Ler nas férias

Duas opiniões diferentes nos ajudam a compreender de forma mais abrangente o valor dos livros para as nossas emoções e crescimento interior

 

Foto: Divulgação

 

As férias de verão são um período propício para descansar a mente e realizar atividades em família. Por que não aproveitar esse momento para incentivar o hábito da leitura? Ler contribui para ampliar o conhecimento, desenvolvimento e para expandir o imaginário das crianças e adolescentes. Além disso, a atividade pode ser um momento de lazer bem divertido.

Uma pesquisa da Universidade de Emory, nos Estados Unidos, comprovou que a leitura provoca no cérebro humano sensações como se o leitor tivesse realmente vivido o momento do livro. “A leitura proporciona uma viagem entre ações, personagens, temas e lugares propostos no livro. Essa atividade pode ser realizada de diversas maneiras no período das férias, acessando memórias e repertórios das crianças e adolescentes e proporcionando um momento de muita diversão”, revela Gillys da Silva, diretora do Marista Escola Social Ecológica.

Com o objetivo de incentivar a leitura dos alunos, o Marista Escola Social Ecológica, que atende gratuitamente crianças e adolescentes, em Almirante Tamandaré (PR), criou o projeto de Sacolas Literárias. Os estudantes podem retirar livros na biblioteca da escola e levar para casa para que toda a família também se beneficiar. “Durante a pandemia, surgiu a necessidade de levar a biblioteca até os estudantes, facilitando o acesso à leitura. Por isso, durante as férias, o projeto continua ativo para incentivar momentos de aprendizagem e entretenimento com os livros”, reforça Gillys.

O acesso aos livros e outras ferramentas de leitura incentiva as crianças e os adolescentes. A especialista dá dicas de como realizar ações e atividades para incentivar a leitura:

  • Aproveite para brincar enquanto lê – O momento da leitura também pode acessar a memória e o repertório tanto das crianças quanto dos adultos. Por isso, aproveite para construir brincadeiras com as narrativas presentes nos livros. “Por exemplo: se na história do livro tem um barco navegando, os pais e crianças podem fazer esse barco de massinha ou outros itens que tenham em casa. Essas intervenções ajudam a ativar ainda mais a imaginação e o lúdico”, sugere Gillys.
  • Comece aos poucos – Para aquelas crianças e adolescentes que não têm o hábito da leitura, respeitar o espaço e o tempo é fundamental. Uma sugestão é começar aos poucos incentivando a leitura de poucas páginas por dia, sem pressa para terminar o livro ou pressão para continuar os próximos.
  • Utilize outras ferramentas para mostrar as histórias – Filmes, desenhos, séries e peças de teatro também contam muitas histórias retiradas de livros e muitos são os conteúdos disponibilizados gratuitamente na internet. Aproveite para mostrar que muitas pessoas gostam da mesma história, que aquele personagem é conhecido no mundo todo. Assistir a um  filme também é uma ferramenta para descobrir novos ângulos.
  • Procure descobrir os temas que mais atraem – É normal as crianças e adolescentes gostarem mais de determinados temas. Esse interesse pode contribuir na escolha dos títulos. “Todas as crianças possuem fases e gostam de determinados assuntos, estimular essa escolha para iniciar o hábito da leitura pode contribuir para que eles se sintam mais confiantes e curiosos”, afirma a diretora.
  • Embarque junto na viagem – O incentivo dos familiares também auxilia que as crianças e adolescentes queiram compartilhar o livro em que estão envolvidos no momento. Se o livro contar uma história de outro país, por exemplo, uma visita virtual na internet pode mostrar como aquele local é hoje. Ou se a história se passa em um cenário com muitas plantas, porque não aproveitar para fazer algum projeto  no jardim de casa ou em um vasinho? “Podemos  transformar aquele momento de leitura em aprendizado e diversão”, reforça Gillys.
Foto: Divulgação Pixabay

 

Leitura e saúde mental

Aqui, falaremos de outro aspecto da leitura.

Os temas relacionados aos “transtornos e à saúde mental” – que estiveram em alta em 2020 devido ao isolamento social causado pela pandemia – são o foco da campanha “janeiro branco” que, desde 2014, tem como objetivo despertar a humanidade para questões e necessidades relacionadas à saúde mental e emocional.

De acordo com o médium e escritor espiritualista Odil Campos, é preciso ficar atento às emoções, uma vez que os sentimentos positivos ou negativos liberam as mais diversas reações. Cultivar o positivo e evitar o desgaste de energia com temas negativos é fundamental. “A recomendação não é ficar alheio aos acontecimentos do mundo, mas não absorver emoções nocivas que tendem a baixar nossa vitalidade”, explica.

Neste sentido, orienta, “a leitura é uma ótima aliada no período em que muitas pessoas na América do Sul escolhem para descansar”. Embora não seja recomendado o ir e vir tradicional das férias e atividades de lazer por causa da necessidade de isolamento, o livro e a leitura são bons companheiros para este momento.

Além de ser uma forma de diversão e informação, a leitura é uma atividade com muitas funções. “Ela é um dos caminhos mais fáceis para o conhecimento e o desenvolvimento de habilidades. Ela repercute diretamente em nosso estado de ânimo e na saúde mental”, relata.

Odil Campos, autor de “A Consciência e Suas Energias” (ed. Flor de Lis, 180 págs., R$ 30), enfatiza que a leitura funciona como um suporte positivo para quem deseja manter o equilíbrio emocional. “Ela é uma espécie de exercício ao cérebro e reduz o estresse, pois envolve imaginação, estimula a mentalização e a criação. A necessidade de focar a atenção na história também afasta o leitor das mazelas do cotidiano e traz um alento necessário para esse momento que vivemos”.

Pesquisa desenvolvida pela Universidade de Sussex, no Reino Unido, e divulgada pela PUC-RS também mostrou que ler reduz em até 68% os níveis de estresse, auxilia na diminuição da frequência cardíaca e alivia a tensão muscular, além de proteger a mente contra o surgimento de doenças neurodegenerativas. “Ou seja, ler auxilia no equilíbrio do pensamento e ações.

O médium e escritor Odil Campos também é enfático quando o tema é espiritualidade e saúde. Para ele, “o lado espiritual – quando acionado por meio dos sentimentos de amor, compreensão, doação e fé – produz a sustentação da ação que nos fará superar momentos de fraqueza, raiva e ódio, nos conduzindo a um patamar mais elevado que, por sua vez, permite ter uma visão mais adequada, real e compreensiva daquilo que vivemos”.

O médium defende que a fé – cultivada também pelo hábito da leitura – afasta o ser humano de ações e atos negativos e possibilita a elevação do ser humano.

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *