Dicas para famílias curtirem o tempo em casa

Muitas escolas e especialistas enviaram para o blog suas sugestões para ajudarem as famílias a lidarem com seus filhos nessa fase de isolamento social. Selecionamos algumas delas para oferecer para os leitores.

1- Leonardo Lopes, gerente educacional da rede de escolas Luminova (SP)

“Neste momento em que os familiares têm que dar conta do trabalho em casa e dos filhos, a primeira dica é certificar as configurações de privacidade e segurança dos dispositivos conectados à internet. Precisamos ter em mente que não será possível vigiá-los 24 horas por dia, então, se alguns acessos já estiverem bloqueados, como salas de bate papo com desconhecidos, é uma coisa a menos para se preocupar”, sugere o educador.

Depois, a dica é convidar as crianças e jovens a criarem, juntos, uma programação de tarefas. “É preciso estimular a criatividade, habilidade que na escola é desenvolvida em diversas atividades. Em casa, a pergunta é ‘o que podemos fazer para brincar’ e deixar que as próprias ideias, vindo deles, sejam de fato realizadas nesse período”, completa.

Atividades que sejam compatíveis com a idade são essenciais e a internet deve ser explorada para ajudar. Aos menores, por exemplo, atividades de pintura, recorte e colagem são ótimas para o desenvolvimento da criatividade e coordenação motora fina.

Um exercício que pode ser facilmente adaptado é o recorte de móveis de revista ou impressos da internet e que podem ser usados para reorganizar cômodos da casa. “Com as suas devidas proporções, é possível desenhar a planta da casa/dos cômodos e deixar que os pequenos façam a disposição que eles acharem mais legal. É até uma oportunidade para nós, adultos, desenvolvermos um outro olhar sobre nosso lar”, sugere.

Pesquisar sobre cores para propor determinadas pinturas ou apontar lápis para usar a casquinha e fazer colagem sobre objetos e desenhos são outras formas de, mesmo dentro de casa, continuar desenvolvendo as habilidades básicas.

Já os jogos de tabuleiro são sempre bem-vindos e são ótima oportunidade de confraternizar com a família inteira. Para os pequenos, o jogo de mímica desenvolve a consciência corporal e a lateralidade; para os mais velhos, jogos de estratégia que unem com conhecimentos de geografia e história instigam o raciocínio lógico.

Mas não é só o cérebro que precisa ser treinado; o acúmulo de energia será ainda mais perceptível nos próximos dias, já que as atividades físicas não devem acontecer, por orientações médicas. “É preciso que os jovens extravasem essa energia, então, brincadeiras de dança ou apps de realidade virtual que simulem atividades ao ar livre podem ser um meio deles não ficarem completamente parados”, comenta Leonardo.

Por fim, para a turma que já está na fase pré-vestibular, os próximos dias podem ser uma oportunidade e tanto para tirar dúvidas com professores, já que a maioria das escolas continuarão a atender por meio de plataformas online. Aproveitar para ler um livro, assistir documentários, pesquisar sobre conteúdos disciplinares no Youtube ou acessar portais oficiais e treinar para provas do ENEM ou das universidades desejadas é uma forma de ‘não perder tempo’ em casa.

Mas, para o gerente, as dicas acima só fazem sentido se os responsáveis souberem entender e respeitar o momento de cada um. “É preciso preservar o querer e o tempo de cada criança, buscando atividades que estimulem principalmente a criatividade. Para quem já está nas séries mais avançadas, vale auxiliar na gestão do tempo, tendo em vista que o que a eles compete é a prática do conhecimento e, com abordagens diferentes, a educação física, que segue o mesmo princípio de motricidade e consciência corporal”, conclui.

2- Ana Paula Detzel, coordenadora de Educação Infantil do Colégio Marista Santa Maria

Diante das mudanças na rotina pelas quais o mundo está passando, é importante adequar comportamentos e atividades para manter a segurança e bem-estar de todos. A coordenadora de Educação Infantil do Colégio Marista Santa Maria, Ana Paula Detzel, ressalta que, especialmente no caso de crianças pequenas, é interessante que alguns horários, como o do sono e das refeições, sejam mantidos. Porém, isso não impede que sejam feitas programações diferentes, como escolher um dia para ver um filme até tarde, ou dormir na cama dos pais. “É bom manter uma rotina dentro do que for possível. A criança pequena precisa desse hábito para se organizar, quando ela não tem uma programação fixa acaba ficando sem os limites que ajudam na organização do dia a dia”, explica a coordenadora.

Ela orienta também que mesmo com a suspensão das aulas, é possível realizar atividades que trazem informação e aprendizado de uma forma divertida. “Realizar atividades com as crianças reforçam a convivência social e estimulam a aprendizagem prazerosa. Como os pequenos estão descobrindo o mundo, tudo vira fonte de conhecimento”, lembra.

Veja algumas ideias

Cozinhar

Preparar receitas fáceis com a ajuda das crianças é uma boa oportunidade de integrá-las às atividades de casa. Os filhos podem participar desde a escolha do que fazer, passando pela seleção dos ingredientes, até pôr a mão na massa para fazer biscoitos, sanduíches, pizzas e o que mais a imaginação permitir.

Fazer piquenique

Ao invés de parques, use o jardim de casa ou do prédio em horários sem movimento. Montar uma cesta com frutas e coisas gostosas para aproveitar um pouco do tempo fora de casa ajuda a distrair e criar momentos que podem ficar na lembrança de todos. Se não for possível usar as áreas comuns fora de casa, vale explorar outros cômodos. Fazendo uma cabana com lençol, o lanche já ganha ares de aventura.

Plantar

Mesmo para quem mora em apartamento, é possível preparar uma hortinha na varanda, por exemplo. As crianças adoram mexer com a terra e ter uma plantinha para cuidar ensina sobre responsabilidade e cuidado.

Fazer bolinhas de sabão

Outra atividade ao ar livre que sempre faz sucesso são as bolinhas de sabão. Além das tradicionais, que já vêm prontas, dá pra fazer a mistura em casa e confeccionar moldes com arame ou barbante para fazer bolhas gigantes. Se não for possível sair, vale brincar da janela mesmo.

Inventar um brinquedo

Reaproveitando materiais que todos têm em casa, como papéis, rolos de papel higiênico, retalhos de tecido e garrafas pet é possível criar os mais variados brinquedos. Uma boa chance de exercitar a criatividade e o talento manual para dar forma à imaginação.

Escrever um livro

Com algumas folhas de sulfite dobradas ao meio e grampeadas, é possível criar um pequeno livro em branco que pode ser colorido, desenhado e escrito pelo seu filho. Se a criança ainda não souber escrever, a família pode ajudar colocando no papel o texto da história.

 

Contar histórias

Crianças adoram ouvir histórias. Como parte da rotina, dá para incluir um momento do dia para a contação de histórias. Além da leitura de livros, a mãe e o pai podem narrar aventuras da sua própria infância, lembrando de fatos divertidos para compartilhar com os filhos.

Dar banho nos brinquedos

Que tal aproveitar o calor para brincar com água? Especialmente nesses dias, as crianças podem usar bacias para lavar os brinquedos. Além de ser uma atividade que elas gostam muito, ensina sobre responsabilidade com os seus objetos e pode ser uma oportunidade para reforçar atitudes que evitam o desperdício de água.

Acampar dentro de casa

Fazer cabaninhas de lençol, com almofadas no chão, é o ambiente perfeito para uma brincadeira que entretém as crianças por bastante tempo.

Visitar locais online

Conhecer museus no mundo inteiro se tornou possível com o avanço da tecnologia e da internet. Basta fazer uma pesquisa rápida para achar dezenas de locais que oferecem visitas virtuais e conhecer acervos sem gastar nada.

3- Ana Erthal, especialista em Sensorialidades e Games da ESPM (RJ)

Com as crianças em casa devido à suspensão das aulas, abre-se a oportunidade de pais e filhos retomarem certas atividades perdidas no tempo e impossibilitadas por conta de tantas outras prioridades. Para Ana Erthal, especialista em Sensorialidades e Games da ESPM Rio, com a organização das demandas, é possível que pais ensinem antigas brincadeiras e vivenciem novos momentos com seus filhos.

Confira as dicas

Jogue com eles.

Jogo de cartas, de tabuleiro, stop, mímica ou um jogo digital compartilhado pela família, como Perguntados ou xadrez no mobile. Crie um campeonato. Ative o raciocínio lógico com desafios, mas faça junto. Além da sensação do tempo passar mais depressa, envolve a todos de modo simples e prazeroso, e abrange atividades cognitivas e de planejamento, concentração, desenvolvimento motor, entre outras.

Brinque com eles

Deixe fluir a imaginação e a criatividade com massinha, jogos de montar, blocos de construção, carrinhos, bonecas, desenho livre com lápis de cor. Tire tudo do armário e das prateleiras. Você vai se impressionar com as relações que as crianças são capazes de fazer e como percebem o mundo. Se permita entrar no faz de conta deles, não roteirize a brincadeira.

Leia com eles

Faça com que eles leiam para você, mesmo os ainda não alfabetizados. Eles podem demonstrar a interpretação das imagens e serem estimulados com perguntas sobre os detalhes. As crianças maiores podem apresentar as narrativas ou trechos de que gostam.

Cozinhe com eles

Com a devida segurança, pode-se dizer que lugar de criança é na cozinha. Deixe que sintam o cheiro da laranja sendo espremida, opinem sobre o gosto da massa do bolo, deixem que misturem os alimentos. Que se sujem um pouco aprendendo sobre quantidades e variedades.

Incentive a solidariedade

Fazer chamada em vídeo com os avós e tios, considerados grupo de risco, e colegas diminui a distância necessária nesse momento. Os laços sociais formam os adolescentes, constituem caráter e comportamento, e eles poderão demonstrar afeto. Os adolescentes, porque gostam demais dos seus celulares, talvez resistam inicialmente. Mas, demonstrar paciência, envolvimento real e atenção dedicada aos filhos, pode proporcionar momentos de trocas incríveis.

 

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *