Homenagem a Daniel Azulay

Hoje, 30 de maio, seria o aniversário de 73 anos do escritor, educador e artista plástico Daniel Azulay. Ele foi vítima da Covid-19 e faleceu esse ano, dia 27 de março. Mesmo assim, José Carlos Meneghetti, Presidente do Grupo Zit, não se esqueceu de homenagear esse profissional, que marcou gerações de crianças, e escreveu uma bela carta para o amigo e parceiro de um trabalho literário que durou 51 anos. Um dos muitos projetos de Daniel Azulay foi com o Grupo Zit para disseminar, através do seu poderoso traço, a prevenção às drogas por meio de cartilhas educativas.

Daniel Azulay ao centro; José Carlos Meneghetti, Presidente do Grupo Zit (à dir.) e seu filho Sandro Meneghetti, que está à frente da Editora Zit detentora dos selos Zit Editora, Escrita Fina, Nossa Casa, Novo Ser Editora, Ao Livro Técnico e Tinta Negra (à esq.) – Foto: Divulgação

 

“Falar de alguém que fez parte do meu círculo de bons amigos durante 55 anos é tarefa fácil.

Nosso primeiro contato se deu na década de 1960, dentro da Editora Brasil- América Limitada (EBAL). Nos primeiros instantes de conversa, não foi difícil perceber o quanto aquele rapaz, descolado, cheio de ótimas ideias, com uma alegria contagiante e que, curiosamente, carregava um hamster em seu ombro, seria um grande colaborador para a boa Educação em nosso país.

Anos mais tarde, o rapaz cheio de ótimas ideias estrearia o seu programa na TV brasileira e revolucionaria, para sempre, o olhar da criançada sobre o modo de brincar. Ele ensinou, pela telinha, meninos e meninas a criarem o seu próprio brinquedo com sucatas e a utilizarem técnicas lúdicas de desenho, mexendo com vigor na autoestima dos pequenos, além de colocá-los num patamar importante do pertencimento. Certamente, isso fez uma enorme diferença na formação intelectual ao longo da vida dessas crianças.

A Turma do Lambe-Lambe foi um marco da TV em nosso país. Daniel Azulay, criador dessa feliz turma, sempre ecoou em todos os lugares possíveis a linda frase: “Criança que desenha não passa a infância em branco.”

Quero deixar registrado aqui que a amizade com Azulay só me trouxe felicidade ao longo de mais de meio século, mas destaco a minha enorme alegria no momento em que Daniel assinou contrato com a nossa editora para disseminar, através do seu poderoso traço, a prevenção às drogas por meio de cartilhas educativas.

Não tenho dúvidas, sem medo de errar, que os livros responsáveis por contar a história dos grandes artistas plásticos e desenhistas do país terão um capítulo especial abordando o bem enorme causado pelo querido Daniel Azulay a várias gerações, em milhares de lares, através do seu talento e sensibilidade.

Enquanto houver emoção nos corações dos diretores e colaboradores do Grupo Zit, atravessaremos gerações cantando:

“SENTADO NO CAIXOTE / ABRAÇADO NA VIOLA / A RODA PEDE PRA CANTAR / EU CANTO E DIGO AGORA É HORA…/ CORRE, CORRE, CORRE, / CURRIOLA, CURRIOLA CORRE, / CORRE VEM CHEGANDO ALGODÃO-DOCE…”

Daniel Azulay, nosso carinho e obrigado por tudo, com muito algodão-doce para sempre!”

José Carlos Meneghetti
Presidente do Grupo Zit

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *