Semear leitores mesmo à distância

Programa de Incentivo à leitura da Fundação Bunge segue suas atividades durante o isolamento social e conta com espaços especiais e mediadores de leitura em nove estados brasileiros.

Foto interna e capa: Divulgação Fundação Bunge

 

Em tempos de isolamento social, a Fundação Bunge reorganizou suas ações para que aconteçam de forma segura e eficiente. O Projeto Semear Leitores, criado em 2011, foi reestruturado de acordo com a condição de cada estado participante. A franquia social visa estimular o contato das crianças com os livros de maneira prazerosa e em espaços de leitura acolhedores e lúdicos criados pela Fundação em parceria com as Secretarias Municipais de Educação de nove estados brasileiros (RS, SC, PR, SP, MG, BA, TO, PA e MT).

Abastecidos com um acervo inicial de cerca de mil livros, os espaços recebem kits com novas obras anualmente, além de baús lúdicos, com adereços que enriquecem a imaginação das crianças. O Projeto ainda forma e orienta mediadores de leitura, profissionais responsáveis por tornar o contato com os livros agradáveis e transformadores. Em 2020, o tema trabalhado é o “Multiculturalismo” para o qual cada espaço recebeu um kit de 15 livros interligados com o assunto principal.

Livro adotado durante o isolamento

Com o isolamento, o Semear Leitores teve que se reinventar devido à impossibilidade de abrir os espaços e orientou os 36 mediadores de leitura a seguirem o trabalho com propostas criativas, seguras e à distância. Durante o período, a obra “Da minha janela”, de Otávio Júnior, foi tema de uma das atividades. A história é sobre um menino que vive na favela do Rio de Janeiro e começa a prestar atenção no mundo que o cerca. O narrador descreve cada pessoa e animal visto pela criança, com cores, traços, gestos e objetos, cujas vidas podem ser parecidas ou diferentes da sua realidade.

Com uma narrativa sensível e conectada com o momento atual, os mediadores de leitura dos 33 espaços trabalharam a obra com os materiais e ferramentas disponíveis, livres para mediarem o conteúdo da melhor forma. Foram utilizadas plataformas de compartilhamento, como Youtube e grupos de WhatsApp, para que as crianças das escolas públicas e participantes do projeto recebessem o conteúdo.

No final de cada ação, os mediadores pediram que as crianças contassem o que viam de suas janelas por meio de vídeo, áudios e desenhos, como o menino no livro. A ação teve bastante adesão e muitos materiais forma compartilhados pelas crianças, contribuindo para aproximar a obra literária a seus cenários e a outras crianças nesse período de isolamento social.

Ilustração “Da minha janela”, Otávio Júnior

 

Fundação Bunge

A Fundação Bunge, entidade social da Bunge no Brasil, há mais de 60 anos atua em diferentes frentes com o compromisso de valorizar pessoas e somar talentos para construir novos caminhos. Suas ações estabelecem uma relação entre passado, presente e futuro e são colocadas em práticas por meio da preservação da memória empresarial (Centro de Memória Bunge), do incentivo à leitura (Semear Leitores), do voluntariado corporativo (Comunidade Educativa), do desenvolvimento territorial sustentável (Comunidade Integrada) e do incentivo às ciências, letras e artes (Prêmio Fundação Bunge).

 

 

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *