“Flor de menina”

Página por página esse livro é um jardim docemente desenhado por Cecília Murgel. A história de autoria de Giselle Melo mostra a importância das flores para a vida e a necessidade de nos comprometer com o meio ambiente

 

Na contracapa do livro, a consagrada escritora Stella Maris Rezende registra para o leitor, com muita sensibilidade e riqueza, a reflexão proposta pelo livro “Flor de menina”:

“Rosinha é flor durante o dia. À noite, torna-se menina, gente, um ser humano como qualquer outro. Sua família tem a sina de ser flor durante o dia e virar gente à noite. Rosinha quer mudar sua história, sonha em ser apenas flor, tanto faz se é dia ou noite. Ela considera que há muita gente no mundo e apregoa a ideia de que haja mais flores, mais vida na natureza, mais beleza de alma. Será que seu desejo se consolidará? Num texto com linguagem poética, a autora fala sobre a vida, natureza e escolhas.”

Uma menina que deseja viver inteiramente como flor. O que levou essa criança a querer abandonar o mundo dos humanos? A autora, logo nas primeiras páginas, já traz uma pergunta difícil:

“Por que todos escolhiam ser gente?

O homem se via como dono da natureza. Por isso, todos achavam: ser humano é mais importante que flor.”

Na família da menina, as transformações eram frequentes:

“Cravo se transformou em homem-pai, dália na boa-mãe e a irmã Margarida em bela amiga.”

Rosinha, entretanto, anseia por outro destino. Com essa postura, ela vai quebrar a tendência de seus parentes que numa fase eram flores e noutra se transformaram em humanos.

A menina, que vivia como flor apenas durante o dia, ansiava ser flor também durante a noite. Ela desejava esquecer que era gente para começar a viver apenas para enfeitar jardins e a vida das pessoas. Ela enxergava a necessidade de cultivar e preservar a fauna e a flora. Eis o momento de sua metamorfose de menina para flor:

“Ao alcançar a terra úmida pelo sereno noturno, seus pezinhos afundavam na maciez arenosa transformando-se em vigorosas raízes. Seus bracinhos em vale folhavam. Seus cabelos rodopiavam, a saia do vestido […de lese branco…] girava e em brancas pétalas aveludadas se transformava.

Lá estava menina flor!”

Rosinha é meiga, gentil, risonha, graciosa, delicada, falante, faceira e, se necessário, até brava, qualidades que adquiriu das suas condições existenciais entre menina e flor. É amiga de insetos e bichos do jardim na casa onde mora. Diferentemente de muitos seres humanos que conhece, ela adora tomar banho de chuva e abrigar os amigos. Refrescar-se do calor sentada à beira do riachinho, banhando os pés na água doce.

Sempre brinca e conversa com os peixes que vivem a rodear seus dedinhos. Faz barcos de papel e gosta de vê-los navegar livremente. Mas a felicidade de ser flor durante o dia murchava ao cair da noite por ter que se transformar em gente. Carinhosa, inteligente e boa filha, sofre ao saber que aos nove anos de idade viveria eternamente como gente. Isso a angustiava e a fazia buscar ajuda com a Lua Cheia.

“Angustiada, fechou e apertou os olhos pequeninos, se concentrou e pensou o pedido.

_ Dona Lua, sei que a senhora é vaidosa, influenciadora e inspiradora. Me escuta! Quero ser flor! Tem muita gente no mundo já! Meus pés não vão fazer falta na multidão, mas meus galhos e minhas flores, sim! Espelho a paz, propago segurança e calmaria. As pessoas estão faltosas de tais sentimentos!”

Qual será a reposta da Lua? Será que o astro tem poder de transformar definitivamente uma menina em flor?

Se conseguir, como será existência de Rosinha flor? Como vai ajudar os amigos que vivem com ela no mesmo jardim? Como vai cuidar da natureza?

E você? Teria coragem de fazer uma escolha desse tipo? Como os humanos devem cuidar dos jardins, do meio ambiente e da natureza?

A autora Giselle Melo é escritora de literatura fantástica e contadora de história com a função terapêutica. Desde 1987 atua com o público infantil e juvenil, primeiro como professora da Educação Infantil e Ensino Fundamental I, e agora como psicóloga. Tem mestrado em Psicologia Escolar, especialização em Psicopedagogia e Neurociências, cursos de extensão em Literatura Infantil, Biblioterapia, Literatura Fantástica, Educação com Histórias e formação em Neuropsicologia. Desde criança dizia querer ser bruxa-escritora. Mas se apaixonou pela arte de desvendar a alma humana. Nunca abandonou a escrita, mas há cinco anos a bruxa-escritora reivindicou vida e a carreira literária desabrochou.

A ilustradora Cecília Murgel nasceu em São Paulo. Descobriu cedo que lápis são suas varinhas mágicas e servem para criar coisas coloridas e encantadas. Um dia cresceu e acreditou que desenhar casas e prédios para pessoas morarem é que era coisa para gente grande fazer com caixa de lápis. Foi estudar Arquitetura e por 20 anos desenhou coisas que se constroem com tijolos. Mas, em 2010, decidiu que para o resto da sua vida queria desenhar o que de mais sério há para se desenhar: sonhos.

O livro “Flor de menina” é uma publicação independente da autora Giselle Melo, tem 34 páginas, custa R$ 35,00 e está à venda no Mercado Livre.

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *