“O caracol e a bela flor”

Esse é o título do livro infantil de minha autoria, ilustrado por Robson Alves Araújo, que será lançado brevemente pela EIS Editora comandada pela médica, historiadora e artista plástica Íriam Gomes Starling. Nesta matéria, vou contar um pouco a respeito da história do livro e, noutra categoria do blog, Entrevistas, divulgar uma conversa exclusiva com Íriam: vocês vão conhecer uma editora que ama literatura infantil e cheia de garra para conduzir a EIS nesses meses críticos, porém, bem-sucedidos diante do seu trabalho e estratégias.

“O caracol e a bela flor” é o meu quinto livro infantil. Comecei a escrever essa história num dia em que as lembranças viajaram para a época em que era criança e vivia numa casa envolta por um extenso e belo jardim. As lembranças me trouxeram uma certeza: beleza realmente é fundamental. Se, um dia, o poeta Vinícius de Moraes escreveu e cantou assim, ele tinha razão. A beleza e a energia desse jardim me ensinaram a gostar das flores, dos pássaros, da natureza e de toda o esplendor e força existente nesses seres. E, na vida adulta, estar preparada para apreciar artes, inclusive, a literária.

Comecei a escrever a história a partir das imagens guardadas dentro de mim e concluí que ninguém deve viver sem apreciar o que é belo. Escolhi um caracol e uma flor de meio-dia para vivenciarem a experiência de uma vida antes e depois desse reconhecimento. O caracol levava uma existência triste, pois vivia numa terra úmida e sem reconhecer seus pontos positivos. Mas só até de aproximar de uma bela e perfumada flor.

“Para aquele caracol, as flores pareciam arranha-céus de tão alto elas ficavam de suas vistas, que enxergavam pouco. Suas antenas captavam os cheiros e dirigiam o seu pequeno corpo para as plantas que gostava de comer, mas ele não percebia a beleza que o cercava.”

Mas chegou o dia em que isso começou a mudar.

“Caiu bem em cima de uma flor do meio-dia, aberta, bem rasteira, plantada por entre as dálias que vô Antônio cultivava.

_ Onde estou? Pensou o caracol tentando entender o que aconteceu…

O caracol ficou surpreso ao sentir que estava no colo da bela flor.

 Afinal, nunca tinha visto uma espécie, assim, tão perto. O bichinho não cansava de olhar para a flor e escorregava por entre as pétalas sentindo como eram macias e perfumadas.

_ Será que eu morri e cheguei ao céu? Assim, ele se perguntava diante do bem estar que experimentava.”

Esse é o trecho mais dramático da história que mostra o início da transformação do caracol para aprender a viver de uma forma mais bonita. Além do molusco e da flor do meio-dia são personagens da história Vô Antônio, Vovó Rosa e os meninos gêmeos Miguel e Daniel.

O livro “O caracol e a bela flor” tem 32 páginas muito belas e desenhadas pelo ilustrador Robson Alves Araújo, que é carioca e mora por entre as serras de Petrópolis. Mas já morou rodeado também pelas montanhas de Minas Gerais, em Betim. Além de ilustrador, é caricaturista.

Desde que começou a se dedicar à literatura infantil, começou a colecionar reconhecimentos pelo seu trabalho. Em 1997, por exemplo, Robson recebeu a menção de “Ilustrador Revelação” da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Vários dos livros que ilustrou receberam a menção “Altamente Recomendável” da mesma fundação e grande parte deles foram selecionados para o catálogo brasileiro anualmente presente na principal feira de literatura infantil que é realizada em Bolonha, na Itália.

No link https://contaumahistoria.com.br/2020/10/iriam-starling-e-os-projetos-da-eis-editora/ que fica dentro da categoria Entrevistas desse blog, vocês vão conhecer Íriam Gomes Starling, a responsável pela Eis Editora, mineira, de Belo Horizonte, que acolheu minha história e está preparando o lançamento de “O caracol e a bela flor” juntamente com outros livros infantis.

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *