-papo.

O encontro foi na biblioteca e as crianças perguntaram muito sobre a produção do livro. Aliás, eles me fizeram perceber que esta é uma boa pauta para o blog e, futuramente, vamos produzir uma matéria explicando sobre o passo a passo de criação de um livro infantil: do momento da concepção da história até a chegada da obra nas livrarias e escolas.

Encerrado este primeiro bate-papo, outra turma se preparou para conhecer a história. Desta vez, foi o 3° ano Fundamental, da professora Marina Caiafa Bretas. Além de ouvirem a história, estes alunos também quiseram conhecer outros detalhes, como, por exemplo, a origem do nome Hikôki. Este é um nome japonês e seu significado é avião. O personagem da história é uma ave grande, que voa muito alto e rápido… Tal como um avião. Ou gavião?

Todos os alunos desta turma desenharam o trecho da história que mais gostaram: destaque para o momento que a ave Hikôki carrega sua amiga Ana Laura para chegar a um lugar mágico e conhecer um sábio bondoso. Que lugar é este? O que aconteceu lá? Por que a ave e sua amiga voaram para tão longe? E este sábio? O que ele fez com os visitantes? Só lendo a história para saber… O livro “Hikôki e a mensageira do Sol” pode ser adquirido nas livrarias da cidade.

Na biblioteca, os alunos do 3° ano Fundamental perguntaram sobre a criação da ave "Hikôki"

Uma manhã para brincar com Hikôki

9/11/2011 – 10:15h

A foto mostra desenho dos personagens Hikôki e Ana Laura feito por aluno do Algodão Doce Crédito: Eliana

No dia 27 de outubro, estive na Escola Infantil Algodão Doce, Rua Maranhão 181, em Belo Horizonte, para um encontro com três turmas: maternal 3, primeiro e segundo períodos.  O motivo: falar sobre “Hikôki e a mensageira do Sol” que escrevi pelo desejo de também poder contribuir para a formação das crianças.

A professora Daniele Falcão já tinha contado a história para sua turminha do maternal e, como o interesse pelo livro foi grande, então, fui convidada para explicar como a história foi criada e mais: como um livro é produzido. Deste encontro ainda participaram as professoras das outras turmas, a Luana Figueiredo e Simone Torres.

Achei que seria difícil explicar para crianças tão pequenas sobre as etapas de produção literária… Que nada! Os alunos se mostraram muito à vontade, quando falei sobre texto escrito no computador, ilustração, impressão, capa etc… E pediram o que mais queriam: que eu contasse a história novamente para eles.

Narrei as aventuras de “Hikôki e a mensageira do Sol” e eles ouviram, sorriram, brincaram e me encantaram. No final, ainda me presentearam com desenhos que fizeram dos trechos da história que mais gostaram. A grande maioria desenhou o pássaro Hikôki voando com a personagem Ana Laura acima da Terra… Eles gostam mesmo é de aventura.