Começou, termine: filosofia de vida em qualquer tempo

Sandra Morais Ribeiro dos Santos *

 

“Termine”. Esse foi o melhor conselho que já recebi na vida. Palavras de meu pai ditas em momentos em que me sentia desmotivada ou extremamente cansada e com vontade de jogar tudo para o alto. Essa palavra ainda ecoa em minha mente. Quantas oportunidades perdemos, ao longo dos anos, simplesmente por não conseguir terminar o que começamos?

Em várias circunstâncias e momentos somos desafiados a continuar mesmo enfrentando situações adversas. Muitos buscam a felicidade plena e constante em suas vidas. Isso é utopia. A graça está em se conquistar momentos plenos, dia após dia, quando conquistamos pequenos sucessos, que, ao final, poderão se tornar grandes. Alguém já citou que o sucesso é justamente a soma de pequenos esforços diários.

Termine, lute contra seu eu, contra a procrastinação, contra o cansaço, as aflições da vida e os obstáculos. Termine. E faça bem feito, não de qualquer jeito, apenas por fazer. Não simplesmente para agradar os outros. Faça bem, faça o melhor, de forma que olhe para trás e sinta orgulho de si mesmo, ainda que ninguém veja ou observe. Ciclos precisam ser fechados. Tarefas precisam ser terminadas para que novas coisas possam acontecer. Seja o que for, termine o que está fazendo. Não desista.

Uma das formas disso se efetivar, o que descobri com o passar dos anos, é justamente dividir aquilo que parece grande em pequenas partes. Tive um grande desafio há alguns anos e fiquei apavorada com o tamanho da proposta do projeto em relação ao tempo de efetivação. Pensei comigo mesma – não vai ser possível, não há tempo para fazer tudo que é necessário para entregar o que me foi solicitado. Mas era uma oportunidade incrível. Não podia perdê-la. Lembrei-me então de um ditado indiano “Como é que se faz para comer um elefante?”

Divida-o em pedacinhos. Divida o projeto em várias tarefas menores com metas alcançáveis dia após dia. E sinta-se feliz por essas metas estarem sendo atingidas. Coloque num quadro à vista de seus olhos e festeje cada item riscado. Ao alcançar uma meta maior, comemore com algo significativo.

Aceitei o desafio. Executei o projeto e foi muito bom ver o resultado final. Mesmo que todo o esforço, a dedicação, o tempo, tenham ficado no obscurantismo, mas eu sei o que fiz e isso me dá orgulho de mim mesma. Eu venci, consegui, terminei. Houve desânimo ao longo da caminhada? Sim. Vontade de parar? Com certeza. Mas as palavras de meu pai ecoavam dentro de mim: termine.

Não se entregue à procrastinação. Não se acostume com derrotas e perdas, não largue as coisas no meio do caminho, pois para que coisas maiores e melhores possam acontecer, os desafios diários precisam ser vencidos, precisam ser terminados. Busque aprimoramentos, melhorar a cada dia, aprender algo novo. E sobretudo, termine o que você começou.

*  Professora da Área de Humanidades da Escola Superior de Educação do Centro Universitário Internacional Uninter

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *