Em casa: Carnaval para a criançada

Apresentamos duas dicas para pais vivenciarem com seus filhos nos dias de Carnaval, mesmo ficando em casa: o Movimento Plástico Transforma ensina a fazer fantasias, máscaras e brinquedos a partir de material reciclado, enquanto a professora de Arte do Colégio Marista Arquidiocesama orienta sobre a produção de máscaras e realização de um baile envolvendo toda a família.

 

Fantasia de astronauta: embalagens de refrigerantes podem se transformar em um colorido foguete – Fotos: Divulgação

 

Uma das principais datas festivas brasileiras, o Carnaval, não será comemorado este ano em diversas cidades.  Porém, pais e filhos, foliões de plantão, podem celebrar de uma maneira diferente, aprendendo a fazer fantasias, instrumentos musicais e até jogos com material reciclado. A ideia é promover um carnaval sustentável em casa e colocar em prática, de forma divertida, conceitos de sustentabilidade.

“Em algumas empresas e escolas, o feriado de carnaval será mantido, o que significa mais tempo livre com as crianças em casa. Por isso, a proposta é criar elementos ligados às festividades, usando a criatividade aliada à reciclagem”, afirma Fernanda Maluf, coordenadora do Movimento Plástico Transforma.

Abaixo seguem algumas ideias para o “bloco dos sustentáveis”.

Fantasia de astronauta – Embalagens de refrigerantes podem se transformar em um colorido foguete. A dica é pintar os itens com tinta guache e uni-las com a ajuda de fita dupla face. Para a cauda, aposte em papel crepom vermelho para representar o fogo.

Máscara de bichos – Um verdadeiro zoológico pode surgir a partir de pratos de plásticos, tinta, cartolina e muita imaginação. Basta pintar os pratos e recortar a cartolina para formar olhos, focinho, boca e outras características de cada animal. As crianças também podem usar canetas hidrográficas para dar um acabamento caprichado.

Instrumentos musicais podem ser feitos com tampinhas plásticas de garrafa PET e tubos de PVC

 

Instrumentos musicais – Os pequenos foliões farão muito barulho com chocalhos produzidos com tampinhas plásticas de garrafa PET e tubos de PVC. Neste brinquedo, os pais devem ajudar na hora de perfurar a parte central das tampas e a parte superior dos canos. Depois, as crianças auxiliam passando as tampas pelo barbante que unirá ao tubo. Aí é só amarrar as pontas do barbante e começar a festa.

Boliche –  Há também opções de jogos para quem prefere deixar o carnaval de lado. Com dez garrafas PET e uma bola é possível disputar um divertido boliche com a criançada. As embalagens podem ser personalizadas com tintas e adesivos, de acordo com as preferências de cada criança.

Com garrafas PET e uma bola dá para jogar boliche

 

Como entreter as crianças

Com os tradicionais bloquinhos, matinês, comemorações e desfiles de rua suspensos, como aproveitar essa festa popular entre a família sem perder a alegria que este período do ano traz para todos os brasileiros?

A docente da disciplina de Arte do Colégio Marista Arquidiocesano, localizado em São Paulo, Rebeca Martineli de Melo, indica como alternativa que toda a família se reúna para colocar a mão na massa, produzindo, por exemplo, máscaras carnavalescas para brincar em casa.

A técnica sugerida pela professora é chamada de papietagem, com a qual é possível produzir qualquer objeto sólido por meio da colagem de diferentes tipos de papéis rasgados, usando apenas cola branca simples. A papietagem consiste na aplicação de diversas camadas sobrepostas de jornal que, coladas sobre uma base de papel, reproduzem um objeto, formando uma estrutura firme depois de seca.

Por meio da colagem de diferentes tipos de papéis rasgados, usando apenas cola branca simples, além da criatividade, é possível fazer uma máscara perfeita – Foto: Divulgação

 

Com as máscaras, a docente sugere que a família faça, na sala, no quintal ou na garagem, um baile de máscaras, o evento precursor do Carnaval moderno no Brasil.

De acordo com Rebeca, o Carnaval, no Brasil dos séculos XVI e XVII, não tinha música nem dança: brincava-se o entrudo, herança da colonização portuguesa.

“A festa foi se modificando com o tempo e ganhando outras roupagens, como o baile de máscaras, tradicional em países europeus. Hoje, o Carnaval é considerado a maior festa popular brasileira”, explica. “Capaz de agradar crianças e adultos, o baile de máscaras pode ser uma excelente escolha para uma atividade em família”, finaliza.

Os Colégios Maristas estão presentes no Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 18 unidades.

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *