“O menino que perdeu o ônibus”

Essa história é dedicada por seu autor e ilustrador, Guto Lins, a Ziraldo como “o eterno menino e seu ônibus repleto de janelas”

 

Há crianças que nunca entraram num ônibus e outras que, ao contrário, entram e saem diariamente de dentro desse veículo. Mas tenho certeza que todas elas adoram ver um super motorista conduzir tanta gente por entre janelas, janelas e mais janelas.

Junto com essa magia que as crianças experimentam diante do ônibus, existe algo um tanto chato: os horários, que quase nunca são cumpridos, e se o passageiro atrasar (ou mesmo se adiantar) para chegar a uma dessas paradas é irritante. Esperar muito tempo por um ônibus, perdê-lo e saber que acabou de passar, tira todo mundo do sério. Inclusive as crianças que dele dependem.

O que o livro “O menino que perdeu o ônibus” propõe é: respira fundo e aproveite o momento para refletir, observar, sonhar diante da realidade, que está ao seu lado diariamente, mas que a pressa do dia a dia não lhe permite sentir nem interagir.

O autor e ilustrador Guto Lins convida os leitores para uma jornada pela faceta exuberante e lírica dos espaços mais corriqueiros.

“Correndo mais rápido que as pernas

Quase tropeçou no vento

Atento ao tempo perdido

Achou que daria tempo

Mas o ônibus virou ladeira

Virou poeira.”

 Esta é a deixa para que o olhar, desarmado pelo imprevisto, acabe flagrando cenas que não teria reparado num dia normal.

“Parado reparou

Uma seta rasgando o céu

Gaivotas mostrando o caminho

A líder na ponta da seta

Cansaço compartilhado

Outra líder, a mesma seta”…

 

… “E quase não viu o céu desenhado no chão

No topo de uma escada de diz

Degraus quadrados numerados

Sequência em forma de cruz

Bagunça de pés descalços

Pegadas do tamanho das suas.”

 Outras experiências também surgem nas páginas do livro: a correnteza do mundo, exuberante, arrasta o menino para fora da rotina num convite para ele aguçar os sentidos e instigar mais ainda a rica curiosidade infantil. Com certeza, a essas alturas, o personagem já se sente feliz com a partida do ônibus e a mudança na sua rotina.

Comentários do autor-ilustrador

Guto Lins tem dezenas de livros ilustrados, mais de 40 escritos e publicados, sendo que o primeiro foi lançado em 1992 apadrinhado por Ziraldo – Foto e imagens: divulgação

Guto Lins comentou para o blog que seu texto foi escrito em 2017 e entregue à Zit Editora em 2018. “No mês de março desse ano, em pleno isolamento social, os editores me convidaram para editarmos.”

Hora de criar, produzir as ilustrações e Guto Lins fez todo o livro nesse período de mundo parado e pessoas quietas e isoladas.

“Adaptei um atellier na minha casa, trazendo materiais de meu escritório. Tive que fazer diversas gambiarras. Analógicas e digitais. Usei folhas do jardim do meu edifício em monotipias e refratários de forno como mesa de luz,” explica.

O resultado nós vemos agora e, na minha opinião, ficou fascinante. Estou com o livro nas mãos, lendo e admirando página por página.

“Creio que tudo isso reforçou a poesia do livro, que fala de reinventar caminhos. As ilustrações, no início da narrativa, são mais figurativas e vão ficando mais abstratas, enquanto o menino vai descobrindo o mundo com um novo olhar.”

Livro pronto ainda faltava uma etapa. Todo o sistema de divulgação também foi pensado função da obrigatoriedade de ficar em casa, por isso o lançamento foi num ambiente virtual.

“Fiz uma série de pequenas animações, postadas semanalmente no Instagram (@guto.lins), instigando o leitor, dando pistas e direcionando pouco a pouco para a data de lançamento.”

Guto Lins é designer, autor, ilustrador, pesquisador e professor de design da PUC-Rio, desde 1995. Tem mestrado em Literatura e está fazendo doutorado em Design. Ele tem cerca de 40 títulos como autor e algumas dezenas como ilustrador.

“Comecei minha carreira de ilustrador ainda na universidade ilustrando Sylvia Orthof para uma disciplina na ESDI. Publicamos no ano seguinte, em 1985. No ano de 1992 lancei meu primeiro livro como autor apadrinhado pelo Ziraldo.”

Quem quiser conhecer mais do trabalho do autor clica no link www.gutolins.com.br

“O menino que perdeu o ônibus” é um lançamento da Zit Editora, tem 32 páginas, custa R$ 38,70 e pode ser comprado nas principais livrarias e nos sites www.grupoeditorialzit.com.br e https://www.fokaki.com.br

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *