“O pequeno macedônio”

Autores premiados se juntam em projeto que introduz debate filosófico para crianças. Livro infantil traz debate sensível sobre bullying, afeto e amizade

Em Campo Grande, foi lançada uma obra literária sensível e necessária em formato de e-book: “O pequeno macedônio”. O projeto literário foi aprovado no Edital Morena Cultura e Cidadania, com recursos da Lei Aldir Blanc, apoio da Prefeitura de Campo Grande e Governo Federal por meio da Secretaria de Cultura e Turismo.

A trama fala sobre Sasko, um menino que veio da Macedônia e encontra dificuldades em se encaixar em sua nova terra, sobretudo, com as outras crianças. No decorrer da história, um misto de emoções traz a expectativa da amizade, a necessidade do afeto e as razões que movem as pessoas no mundo. O livro vem com a assinatura de dois artistas de peso, o escritor Henrique Komatsu, um dos finalistas do último prêmio Jabuti pelo livro de contos Ototo, e o artista visual Fábio Quill, indicado ao prêmio HQMIX em 2020 por sua obra Amálgama.

Com “O pequeno macedônio”, Henrique lança seu terceiro livro infantil. Formado em Direito e Filosofia, um de seus propósitos é procurar formas de introduzir a filosofia no dia a dia das crianças por meio da literatura. Em suas inspirações para o livro, além de experiências próprias, Henrique se inspirou em épicos como a Odisseia e a Ilíiada de Homero e também em personagens da mitologia grega.

“Acredito que “O pequeno macedônio” traga também vários debates e temas que podem ser trabalhados, como o bullying, por exemplo. O fato de Sasko se sentir deslocado e a maneira como é recebido por seus colegas pode servir para debater as motivações com as crianças”, sugere Henrique.

Além de ter uma trama envolvente, “O pequeno macedônio” é, sobretudo, um trabalho primoroso de arte. Isso graças ao talento de Fábio Quill, que tem uma trajetória sólida como artista visual, autor de histórias em quadrinhos, muralista e arte-educador. Ele ficou responsável por ilustrar o livro, mesclando a pintura com tinta acrílica e o desenho com grafite, pontos muito característicos de sua obra. São essas imagens que ajudam o leitor a enxergar a história, facilitando o entendimento de todas as nuances do enredo.

“A história tem pontos muito frios quando trata das relações entre as pessoas, mas ao mesmo tempo, a linguagem é dinâmica e tem vida. O leitor mais atento vai conseguir captar toda essa riqueza”, pontua.

Outros dados do livro

“O pequeno macedônio” está à disposição para leitores do mundo todo pelo site http://bit.ly/opequenomacedonio . É possível fazer o download grátis do e-book em diversos formatos. Além disso, a história ganhará também uma versão animada, no formato de videobook, que poderá ser conferido no Youtube, no mesmo link já citado.

A narração fica por conta dos contadores de história Elaine Guarani e Augusto Figliaggi. O livro é indicado para crianças de 7 a 10 anos, mas deve encantar leitores de todas as idades.

Oferecer tantas opções para o leitor foi uma escolha conjunta de Henrique e Fábio, tendo em mente a ideia de que a literatura precisa chegar aos mais variados públicos. Essas opções, segundo eles, ajudam a democratizar ainda mais o acesso.

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *