Minhas histórias 

Henrique German

Henrique German: “Descobri, meio sem querer, a delícia e a beleza de fazer livros para as crianças” – Foto: Divulgação

Sou o Henrique German, escritor, mineiro de Belo Horizonte, com alma e coração de pão de queijo. Tendo a Páginas Editora como parceira, também ela daqui de Belo Horizonte, publiquei cinco livros no ano de 2020, sendo três para o público adulto e dois direcionados às crianças.

Além de “Pipa, um cara especial” e “Lucrécia”, lançados no ano passado, apresentarei outras quatro histórias infantis agora em 2021, devendo três delas ser lançadas em fevereiro: “Rebeca”, “Zequinha” e “Draguinho” todos em fase de acabamento de edição.

Quando comecei a escrever, em 2019, após aposentar-me como Promotor de Justiça, descobri, meio sem querer, a delícia e a beleza de fazer livrinhos para as crianças e, desde então, não parei mais, tendo produzido, tanto para os pequenos, quanto para os adultos.

Os meus textos infantis abordam, normalmente, questões e situações cotidianas que envolvam a inserção das personagens retratadas no meio em que vivam, na medida em que, em geral, apresentam limitações e dificuldades fruto de problemas de saúde.

As histórias buscam ressaltar, frente às doenças, ou melhor, às diferenças entre as personagens, a necessidade do acolhimento amoroso de todos, da correta percepção das limitações do outro e das possibilidades que se abrem quando se fazem prevalentes a tolerância e o espírito de colaboração.

Os livros retratam recortes da vida de personagens fabulosos, sempre animaizinhos falantes, fofos, que enfrentam alguma dificuldade no dia a dia em razão de certa condição médica, como, por exemplo, a formação inadequada de parte do corpo, uma limitação visual grave, a instalação de uma doença adquirida e assim por diante.

Em outro giro, as fábulas abordam outras situações como o valor da liberdade, o companheirismo, a amizade entre diferentes, o valor da paz, da cooperação mútua, o apreço pela família, pela escola e pelas boas amizades. Há uma fábula que trata de uma linda estória de amor, também esta com um viés de exaltação da coragem, do respeito e, mais prosaicamente, da importância do cuidado com os dentes.

O pano de fundo das minhas fabulazinhas, que penso melhor dirigidas às crianças pequeninas, mesmo antes da alfabetização, é a formação do caráter de aceitação do próximo, de abertura amorosa para a convivência harmônica com os demais, ainda que diferentes do ordinário, por qualquer motivo.

A linha mestra da minha literatura infantil é, em uma palavra, a integração, do ponto de vista familiar, escolar e, mais amplamente, social. Naturalmente, tudo é contado e ambientado de forma lúdica, colorida, com linguagem acessível que, porém, não afronta nem a norma culta nem a capacidade dos leitorezinhos.

Espero que as crianças, juntamente com os pais, irmãos mais velhos, tios, primos, padrinhos, amigos e colegas de escola, possam fazer bom proveito da leitura e, sobretudo, divertirem-se muito com cada aventura literária.

O meu beijo carinhoso a todos os amigos do blog!

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *